A formação de professores para a inserção da prática ambiental: um relato de experiência

Autores

  • Ediane Machado Wollmann Universidade Federal de Santa Maria
  • Félix Alexandre Antunes Soares Universidade Federal de Santa Maria
  • Daniela Sastre Rossi Universidade Federal de Santa Maria
  • Ana Paula Santos de Lima Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1313

Palavras-chave:

Educação ambiental. Curso de formação de professores. Metodologias.

Resumo

A Educação Ambiental (EA) é estabelecida como uma dimensão da educação e precisa ser trabalhada em todos os níveis de ensino. Além disso, deve ser considerada como uma educação política que permita aos cidadãos reivindicar seus direitos e deveres. Diante disso, este estudo apresenta a descrição de um Curso de Formação realizado com docentes da rede pública de ensino, que teve por objetivo auxiliá-los na inserção e prática da EA em uma perspectiva interdisciplinar. Esta pesquisa configura-se como um estudo de caso, com abordagem descritiva-qualitativa, realizada com professores de uma escola estadual no município de Santa Maria - RS. O Curso de Formação foi dividido em três etapas: 1) Apresentação e problematização; 2) Desenvolvimento, explanação de temas e metodologias; 3) Elaboração de planos de aula. Os resultados obtidos demonstraram que os sujeitos habitualmente abordavam a EA em suas disciplinas, embora muitas vezes não soubessem como construir um trabalho interdisciplinar e dar continuidade a este. Por meio da capacitação os docentes puderam ampliar suas percepções sobre EA, além de conhecer novas estratégias metodológicas (Metodologia da Problematização e Oficinas Temáticas) para auxiliá-los em suas práticas pedagógicas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ediane Machado Wollmann, Universidade Federal de Santa Maria

Licenciada em Química pela Universidade Federal de Santa (UFSM). Mestre em Educação em Ciências pela UFSM. Atualmente é professora de Química do Instituto Federal Farroupilha e Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da UFSM.

Félix Alexandre Antunes Soares, Universidade Federal de Santa Maria

Possui Graduação em Farmácia e Bioquímica pela UFSM. Mestre e Doutor em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio grande do Sul (UFRGS). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Maria.

Daniela Sastre Rossi, Universidade Federal de Santa Maria

Licenciada em Educação Física pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestre em Educação em Ciências e Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (UFSM).

Ana Paula Santos de Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Mestre em Educação em Ciências e Doutoranda do Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde (UFRGS).

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229p.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A Problematização e a Aprendizagem Baseada em Problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Revista Interface: comunicação, saúde, educação, São Paulo, SP, v. 2. n. 2, p. 139-154, 1998c.

BRASIL. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio Ambiente. Brasília: MEC/SEF, 1997, 126p.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC /SEF, 436 p,1998 b.

BRASIL. Ministério da Educação (SECAD/MEC). Cadernos SECAD. In: HENRIQUES, R. et al. (Org.). Educação ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Brasília: MEC, 2007. 109p.

BRASIL. Lei Federal no 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 8.ed. Brasília: Câmera dos Deputados, Edições Câmeras, 2013.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Agenda 21. Disponível em: http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21. 2001. Acesso em: 23 jul. 2014.

DIAZ BORDENAVE, Juan; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

CARVALHO, Ana Maria Pessoa de; GIL PÉREZ, Daniel. Formação de professores de Ciências tendências e inovações. 10.ed. São Paulo, SP: Cortez, 2011. 128p.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da educação ambiental no Brasil. 2.ed. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2002.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. Qual educação ambiental? Elementos para um debate sobre educação ambiental e extensão rural. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre, v.2, n.2, abr./jun. 2001.

FAZENDA, Ivani. Interdisciplinaridade – Transdisciplinaridade: visões culturais e epistemológicas. In: FAZENDA, Ivani. O que é interdisciplinaridade? São Paulo, SP: Cortez, 2008.

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1980.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas a outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

GALLO, Sílvio. Transversalidade e educação: pensando uma educação não-disciplinar. In: ALVES, Nilda e GARCIA, Regina Leite. (Org.). O sentido da escola. Rio de Janeiro: DP&A, 1999. p.17-42

GARCIA, Maria de Fátima Lopes; LOURENCINI JÚNIOR, Álvaro; ZÔMPERO, Andréia de Freitas. Análise da metodologia da problematização utilizando temas da sexualidade: tendências e possibilidades. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 7., 2009, Florianópolis. Anais do... Florianópolis: ENPEC, Florianópolis, 2009.

LIB NEO, José Carlos. Didática. 2.ed. São Paulo, SP: Cortez, 1994.

MARCONDES, Maria Eunice Ribeiro. Proposições metodológicas para o ensino de Química: oficinas temáticas para a aprendizagem da Ciência e o desenvolvimento da cidadania. Em Extensão, Uberlândia, v. 7, n.1, p. 67-77, 2008. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/viewFile/20391/10861. Acesso: 23 jun. 2014.

NARCIZO, Kaliane Roberta dos Santos. Uma análise sobre a importância de trabalhar educação ambiental nas escolas. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v.2, p. 86–94, 2009. Disponível em: http://www.seer.furg.br/remea/article/view/2807/1585. Acesso em: 25 de Jun. 2014.

REIS JÚNIOR, Alfredo Morel dos. A formação do professor e a educação ambiental. 2003. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23.ed. rev. e atual. São Paulo, SP: Cortez, 2007.

TRISTÃO, Martha. A educação ambiental na formação de professores: redes de saberes. São Paulo; Vitória: Annablume/Facitec, 2004.

WOLLMANN, Ediane Machado; NICOLETTI, Elenize; SOARES, Félix Alexandre Antunes. Um estudo sobre as percepções de educação ambiental com acadêmicos e egressos do Curso de Química Licenciatura da UFSM. In: ENCONTRO DE DEBATES SOBRE O ENSINO DE QUÍMICA, 33., 2013, Ijuí. Anais do... Ijuí: EDEQ, 2013.

Downloads

Publicado

2014-12-16

Como Citar

Wollmann, E. M., Soares, F. A. A., Rossi, D. S., & Lima, A. P. S. de. (2014). A formação de professores para a inserção da prática ambiental: um relato de experiência. ETD - Educação Temática Digital, 16(3), 532–550. https://doi.org/10.20396/etd.v16i3.1313