Criar saídas e um ensino de filosofia

  • Renata Lima Aspis Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Controle social. Filosofia. Ensino – Filosofia.

Resumo

O presente artigo pretende propor um determinado ensino de filosofia para jovens, hoje, na escola, que seja uma forma de ação política transformadora do mundo. Partimos da contextualização de nossos tempos como tendo a vida tomada pela política em sociedades de controle para defendermos a ação de criação de mundos possíveis a partir do mundo dado e imposto pelos mecanismos de poder que nos capturam. A possibilidade de criação não é mérito de poucos, está ao alcance de qualquer um, do homem comum. Uma ação educativa da filosofia na escola poderia ser a de fazer os alunos passarem por uma experiência filosófica em seu pensamento como uma disciplina de criar conceitos, dentro dessa perspectiva de incentivar a criação de outros tantos mundos possíveis e diferentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Lima Aspis, Universidade Estadual de Campinas

Graduada em Filosofia. Mestre e doutora em Filosofia da Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Participa do Grupo Diferenças e Subjetividades em Educação e do Grupo de Estudos Transversal – FE/Unicamp. Professora de filosofia no Ensino Médio na rede particular de ensino há mais de duas décadas.

Referências

DELEUZE, Gilles. A Ilha deserta e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006b

DELEUZE, Gilles. Conversações. Post-Scriptum sobre as sociedades de controle. Rio de Janeiro, RJ: 34, 1992.

DELEUZE, Gilles.Diferença e repetição. São Paulo, SP: Edições Graal, 2006a.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia?. Rio de Janeiro: 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro, RJ: 34, 1995. (v.1).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro, RJ: 34, 1996. (v.3).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro, RJ: 34, 1997. (v.5).

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka, por uma literatura menor. Rio de Janeiro, RJ: Imago Editora, 1977.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo. São Paulo, SP: 34, 2010

FORRESTER, Viviane. O horror econômico. São Paulo, SP: UNESP, 1997.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I, a vontade de saber. Rio de Janeiro, RJ: Edições Graal, 1977

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H.; RABINOV, P. Michel Foucault: uma trajetória filosófica. Para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro, RJ: Forense Universitária, 1995. p.231- 249.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população. São Paulo, SP: Martins Fontes, 2008

KAFKA, Franz. Um relatório para uma academia. In: KAFKA, Franz. Um médico rural. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 1999.

LAZZARATO, Maurizio. As revoluções do capitalismo. Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, 2006.

NIETZSCHE, Friedrich. Considerações extemporâneas III: Schopenhauer como Educador. Trad. Adriana Maria Saura Vaz. Rev. Cinzia Signorelli Macris. Campinas: FE; Unicamp, 1999.

PELBART, Peter Pál. Vida capital, ensaios de biopolítica. São Paulo, SP: Iluminuras, 2003.

Publicado
2010-11-18
Como Citar
Aspis, R. L. (2010). Criar saídas e um ensino de filosofia. ETD - Educação Temática Digital, 14(1), 199-215. https://doi.org/10.20396/etd.v14i1.1247