Perspectivas de docentes do ensino superior sobre EaD no contexto brasileiro

Autores

  • Maricel Karina López Torres Universidade Federal de Santa Catarina
  • Paulo Cristiano de Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carolina Schmitt Nunes Universidade Federal de Santa Catarina
  • Marina Keiko Nakayama Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v16i1.1337

Palavras-chave:

Educação a distância. Ensino superior. Docentes. Pesquisa qualitativa. Entrevista

Resumo

A educação a distância (EaD) tem resultado em mudanças significativas no contexto educacional brasileiro, especialmente no ensino superior, onde tem se ampliado consideravelmente a oferta de vagas. O objetivo desta pesquisa é apresentar a percepção de docentes de ensino superior, que atuam em instituições públicas e privadas, sobre a institucionalização e a prática da EaD. Trata-se de uma pesquisa interpretativista, de caráter exploratório. A coleta de dados envolveu análise documental e entrevistas em profundidade com seis docentes do ensino superior que foram selecionados de forma intencional, nos estados de Santa Catarina e de São Paulo. Os resultados da análise de narrativa apontaram que a perspectiva da EaD, sob a ótica dos docentes, está voltada para uma análise crítica da realidade educacional, sendo que os mesmos têm acompanhado o movimento das instituições com interesse em EaD e se demonstram preocupados com os rumos da expansão da modalidade, principalmente no que se refere à precarização da função docente em detrimento da sobrevalorização da tecnologia e redução de custos educacionais. Quanto à visão do futuro da EaD no Brasil há divergências – aparentemente, alguns tendem a ser otimistas, enquanto outros tendem a ser pessimistas. Compreende-se que a expansão da modalidade a distância no ensino superior é um processo tão importante para a realidade educacional brasileira, quanto controverso, daí a relevância deste estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maricel Karina López Torres, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Engenharia de Produção PPGEP/UFSC, com enfoque na Concepção Ergonômica de Produtos e Processos. Somado a isso, produziu estudos sobre ergonomia aplicada em sistemas de trabalho e usabilidade e interação orientados ao desenvolvimento de produtos. Em atuação profissional desempenhou atividade docente em cursos técnicos profissionalizantes e como instrutora de cursos de qualificação profissional. Possui capacitação e experiência em Ensino e Aprendizagem por Competências (SENAI e SENAC), Educação a Distância (EaD UFSC e IFSC) e Orientação de Monografia em cursos de Pós-Graduação a Distância (IFSC/UAB). Desde 2012 vem atuando em estágio docência em disciplinas do curso de Engenharia de Materiais na UFSC, nas disciplinas de Engenharia e Gestão do Conhecimento e Engenharia e Gestão da Inovação nas quais vem disseminando o pensamento de design, abordando temas como Design Thinking e Service Design. Pesquisa temas na área de Gestão de Conhecimento, como: inovação em serviços, gestão de pessoas (foco em relações interpessoais e confiança), compartilhamento de conhecimento, gestão de processos e educação a distância.

Paulo Cristiano de Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) - 2006. Especialização em Gerência de Projetos de Tecnologia da Informação pela Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL). Graduado em Informática (Análise de Sistemas) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) - 2002. Possui publicações científicas em periódicos e eventos nacionais de reconhecida relevância acadêmica como Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (ENANPAD), Encontro de Administração da Informação (ENADI) e Encontro da Divisão de Estudos Organizacionais da ANPAD (ENEO) e internacionais como World Conference on Distance Education (ICDE), International Conference Advances in Production Management Systems (APMS), Congreso Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica (ALTEC), Consejo Latinoamericano de Escuelas de Administración (CLADEA) e International Conference on Information Systems and Technology Management (CONTECSI). Membro do Grupo de Estudos e Observação de Gestão, Aprendizagem e Pessoas (NEOGAP) do PPG-EGC/UFSC. Áreas de interesse em pesquisa: pesquisa qualitativa, grounded theory, educação a distância, avaliação, indicadores, gestão de sistemas de informação, gestão da tecnologia da informação.

Carolina Schmitt Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda e Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento na Universidade Federal de Santa Catarina na área de mídia e conhecimento. É Administradora pela Universidade Federal de Santa Catarina, desenvolveu seu trabalho de conclusão de curso e a dissertação em compartilhamento de conhecimento na EaD. Durante a graduação realizou atividades de monitoria, consultoria e pesquisa nas áreas de Recursos Humanos e Logística. Atualmente atua em projetos de Educação a Distância e avaliação de tecnologias educacional e realiza estágio docência em disciplinas de gestão do conhecimento para a graduação. É pesquisadora do Núcleo de Estudos e Observação de Gestão, Aprendizagem e Pessoas - NEOGAP. Áreas de interesse em pesquisa: compartilhamento de conhecimento, gestão de pessoas, confiança, redes sociais, tecnologia educacional.

Marina Keiko Nakayama, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorado em administração na UFRGS, com estágio na HEC-Montreal-Canadá, concluído em 1997. Mestrado em Administração pela UFRGS e graduação em psicologia. Ministra as disciplinas de método cientifico em Engenharia e Gestão do Conhecimento, desenvolvimento humano e métodos qualitativos no Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC e ministra as disciplinas de Engenharia e Gestão do Conhecimento e Engenharia e Gestão da Inovação no curso de Engenharia de Materiais. Pesquisa na área de gestão do conhecimento, compartilhamento do conhecimento, ensino à distância, gestão de pessoas (foco em relações interpessoais)e segurança pública e tem como principal linha de pesquisa a questão da confiança no ambiente organizacional e de aprendizagem. Coordenadora do grupo de pesquisa NEOGAP (Núcleo de Estudos e Observação em Gestão, Aprendizagem e Pessoas) .

Referências

ABREU-DE-LIMA, Denise Martins de; ALVES, Mario Nunes. O feedback e sua importância no processo de tutoria a distância. Pro-Posições, Campinas, v. 22, n. 2, p.189-205, 2011.

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcin. Formando professores para atuar em ambientes virtuais de aprendizagem. In: ALMEIDA, Fernando. (Coord). Projeto Nave. Educação a distância: formação de professores em ambientes virtuais e colaborativos de aprendizagem. São Paulo: [s.n.], 2001.

ALONSO, Kátia Morosov. Educação a distância e tutoria. In: ALONSO, Kátia Morosov; RODRIGUES, Rosângela Sschuars; BARBOSA, Joaquim Gonçalves. (Coord). Educação a distância: práticas, reflexões e cenários plurais. Cuiabá: Central do Texto: EdUFMT, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BELLONI, Maria Luiza. Educação a distância. 5 ed. Campinas: Autores Associados, 2009

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. Referenciais de qualidade para educação superior a distância. Brasília, DF, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf. Acesso em: 14 abr. 2012.

BRASIL. Decreto 5.800, de 8 de junho de 2006, Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, ano CXLIII, n. 110, seção 1, p. 4, 09 de jun. 2006.

BRASIL. Decreto no 5.622, de 19 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 de dez. 2005. Disponível em: http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=1&data=20/12/2005. Acesso em: 14 abr. 2012.

BRASIL. Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 de dez. 1996. Seção 1, p. 27833-27841. Disponível em: http://www.in.gov.br/imprensa/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=1&data=23/12/1996. Acesso em 16 abr. 2012.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES). Universidade Aberta do Brasil. Novo Portal Capes. Disponível em: http://uab.capes.gov.br. Acesso em 24 ago. 2012.

FRANÇA, Cristineide Leandro; MATTA, Karen Weizemann da Matta; ALVES, Elioenai Dornelles Alves. Psicologia e educação a distância: uma Revisão Bibliográfica. Psicologia, Ciência e Profissão, v. 32, n. 1, p.4-15, 2012.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOMES, Luiz Fernando. EaD no Brasil: perspectivas e desafios. Avaliação, Campinas, v. 18, n. 1, p.13-22, 2013.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo da educação superior 2010: resumo técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2012. Disponível em: http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/resumos-tecnicos. Acesso em 24 ago. 2012.

KRAMER, Erica Coester. Educação a distância: da teoria à prática. Porto Alegre: Alternativa, 1999.

MACKAY, Stephen; STOCKPORT, Gary. Blended learning, classroom and e-learning. The business review - Cambridge, v. 5, n. 1, p. 82-88, 2006.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Sistema e-MEC. Disponível em: http://emec.mec.gov.br. Acesso em 24 ago. 2012.

MOORE, Michael; KEARSLEY, Greg. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

MORGAN, Gareth. Paradigmas, metáforas e resolução de quebra-cabeças na teoria das organizações. In: CALDAS, Miguel; BERTERO, Carlos Osmar (Org.). Teoria das organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 12-33.

NUNES, Ivônio Barros. Noções de educação a distância. Revista Educação a Distância, Brasília, n. 4/5, dez./abr. 1993-1994.

NISKIER, Arnaldo. A educação na virada do século. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 2001.

OLIVEIRA, Paulo Cristiano de; NAKAYAMA, Marina Keiko; PILLA, Bianca Smith. Avaliação de sistemas de educação a distância via web: o caso do Senac EaD. In: ENCONTRO DE ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO – ENADI, 3, 2011, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ANPAD, 2011.

RIBEIRO, Alexandre; SILVA, João; BOFF, Elisa; VICCARI, Rosa. Dos ambientes de aprendizagem às comunidades de prática. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO, 22., 2011, Aracaju. Anais... Aracaju: SBIE, 2011.

ROESCH, Sylvia Maria Azevedo. Projetos de estágio do curso de administração. São Paulo: Atlas, 1996.

SCHLÜNZEN JUNIOR, Klaus. Educação a distância no Brasil: caminhos, políticas e perspectivas. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 10, n. 2, p.16-36, jun. 2009.

TAYLOR, Steven; BOGDAN, Robert. Introduction to qualitative research methods: a guidebook and resource. 3.ed. New York: John Wiley, 1997.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2011.

VERGARA, Constant Vergara; CALDAS, Miguel Caldas. Paradigma interpretacionista: a busca da superação do objetivismo funcionalista nos anos 1980 e 1990. In: CALDAS, Miguel

Caldas; BERTERO, Carlos Osmar (Org.). Teoria das organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 223-234.

Downloads

Publicado

2014-04-24

Como Citar

Torres, M. K. L., Oliveira, P. C. de, Nunes, C. S., & Nakayama, M. K. (2014). Perspectivas de docentes do ensino superior sobre EaD no contexto brasileiro. ETD - Educação Temática Digital, 16(1), 192–209. https://doi.org/10.20396/etd.v16i1.1337