A percepção de egressos sobre as transformações curriculares ocorridas no curso de graduação em enfermagem

  • Marcia Maria Ribera Lopes Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Giselle Cristina Martins Real Universidade Federal da Grande Dourados
  • Maria Helena Salgado Bagnato Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Educação superior. Enfermagem. Egressos.

Resumo

Este trabalho objetiva analisar a percepção dos egressos do curso de Enfermagem sobre as modificações curriculares ocorridas na graduação em Enfermagem a partir da década de 1990. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que utilizou o levantamento bibliográfico, a análise documental e a pesquisa de campo por meio de questionários e de grupo focal, tendo como suporte a análise de conteúdo. Participaram os egressos da graduação em Enfermagem da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul, formados entre 2004 e 2009, sendo três turmas formadas sob a legislação curricular de 1994 e três turmas sob as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Enfermagem, de 2001. Nos resultados, os egressos destacaram sua participação na construção do atual Projeto político-pedagógico do curso, além de ressaltarem pontos como a integralidade e o estágio curricular supervisionado. Acredita-se que estudos e discussões sobre a proposta curricular devem continuar, incluindo todos os atores do processo. Inferiu-se que a matriz curricular do curso vem atendendo às orientações curriculares atuais, articulando-se estreitamente com a formação de enfermeiros aptos às demandas da política de saúde. Espera-se contribuir para as políticas educacionais, suscitando reflexões e debates a respeito do tema.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Maria Ribera Lopes, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Graduada em Enfermagem, com mestrado em educação. É professora da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul no curso de enfermagem
Giselle Cristina Martins Real, Universidade Federal da Grande Dourados
Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1988), graduação em Direito pelo Centro Universitário da Grande Dourados (1989), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2000) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2007). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados, atuando na graduação e na pós-graduação stricto sensu.
Maria Helena Salgado Bagnato, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Licenciatura e Bacharelado em Enfermagem pela Universidade Federal de São Carlos (1980), mestrado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1987), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1994), pós-doutorado em Educação na Universidade de Barcelona (2004) e Livre Docência pela Universidade Estadual de Campinas. É professora doutora da Universidade Estadual de Campinas e coordenadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Práticas de Educação e Saúde (PRAESA). Também é orientadora de doutorado e de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNICAMP.

Referências

BAGNATO, Maria Helena Salgado; RODRIGUES, Rosa Maria. diretrizes curriculares da graduação de enfermagem: pensando contextos, mudanças e perspectivas. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 60, n. 5, p. 507-512, set./out. 2007.

BALL, J. Stephen. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem Fronteiras, v.1, n.2, p.99-116, jul./dez. 2001.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa saúde da família. Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES No 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União. Brasília, 9 de nov. 2001, Seção 1, p. 37.

BURIOLLA, Marta Alice Feiten. O estágio supervisionado. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2009.

CAMARGO, Arlete; MAUÉS, Olgaíses. As mudanças no mundo do trabalho e a formação dos profissionais da educação no contexto da LDB: o currículo em questão. In: BITTAR, Mariluce; OLIVEIRA, João Ferreira de; MOROSINI, Marília. Educação superior no Brasil: 10 anos pós-LDB. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008, v. 1, p. 215-234.

CATANI, Afrânio Mendes; OLIVEIRA, João Ferreira de. A reforma da educação superior no Brasil nos anos 90: diretrizes, bases e ações. In: CATANI, Afrânio Mendes; OLIVEIRA, Romualdo Portela de (Org.). Reformas educacionais em Portugal e no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p 95-134.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE O ENSINO SUPERIOR. Tendências de educação superior para o século XXI. Trad. Maria Beatriz Ribeiro de Oliveira Gonçalves. Brasília: UNESCO/CRUB, 1999.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE O ENSINO SUPERIOR. As novas dinâmicas do ensino superior e pesquisas para a mudança e o desenvolvimento social. Comunicado. 2009. Disponível em: aplicweb.feevale.br/site/files/documentos/pdf/31442.pdf. Acesso em 16 de nov de 2010.

CONSELHO NACIONAL DOS SECRETÁRIOS DE SAÚDEO – CONASS. SUS: avanços e desafios. Brasília: CNASS, 2006.

DEITOS, Maria Lúcia Melo de Souza. A formação do trabalhador num contexto de permanente mudança tecnológica. In: FIGUEIREDO, Ireni Marilene Zago; ZANARDINI, Isaura Monica Souza; DEITOS, Roberto Antonio (Org.). Educação, políticas sociais e Estado o Brasil. EDUNIOESTE: Curitiba: Fundação Araucária, 2008. p. 239-262.

DELLORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir - relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre a Educação para o Século XXI. Brasília, DF, 1996.

GALLEGUILLOS, Tatiana Gabriela Brassea; OLIVEIRA, Maria Amélia de Campos. A gênese e o desenvolvimento histórico do ensino de enfermagem no Brasil. Revista da Escola de Enfermagem das USP, v. 35, n. 1, p. 80-87, mar. 2001.

MISSIO, Lourdes. Curso de Enfermagem da UEMS: um estudo da primeira turma de egressos-1998. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos – UFSCAR, 2001.

ROBERTSON, Susan L. O processo de Bolonha da Europa torna-se global: modelo, mercado, mobilidade, força intelectual ou estratégia para construção do Estado? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro: ANPEd, v. 14, n. 42, p. 407-422, set./dez. 2009.

RODRIGUES, Rosa Maria. Diretrizes curriculares para a graduação em enfermagem no Brasil: Contexto, conteúdo e possibilidades para a formação. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP, 2005.

SAUPE, Rosita. Ação e reflexão na formação do enfermeiro através dos tempos. In: SAUPE, Rosita. (Org.). Educação em enfermagem: da realidade construída à possibilidade em construção. Florianópolis: Ed. UFSC, 1998, p. 27-73.

STARFIELD, Barbara. Atenção primária: equilíbrio entre as necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO Brasil, Ministério da Saúde, 2004.

SILVA, Kênia Lara; SENA, Roseni Rosângela de. A educação de enfermagem: buscando a formação crítico-reflexiva e as competências profissionais. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 14, n. 5, set/out. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s010411692006000500018&script=sci_arttext&tlng=pt

Acesso em 15 de novembro de 2010.

SOARES, Ana Maria Dantas. O projeto político-pedagógico e os cursos de graduação: limites e perspectivas. In: VASCONCELOS, Helena Corrêa de. (Org.). Docência no ensino superior: uma abordagem de uma experiência interdisciplinar. Seropédica: UFRRJ, 2008, p. 107-117.

SENA, Roseni Rosângela et al. Projeto Uni: cenário de aprender, pensar e construir a interdisciplinaridade na prática pedagógica da Enfermagem. Interface, Botucatu, v.7, n.13, p.79-90, 2003.

TEIXEIRA, Elizabeth et al. Trajetória e tendências dos cursos de enfermagem no Brasil. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 59, n. 4, p. 479-87, jul./ago. 2006.

UCHIMURA, Kátia Yumi; BOSI, Maria Lúcia Magalhães. Habilidades e competências entre trabalhadores da Estratégia Saúde da Família. Interface, Botucatu, v.16, n.40, p.149-160, jan./mar. 2012.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL – UEMS. Projeto político pedagógico do curso de Enfermagem. Dourados: UEMS, 2003.

Publicado
2012-11-05
Como Citar
Lopes, M. M. R., Martins Real, G. C., & Bagnato, M. H. S. (2012). A percepção de egressos sobre as transformações curriculares ocorridas no curso de graduação em enfermagem. ETD - Educação Temática Digital, 14(2), 275-289. https://doi.org/10.20396/etd.v14i2.1234

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)