O conceito de escrita segundo a teoria histórico-cultural e a alfabetização de crianças no primeiro ano do ensino fundamental

  • Leilah Santiago Bufrem Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Educação infantil. Cultura escolar. Desenvolvimento da escrita.

Resumo

Estuda o conceito de escrita que pode ser inferido das teorias de Vygotsky e Leontiev. Os autores não elaboraram um conceito acabado de escrita. No entanto, os experimentos realizados por Vygotsky para o estudo do desenvolvimento da escrita, suas concepções acerca das funções psicológicas superiores e dos sistemas de signos e instrumentos, bem como a teoria da atividade de Leontiev, contribuem para a formulação de uma concepção de escrita e alfabetização. Apresenta as observações etnográficas em uma classe de alfabetização, com o objetivo de investigar sobre as relações entre a criança de cinco anos e a escrita. O problema da pesquisa é o significado da alfabetização desde a terna infância, defendido por Vygotsky (2000), e o modo como isto vem ocorrendo no caso específico de uma sala de aula.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leilah Santiago Bufrem, Universidade Federal do Paraná
Graduada em Filosofia e Biblioteconomia, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Paraná, Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, professora titular do curso de Gestão da Informação e professora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação e do Mestrado em Ciência, Gestão e Tecnologia da Informação da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba. Faz parte do grupo de Pesquisa Cultura, Práticas Escolares e Educação Histórica.

Referências

BEATÓN, Guillermo Arías. La persona en lo histórico cultural. São Paulo, SP: Linear B, 2005. 297p.

BRASIL. Lei n. 11.274, de 6 de fevereiro de 2006. Brasília, República Federativa do Brasil. DF, 6 de fevereiro de 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11274.htm. Acesso em: 25 de jul. 2010.

CAPOVILLA, Alessandra G. S.; CAPOVILLA, Fernando C. Alfabetização: método fônico. 4. ed. São Paulo, SP: Memmom, 2007. 393p.

EZPELETA, Justa; ROCKWELL, Elsie. Pesquisa participante. 2. ed. São Paulo, SP: Cortez, 1989. 93p.

FLACH, Simone de Fátima. O direito à educação e sua relação com a ampliação da escolaridade obrigatória no Brasil. Ensaio: Avaliação das Políticas Públicas Educacionais [on-line], Rio de Janeiro, v. 17, n. 64, p. 495-520, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v17n64/v17n64a06.pdf Acesso em: 25 de jun. 2010.

KRAMER, Sônia. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: educação infantil e/é fundamental. Revista Educação e Sociedade [on-line], Campinas, v. 27, n. 96, p. 797-818, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v27n96/a09v2796.pdf. Acesso em: 25 de jun. 2010.

LEONTYEV, Aleksei Nikolaevich. Activity and consciousness. Trad. Andy Blundem. Moscow: Progress Publishers, 1977. Disponível em: http://www.marxists.org/archive/leontev/works/1977/leon.1977.htm. Acesso em: 21 de agosto de 2009.

LEONTYEV, Aleksei Nikolaevich. O desenvolvimento do psiquismo. Trad. M. Dias Duarte. Lisboa: Livros Horizonte, 1978. 354p.

LURIA, Alexander Romanovich. O desenvolvimento da escrita na criança. In: VIGOTSKII, Lev Semenovitch; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexei Nikolaievich. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Trad. Maria da Penha Villalobos. São Paulo, SP: Ícone, 2003. 228p.

MELLO, Suely Amaral. O processo de aquisição da escrita na educação infantil: contribuições de Vygotsky. In: FARIA, Ana Lúcia Goulart; MELLO, Sueli Amaral. (Org.). Linguagens infantis: outras formas de leitura. Campinas: Autores Associados, 2005. 128p.

PINO, Angel. As marcas do humano. As origens da constituição cultural da criança na perspectiva de Lev S. Vigotski. São Paulo: Cortez, 2005. 303p.

PINO, Angel. O social e o cultural na obra de Vigotski. Educação e Sociedade, Campinas, ano 21, n. 71, jul. 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v21n71/a03v2171.pdf. Acesso em: 2 dez. 2010.

ROCKWELL, Ezpelleta. La dinâmica cultural en la escuela. In. ALVAREZ, A. (Ed.). Hacia un currículum cultural: la vigencia de Vygotski en la educación. Madrid: Fundación infancia y aprendizaje, 1997. 192p.

SMOLKA, Ana Luísa Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2003. 135p.

STEMMER, Márcia Regina Goulart. A educação infantil e a alfabetização. In: ARCE, Alessandra; MARTINS, Lígia Márcia. (Org.). Quem tem medo de ensinar na educação infantil? Campinas: Átomos; Alíneas, 2010. 218p.

VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores. Trad. José María Bravo. In: VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Obras Escogidas III. Madrid: Visor, 2000. 427p.

VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Pensamiento y lenguaje. Trad. José María Bravo. In: VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Obras Escogidas II. Madrid: Visor, 1993. 484p.

VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Psicología infantil. Trad. Lydia Kuper. In: VYGOTSKI, Lev Semenovitch. Obras Escogidas IV. Madrid: Visor, 1996. 426p.

WERTSCH, James V. Vygotsky y la formación social de la mente. Trad. Javier Zanón Y Montserrat Cortés. Buenos Aires: Paidós, 1988. 284p.

Publicado
2012-05-21
Como Citar
Bufrem, L. S. (2012). O conceito de escrita segundo a teoria histórico-cultural e a alfabetização de crianças no primeiro ano do ensino fundamental. ETD - Educação Temática Digital, 14(1), 22-42. https://doi.org/10.20396/etd.v14i1.1239