Um corpo na dança contemporânea brasileira: percurso de rupturas e afirmações

  • Lilian Vilela Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Dança. Dança contemporânea. História da dança. Bailarina.

Resumo

Este texto faz parte de uma pesquisa de doutorado realizada no Laborarte/ UNICAMP, com foco central na história de vida artística de Denise Stutz, bailarina brasileira, e seu percurso de atuação desde a década de 1970 até os dias atuais. O recorte aqui refere-se ao seu período de questionamento com a dança e sua experiência no campo teatral e da performance, em um momento de ruptura estética e existencial. Esta pesquisa alia voz e corpo em seus aspectos sensíveis, adotando como procedimento metodológico na pesquisa qualitativa, a transcriação de suas narrativas orais e as análises de movimento integradas às análises de espetáculo das narrativas cênicas de obras de referência na trajetória da bailarina. Costurando as reflexões estéticas vividas e encenadas podemos constatar a potência da arte da dança como modo de percepção, transformação e criação de si mesmo, e desta dança como discurso pronunciado pelo corpo-sujeito no mundo e para o mundo circundante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lilian Vilela, Universidade Estadual de Campinas

Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da UNICAMP na área de Educação, conhecimento, linguagem e Arte, artista da dança. Pesquisadora do programa Rumos Dança do Itaú Cultural e consultora da área de dança no SESI-SP.

Referências

AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Baktin nas ciências humanas. São Paulo, SP: Musa Editora, 2004.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 5. ed. São Paulo, SP: Editora Brasiliense, 1993. (Obras escolhidas, I).

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. 5. ed. São Paulo, SP: Perspectiva, 1999.

COHEN, R. Performance e tecnologia. In: Congresso Brasileiro de Pesquisa e pós-graduação em artes cênicas: Memória ABRACE V, 2., 2001. Anais... Salvador: Associação Brasileira de Pesquisas e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2001.

DEMARTINI, Z. B. F. Das histórias de vida às histórias de formação. In: SOUZA, E.; MIGNOT, A. C. V. (Org.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro, RJ: Quartet: FAPERJ, 2008.

DUPUY, D. La traversée em solitaire. In: ROUSIER, C. (Org.). La danse em solo: une figure singulière de la modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo, SP: Edições Loyola, 1996.

FREIRE, P.; HORTON, M. O caminho se faz caminhando: conversas sobre educação e mudança social. Petrópolis: Editora Vozes, 2003.

FREIRE, P. Pedagogia dos sonhos possíveis. São Paulo, SP: UNESP, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 10. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

GALZERANI, M. C. B. Percepções culturais do mundo da escola: em busca da rememoração. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES DO ENSINO DE HISTORIA, 3., 1997, Campinas. Anais... Campinas: UNICAMP/FE, 1999.

GERALDI, S. Raízes da teatralidade na dança cênica: recortes de uma tendência paulistana. 2009. 289fl. Tese (Doutorado em Artes) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

GIL, J. Movimento total. São Paulo, SP: Iluminuras, 2004.

GIL, J. O espaço interior. Lisboa: Editorial Presença, 1993.

IZQUIERDO, I. A arte de esquecer: cérebro, memória e esquecimento. Rio de Janeiro, RJ: Vieira & Lent, 2004.

IZQUIERDO, I. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002.

JOSSO, M.-C. As histórias como territórios simbólicos nos quais se exploram e se descobrem formas e sentidos múltiplos de uma existencialidade evolutiva singular-plural. In: PASSEGI, M. C. (Org.). Tendências da pesquisa (auto) biográfica. Natal: EDUFRN; São Paulo, SP: Paulus, 2008.

JOSSO, M.-C. Experiências de vida e formação. São Paulo, SP: Cortez, 2004.

JOSSO, M.-C. Os relatos de vida como desvelamento dos desafios existenciais da formação e do conhecimento: destinos socioculturais e projetos de vida na invenção de si. In: SOUZA, Elizeu C.; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Org.) Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

LABAN, R. Domínio do movimento. São Paulo, SP: Summus, 1978.

LABAN, R. Dança educativa moderna. Trad. Maria da Conceição Parayba Campos. São Paulo, SP: Ícone, 1990.

MEIHY, J. C. S. B. Manual de história oral. 5. ed. São Paulo, SP: Edições Loyola, 2005.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1994.

PAIS, J. M. Vida cotidiana: enigmas e revelações. São Paulo, SP: Cortez, 2003.

PAVIS, P. A análise dos espetáculos. São Paulo, SP: Perspectiva, 2003.

PEREIRA, R. Os nomes próprios da dança brasileira. In: PEREIRA, R.; MEYER, S.; NORA, S. (Org.) Seminários de dança: histórias em movimento: biografias e registros em dança. Caxias do Sul: Lorigraf, 2008.

PEREIRA, R. Ao lado da crítica: 10 anos de crítica de dança: 1999-2009. Rio de Janeiro, RJ: FUNARTE, 2009. (v.1; v.2)

ROPA, E. Le solo au XX siècle: Une proposition idélogique et une stratégie de survie.

ROUSIER, C. (Org.). La danse em solo: une figure singulière de la modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

ROUSIER, C. Être ensemble: figures de la communauté em danse depuis le xx siècle. Pantin: Centre National de la danse, 2003.

ROUSIER, C. (Org.). La danse em solo: une figure singulière de la modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

SEGNINI, L. Criação rima com precarização: Análise do mercado de trabalho artístico no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 13., 2007, Recife. Anais… Recife: [s.n.], 2007. (mimeo)

SOARES, C. (Org.) Corpo e história. 3. ed. Campinas: Autores associados, 2006.

SOUZA, E. et al. (Org.) Pesquisa (auto) biográfica e práticas de formação. Natal: EDUFRN; São Paulo, SP: Paulus, 2008. (v. 4).

Publicado
2010-11-22
Como Citar
Vilela, L. (2010). Um corpo na dança contemporânea brasileira: percurso de rupturas e afirmações. ETD - Educação Temática Digital, 12(2), 93-112. https://doi.org/10.20396/etd.v12i2.1190