Blocos lógicos em tempos do movimento da matemática moderna (1960-1980)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/zet.v30i00.8667882

Palavras-chave:

Blocos lógicos, Saberes para ensinar, Currículos e programas

Resumo

Este texto objetiva, por meio da análise histórica de atividades em currículos e programas brasileiros, identificar elementos da constituição de saberes para ensinar classificação, seriação e ordenação com a utilização dos blocos lógicos, a fim de compreender o movimento de institucionalização destes saberes durante a Matemática Moderna. Os referenciais adotados buscam entender os saberes profissionais da docência em diferentes tempos históricos, tendo em vista tensões entre campo profissional e campo disciplinar da Matemática, e das Ciências da Educação presentes em legislações, programas, currículo, decretos, dentre outros, no que se refere aos saberes a ensinar e para ensinar. O estudo sugere que um dos saberes objetivados em programas brasileiros, refere-se às maneiras de abordar as estruturas lógico-matemáticas de forma concreta, ou seja, com ênfase no modo em que os blocos lógicos constroem e concretizam saberes referentes às estruturas lógicas de

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denise Medina Franca, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Edilene Simões Costa dos Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação pela Universidade de Brasília. Professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Brasil.

Referências

Alves, C. (2010) Educação, memória e identidade: dimensões imateriais da cultura material escolar. História da Educação (Porto Alegre), 14, (30), 101-125.

Batista, C. O.; Santos, E.S.C.; Souza. M.M. & Carvalho, R. P. F. (2013). O Movimento da Matemática Moderna em Brasília-DF: Indícios de sua implementação a partir do relato de dois professores pioneiros. Anais do 7º Congreso Iberoamericano de Educación Matematica. (4037-4044) Montevideo: Universidad de Montevideo. Disponível em: http://www.cibem7.semur.edu.uy/7/actas/pdfs/435. Acesso em: 23 março 2022.

Borer, V. L. (2017). Os saberes: uma questão crucial para a institucionalização da formação de professores. In: R. Hofstetter & W. R. Valente (Orgs.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. (pp. 173-199). São Paulo: Livraria da Física.

Brasil. Ministério da Educação e Cultura (1961). Lei 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1961. Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/legislacao/129047/lei-de-diretrizes-e-base-de-1961-lei-4024-61. Aceso em: 23 vov. 2021.

Brasil. Ministério da Educação e Cultura (1971). Lei no 5.692, de 11 de agosto de 1971.Lei de Diretrizes e Base, 1971. Disponível em: https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/128525/lei-de-diretrizes-e-base-de-1971-lei-5692-71. Acesso em: 20 dez. 2020.

Dienes, Z. A. (1967a). Matemática Moderna no ensino primário. São Paulo, SP: Editora Fundo de Cultura.

Dienes, Z. A. (1967b). Conjunto, números e potências. São Paulo: Herder.

Dienes, Z. A. (1974). Lógica e jogos lógicos. (E. José Dotto, Trad.). (2. ed. rev.). São Paulo: EPU.

Fischer, M. C. B. (2007). Formação de professores em tempos de Matemática Moderna: uma proposta de investigação histórica. Revista Diálogo Educacional, 8, (25), 663-678.França, D, M. (2019). A Matemática nas séries iniciais: o que mudou (1960-1980)? Curitiba: Appris. DOI: https://doi.org/10.7213/rde.v8i25.3745

França, D. M. (2016). A educação elementar pela pedagogia de Zoltan Dienes. In: SBHMat (Eds). Anais do 3 Congresso Iberoamericano de História da educação matemática. Belém, Brasil: SBHMat,229-241. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/169988. Acesso em: 23 jul. 2021.

França, D. M. A. (2007). A produção oficial do movimento da matemática moderna para o ensino primário do estado de São Paulo (1960-1980) (Dissertação de Mestrado em Matemática). Pontifícia Universidade Católica, Departamento de Matemática, São Paulo.

GHEMAT-BRASIL. Glossário. São Paulo: Ghemat-Brasil, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/158952. Acesso em: 10 dez. 2021.

Hofstetter, R. & Schneuwly, B. (2020). Profissionalização e formação de professores: uma tipologia dos saberes de referência para a docência. In: W.R. Valente, Ciências da Educação, Campos Disciplinares e Profissionalização: saberes em debate para a formação de professores. São Paulo: L F Editorial.

Piaget, J. (1971). A formação do símbolo na criança. Imitação, jogo e sonho, imagem e representação. (A. Cabral. Trad.). Rio de Janeiro: Zahar.

Piaget, J. (1975). A equilibração das estruturas cognitivas. Rio de Janeiro: Zahar.

Piaget, J. (1984). A Gênese das Estruturas Lógicas e Elementares. Rio de Janeiro: Zahar.

Rangel, A. C. (1992). Educação matemática e a construção do número pela criança: uma experiência em diferentes contextos socioeconômicos. Porto Alegre: Artes Médicas.

Rio de Janeiro (1978). Secretaria de Estado de Educação e Cultura. Laboratório de Currículos – Proposta Metodológica – 1ª e 2ª séries, 1º grau, volume 4. Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro (1979). Secretaria de Estado de Educação e Cultura. Laboratório de Currículos – Proposta Metodológica – 3ª e 4ª séries, 1º grau, volume 4. Rio de Janeiro.

Roberts, D. L. (2014). History of Tools and Technologies in Mathematics Education. In: A. Karpa & G. S chubring (eds.). Handbook on the History of Mathematics Education. (pp. 565-577). NY: Springer. DOI: https://doi.org/10.1007/978-1-4614-9155-2_28

São Paulo. Município (1976). Secretaria de Educação do Município de São Paulo. Modelo de desenvolvimento do currículo-1ª série-MDC. São Paulo.

São Paulo. Estado (1975). Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Guias Curriculares. São Paulo.

São Paulo (Estado). Secretaria de Estado da Educação. (1976) Subsídio para a Implementação do Guia Curricular de Matemática - Álgebra para o 1º grau de 1ª a 4ª série. São Paulo: SEE-SP. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/201998?show=full. Acesso em: 15 nov. 2021.

São Paulo (1977). Departamento Municipal de Ensino. Divisão de Orientação Técnica. Setor de Currículos, Métodos e Processos. Modelo de desenvolvimento de currículo – Matemática, 2ª série. São Paulo.

São Paulo (1978). Departamento Municipal de Ensino. Divisão de Orientação Técnica. Setor de Currículos, Métodos e Processos. Modelo de desenvolvimento de currículo – Matemática, 1ª série. São Paulo.

São Paulo (1979). Departamento Municipal de Ensino. Divisão de Orientação Técnica. Setor de Currículos, Métodos e Processos. Modelo de desenvolvimento de currículo – Matemática. São Paulo.

Souza, R. F. (2013). Objetos de ensino: a renovação pedagógica e material da escola primária no Brasil, no século XX. Educar em Revista, 49, (jul/set), 103-120. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-40602013000300007

Soares, E. (2014). Zoltan Paul Dienes e o Sistema de Numeração Decimal na cultura escolar paranaense (1960-1989). (Tese Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica - PUC, Curitiba, PR.

Valente, W. R. (2007). História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. Revista Eletrônica de Educação Matemática, 2, (1) 28-49.

Valente. R. A. (2017). A matemática a ensinar e a matemática para ensinar: os saberes para a Formação do educador matemático. In: R. Hofstetter & W.R. Valente, W. R. (org.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. (pp. 201-228). São Paulo: Livraria da Física.

Valente, W. R. (2019). Saber objetivado e formação de professores: reflexões pedagógico-epistemológicas. Revista História da Educação (Online), 23, (1), 1-22. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/77747. Acesso em: 20 jan. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/2236-3459/77747

Valente (Org.). (2020). Ciências da educação, campos disciplinares e profissionalização: saberes em debate para a formação de professores. São Paulo: Livraria da Física, 2020.

Vidal, D. G. (2017). História da Educação como Arqueologia: cultura material escolar e escolarização. Revista Linhas,18, (36), 251-272. DOI: https://doi.org/10.5965/1984723818362017251

Vitti, C. (1998). Movimento da Matemática Moderna: memória, vaias e aplausos. (Tese Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, SP.

Publicado

2022-05-26

Como Citar

FRANCA, D. M.; SANTOS, E. S. C. dos. Blocos lógicos em tempos do movimento da matemática moderna (1960-1980). Zetetike, Campinas, SP, v. 30, n. 00, p. e022008, 2022. DOI: 10.20396/zet.v30i00.8667882. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8667882. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Dossiê Temático