As representações sociais das condições de trabalho que causam desgaste aos professores estaduais paranaenses

  • Ademir José Rosso Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Brigido Vizeu Camargo Universidade Federal de Sana Catarina
Palavras-chave: Trabalho docente. Desgaste. Representação social.

Resumo

As representações sociais (RS) sobre as situações do trabalho docente geradoras de desgaste mental são investigadas segundo as abordagens teóricas de Moscovici e Abric. As informações foram coletadas mediante questionário (N=128), solicitando a evocação de situações geradoras de desgaste mental e, posteriormente, em entrevista (N=38), procedeu-se à tiragem sucessiva das evocações mais frequentes. As informações censitárias foram analisadas com o auxílio do SPSS; as evocações, pelo EVOC e SIMI; e as justificativas à primeira evocação, pela análise de conteúdo. Em ordem crescente são evocadas situações relativas a sentimentos, apoio, ambiente de trabalho, materialidade e centralizando a recepti¬vidade da docência; são destacados os fatores da sindicalização, do estágio da carreira, da formação, do sexo e do vínculo empregatício na constituição da RS. A coleta e a análise das informações revelam uma RS centrada no reconhecimento da docência, sendo nomeados o desinteresse, o desrespeito, a indisciplina e as salas lotadas como as situações que mais desgastam os docentes em seu trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ademir José Rosso, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor do Mestrado em Educação da UEPG/PR.

Brigido Vizeu Camargo, Universidade Federal de Sana Catarina

Licenciado em Psicologia. Doutor em Psicologia Social pela EHESS – Paris. Professor do Departamento de Psicologia e o Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFSC.

Referências

ABRIC, J. C. Abordagem estrutural das representações sociais: desenvolvimentos recentes. In: CAMPOS, P. H. F.; LOUREIRO, M. C. (Ed.). Representações sociais e práticas educativas. Goiânia: UCG, 2003. p. 37-57.

ABRIC, J. C. O estudo experimental das representações sociais. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro, RJ: EDUERJ, 2001. p. 155-171.

AKKARIA, A.; SILVA, C. P. A educação básica no Brasil: vozes de professores da rede pública e privada. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 9, n. 27, p. 379-392, maio/ago. 2009.

ALVES, W. F. Gestão escolar e o trabalho dos educadores: da estreiteza das políticas à complexidade do trabalho humano. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 110, p. 17- 34, jan./mar. 2010.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representações da identidade docente: uma contribuição para a formulação de políticas. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 15, n. 57, p. 579-594, out./dez. 2007.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. Representação do trabalho do professor das séries iniciais: a produção do sentido de “dedicação”. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 89, n. 223, p. 405-406, set./dez. 2008.

AQUINO, J. G. Confrontos na sala de aula: uma leitura da relação professor-aluno. São Paulo, SP: Summus, 1996.

BARROS, M. E. B.; LOUZADA, A. P. Dor-desprazer-trabalho docente: como desfazer essa tríade? Psicologia USP, São Paulo, v. 18, n. 4, p. 13-34, out./dez. 2007.

BATISTA, C. M. P.; C NDIDO, F. Ouvindo professores. Cuiabá: EdUFMAT, 2008.

CARVALHO, M. P. Ensino, uma atividade relacional. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 11, p. 17-32. 1999.

CARVALHO, M. P. Trabalho docente e relações de gênero: algumas indagações. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 2, p. 77-84, maio/ago. 1996.

CODO, W. Por uma psicologia do trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006.

CODO, W.; GAZZOTTI, A. A. Trabalho e afetividade. In: CODO, W. (Org.). Educação: carinho e trabalho - burnout, a síndrome da desistência do educador, que pode levar a falência da educação. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 48-59.

CODO, W.; VASQUES-MENEZES, I. Burnout: sofrimento psíquico dos trabalhadores em educação. Cadernos de Saúde do Trabalhador, Instituto Nacional de Saúde do Trabalhador, 2000.

CODO, W.; VASQUES-MENEZES, I. Educar, educador. In: CODO, W. (Org.). Educação: carinho e trabalho - burnout, a síndrome da desistência do educador, que pode levar a falência da educação. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2006. p. 37-47.

DESCHAMPS, J. C.; MOLINER, P. Identidade em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2009.

DUARTE, A. A produção acadêmica sobre trabalho docente na educação básica no Brasil: 1987-2007. Educar em Revista, Curitiba, n. especial 1, p. 101-117, 2010.

FIDALGO, F.; FIDALGO, N. L. R. Trabalho docente e a lógica produtivista: conformação e subjetividade. In: FIDALGO, F.; OLIVEIRA, M. A. M.; FIDALGO, N. L. R. Intensificação do trabalho docente: tecnologias e produtividade. Campinas: Papirus, 2009, p. 91-112.

FLAMENT, C. Estrutura e dinâmica das representações sociais. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p. 155-171.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. 24. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GABARDO, C. V.; HAGEMEYER, R. C. C. Formação docente continuada na relação universidade e escola: construção de referências para uma análise a partir da experiência do PDE/PR. Educar, Curitiba: Editora UFPR, n. 37, p. 93-112, maio/ago. 2010.

GALLI, I. La teoria delle rappresentazioni sociali. Bologna: Il Mulino, 2006.

GASPARINI, S. M.; BARRETO, S. M.; ASSUNÇÃO, A. Á. O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 189-199, maio/ago. 2005.

JODELET, D. Experiências e representações sociais. In: MENIN, M. S. S.; SHIMIZU, A. M. Experiência e representação social: questões teóricas e metodológicas. São Paulo, SP: Casa do Psicólogo, 2005. p. 23-56.

JODELET, D. Imbricações entre Representações Sociais e Intervenção. In: MOREIRA, A. S. P.; CAMARGO, B. V. (Org.). Contribuições para a teoria e o método de estudo das representações sociais. João Pessoa: UFPB, 2007. p. 45-74.

JOVCHELOVITCH, S. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e Representações sociais. In: GUARESCHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. (Org.). Textos em representações sociais. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 1999. p. 63-85.

MAURÍCIO, L. V. Literatura e representações da escola pública de horário integral. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 27, p. 40-56, set./dez. 2004.

MENIN, M. S. S.; SHIMIZU, A. M.; LIMA, C. M. A teoria das representações sociais nos estudos sobre representações de professores. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 137, p. 549-567, maio/ago. 2009.

MILANI, N. Z.; FIOD, E. G. M. Precarização do trabalho docente nas escolas públicas do Paraná (1990-2005). Roteiro, Joaçaba, v. 33, n. 1, p. 77-100, jan./jun. 2008.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro, RJ: Zahar, 1978.

MOURA, E. P. G. Gestão do trabalho docente: o “dramático” uso de si. Educar, Curitiba, n. 33, p. 157-169, 2009.

OLIVEIRA, D. A. A reestruturação do trabalho docente: precarização e flexibilização. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, n. 89, p. 1127-1144, set./dez. 2004.

OLIVEIRA, D. A. Política educacional e a re-estruturação do trabalho docente: reflexões sobre o contexto latino-americano. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 99, p. 355-375, maio/ago. 2007.

OLIVEIRA, E. S. G. Profissão docente: o périplo heróico da produção do conhecimento. Teias, ano 2, n. 4, p. 1-12, jul./dez. 2001.

PAREDES, E. C. et al. Ser professor. Cuiabá: EdUFMAT, 2007.

SÁ, C. P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes, 1996.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 5. ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

TEIXEIRA, I. A. C. Cadências escolares, ritmos docentes. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 25, n. 2, p. 87-108, jul./dez. 1999.

TREIN, E., CIAVATTA, M. O percurso teórico e empírico do GT Trabalho e Educação: uma análise para debate. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 140-164, set./dez. 2003.

TRINDADE, D. S.; LIMA, R. R.; VICENTE, S. S. Ensino, pesquisa e extensão. Cuiabá: EdUFMAT, 2007.

ZARAGOZA, J. M. E. O mal-estar docente: a sala de aula e a saúde dos professores. Bauru: Edusc, 1999.

Publicado
2011-09-15
Como Citar
Rosso, A. J., & Camargo, B. V. (2011). As representações sociais das condições de trabalho que causam desgaste aos professores estaduais paranaenses. ETD - Educação Temática Digital, 13(1), 269-289. https://doi.org/10.20396/etd.v13i1.1180