Percepção dos estudantes que visitam um projeto sobre biologia e conservação de tartarugas marinhas

Autores

  • Cibele da Costa Cardoso Universidade Federal do Rio Grande
  • Julio Cesar Bresolin Marinho Universidade Federal do Pampa
  • Cariane Campos Trigo Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1308

Palavras-chave:

Conservação. Educação ambiental. Projeto TAMAR.

Resumo

O estudo teve como objetivo analisar a percepção, a respeito das tartarugas marinhas, dos estudantes que visitaram as bases do TAMAR, nas cidades de Florianópolis e Ubatuba.  A metodologia utilizada foi a aplicação de questionários com questões abertas e fechadas, antes e após a visitação de alunos da 3ª e 4ª séries do Ensino Fundamental, nas duas bases. Cento e vinte questionários foram respondidos. Percebemos que o programa de educação ambiental nos Centros de Visitantes do Projeto TAMAR é eficiente, visto que a maioria dos discentes conseguia responder aos questionamentos após a visita. Porém, alguns temas poderiam ser mais enfatizados. Os alunos que possuíam uma percepção maior anteriormente à visita, foram os de Ubatuba, pelo fato do Projeto estar há mais de 20 anos na cidade, o que permite aos estudantes maior familiaridade com as questões relacionadas ao tema, e por terem visitado o projeto mais de uma vez.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cibele da Costa Cardoso, Universidade Federal do Rio Grande

Especialista em Diversidade e Conservação da Fauna pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul –
UFRGS e Mestre em Biologia de Ambientes Aquáticos Continentais pela Universidade Federal do Rio Grande –
FURG.

Julio Cesar Bresolin Marinho, Universidade Federal do Pampa

Mestre e Doutorando em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde pela Universidade Federal do Rio
Grande – FURG. Professor no Curso de Ciências da Natureza – Licenciatura na Universidade Federal do
Pampa, Campus Uruguaiana (RS).

Cariane Campos Trigo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mestre em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Pesquisadora do
Grupo de Estudos de Mamíferos Aquáticos do Rio Grande do Sul. Bióloga do Centro de Estudos Costeiros,
Limnológicos e Marinhos da UFRGS.

Referências

ANTUNIASSI, Maria Helena. Educação ambiental e democracia. São Paulo, SP: Gaia, 1995.

BEZERRA, Tatiana Marcela de Oliveira; FELICIANO, Ana Lícia Patriota; ALVES, ngelo Giuseppe Chaves. Percepção ambiental de alunos e professores do entorno da Estação Ecológica de Caetés – Região Metropolitana do Recife-PE. Biotemas, Florianópolis, v. 21, n. 1, p.147-160, mar. 2008.

CARVALHO, Luiz Marcelo de et al. Enfoque pedagógico: conceitos, valores e participação política. In: TRAJBER, Rachel; MANZOCHI, Lúcia Helena (Org.). Avaliando a educação ambiental no Brasil: materiais impressos. São Paulo, SP: Gaia, 1996. p.77-120.

DAYRELL, Juarez. Escola como espaço sócio-cultural. In: DAYRELL, Juarez (Org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1996. p. 136-161.

DEPRESBITERIS, Lea. Avaliação da aprendizagem na educação ambiental: uma relação muito delicada. In: SANTOS, José Eduardo dos; SATO, Michèle (Org.). A contribuição da Educação Ambiental à Esperança de Pandora. São Carlos: Rima, 2001. p. 531-556.

FERREIRA, Luiz Fernando; COUTINHO, Maria do Carmo B. Educação ambiental em estudos do meio: a experiência do bioma educação ambiental. In: SERRANO, C. (Org.). A educação pelas pedras. São Paulo: Chronos, 2000. p. 71-188.

GUSMÃO, Juliana; SCHLINDWEIN, Marcelo. Tartarugas Marinhas (Testudine: Cheloniidae): espécie-bandeira como ferramenta para conservação em Ubatuba, Litoral Norte de São Paulo. In: JORNADA SOBRE TARTARUGAS MARINHAS DO ATL NTICO SUL OCIDENTAL, 5., 2011, Florianópolis. Anais da... Florianópolis: ASO, 2011. p. 214-217.

IUCN - RED LIST. Disponível em: http://www.iucnredlist.org. Acesso em: 11 nov. 2011.

JACOBI, Pedro. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, SP, n. 118, 189-205, mar. 2003.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de ensino de Biologia. 4 ed. São Paulo, SP: EDUSP, 2008.

MACEDO, Gustavo Rodamilans et al. Ingestão de resíduos antropogênicos por tartarugas marinhas no litoral norte do estado da Bahia, Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v. 41, n. 1, p. 1938-1943, nov. 2011.

MACHADO, Julia Teixeira. Um estudo diagnóstico da Educação Ambiental nas Escolas do Ensino Fundamental do Município de Piracicaba/SP. In: ENCONTRO NACIONAL DA ANPPAS, 4., 2008, Brasília. Anais do... Brasília, DF: ANPPAS, 2008.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra Escovedo; FERREIRA, Márcia Serra. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009.

MARCOVALDI, Maria ngela; MARCOVALDI, Guy Marie Fabio Guagni Dei. Marine turtles of Brazil: the history and structure of Projeto TAMAR-IBAMA. Biological Conservation, Washington, n. 91, p. 35-41, 1999.

MARCOVALDI, Maria ngela et al. Projeto TAMAR IBAMA: Twenty-five years protecting Brazilian sea turtles through a community-based conservation programme. Marit Stud, n. 3, v. 2, p. 39–62, 2005.

MARCOVALDI, Maria ngela et al. (Org.). Plano de Ação Nacional para Conservação das Tartarugas Marinhas. 25.ed. Brasília, DF: ICMBio, 2011. 120p.

MARTINHO, Luciana Rodrigues; TALAMONI, Jandira Liria Biscalquini. Representações sobre meio ambiente de alunos da quarta série do Ensino Fundamental. Ciên. Educ., Bauru, v. 13, n. 1, p. 1-13, 2007.

MEDINA, Naná Mininni. Formação de multiplicadores para educação ambiental. In: PEDRINI, Alexandre Gusmão (Org.). O contrato social da ciência, unindo saberes em educação ambiental. Petrópolis: Vozes, 2002.

MENEGAT, Rualdo; ALMEIDA, Gerson. Desenvolvimento sustentável, participação popular e conhecimento: a gestão ambiental urbana em Porto Alegre. In: MENEGAT, Rualdo; ALMEIDA, Gerson (Org.). Desenvolvimento sustentável e gestão ambiental nas cidades: estratégias a partir de Porto Alegre. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2004.

PALMA, Ivone Rodrigues. Análise da percepção ambiental como instrumento ao planejamento da educação ambiental. 2005. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

PEREIRA, Edvânia Maria; FARRAPEIRA, Cristiane Maria Rocha; PINTO, Stefane de Lyra. Percepção e educação ambiental sobre manguezais em escolas públicas da região metropolitana do Recife. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., Rio Grande, v. 17, p. 244-261, 2006.

REIGOTA, Marcos. O meio ambiente e suas representações no ensino de ciências em São Paulo – Brasil. Boletim da Comissão Interinstitucional sobre Meio Ambiente e Educação Universitária. Uniambiente, São Paulo, v. 1, p. 27-30, 1991.

SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

UNESCO. Rapport Final du groupe d ́experts sur le project 13: la perception de la quilité du milieu dans le Programme sur I ́homme et la biosphère (MAB). Paris: Unesco, 1973.

VILLAR, Livia Melo et al. A percepção ambiental entre os habitantes da região noroeste do estado do Rio de Janeiro. Esc. Anna. Nery. Rev. Enferm., Rio de Janeiro, RJ, v. 12, n. 3, p. 537-43, set. 2008.

WANDERLINDE, Juçara et al. Projeto TAMAR–SUL: educar para conservar - estratégias de educação ambiental. In: JORNADA DE CONSERVAÇÃO E PESQUISA DE TARTARUGAS MARINHAS NO ATL NTICO SUL OCIDENTAL, 2., 2005, Rio Grande. Anais da... Rio Grande: NEMA, 2005. p. 128-130.

WWF – World Wildlife Fund – flagship species. Disponível em: http://www.worldwildlife.org/species/flagship-species.html. Acesso em: 29 maio 2012.

Downloads

Publicado

2014-11-04

Como Citar

Cardoso, C. da C., Marinho, J. C. B., & Trigo, C. C. (2014). Percepção dos estudantes que visitam um projeto sobre biologia e conservação de tartarugas marinhas. ETD - Educação Temática Digital, 16(3), 440–457. https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1308