(Des)governos...: biopolítica, governamentalidade e educação contemporânea

Maria Rita de Assis César

Resumo


Esse texto reflete sobre a institucionalização da educação no projeto da modernidade a partir de conceitos oriundos da obra de Michel Foucault, como disciplina, sociedade disciplinar e biopolítica. A partir dessa reflexão sobre a formação da instituição educacional moderna como objeto de investigação histórico e localizado temporalmente, o texto assume o desafio de pensar as transformações que ocorreram nas últimas décadas e transformaram o projeto educacional moderno, constituindo a chamada pedagogia do controle. Essa reflexão se deu a partir dos conceitos foucaultianos de governamentalidade e biopolítica, além do conceito deleuziano de sociedade de controle. Além desse diagnóstico do presente, o texto também oferece um ensaio sobre as possibilidades de uma educação a partir da diferença e da pedagogia queer.


Palavras-chave


Escola disciplinar. Pedagogia do controle. Biopolítica. Governamentalidade. Pedagogia queer.

Texto completo:

PDF

Referências


BUTLER, J. La questión de la transformación social. In: BERCK-GERNSHEIM, E.; BUTLER, J.; PUIGVERT, L. (Comp.). Mujeres y transformaciones sociales. Barcelona: El Roure, 2001, p. 07-30.

CERVI, G. M. Política de gestão escolar na sociedade de controle. 2010. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

CÉSAR, M. R. A. Da escola disciplinar à pedagogia do controle. 2004. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas 2004.

DELEUZE, G. POST-SCRIPTUM sobre a sociedade de controle. In: DELEUZE, G. Conversações. Rio de Janeiro, RJ: Ed. 34, 1996, p. 219-226.

FOUCAULT, M. A governamentalidade. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro, RJ: Graal, 1984c, p. 277-293.

FOUCAULT, M. Dits et écrits. Paris: Gallimard, 1994. (v.3).

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber. 5. ed. Rio de Janeiro, RJ: Graal, 1984b. (v.1).

FOUCAULT, M. Naissance de la biopolitique. Paris: Gallimard, 2004b.

FOUCAULT, M. Sécurité, territoire, population. Paris: Gallimard, 2004a.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 1984a.

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

SCLIAR, C. A materialidade da morte e o eufemismo da tolerância: duas faces, dentre milhões de faces, desse monstro (humano) chamado racismo In: GALLO, S; SOUZA, R. M. (Org.) Educação e preconceito: ensaios sobre poder e resistência. Campinas: Alínea, 2004. p. 69-90.

VEIGA-NETO, A. As crianças ainda devem ir à escola? In: CANDAU, V. M. (Org.). Linguagens, espaços e tempos no ensinar e aprender: Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino – ENDIPE. Rio de Janeiro, RJ: DP&A, 2000. p. 09-19.

VEIGA-NETO, A. Coisas de Governo... In: RAGO, M.; ORLANDI, L. B. L.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro, RJ: DP&A, 2002. p. 13-34.

VEIGA-NETO, A. Conexões... In: OLIVEIRA, M. R. N. S. (Org.). Confluências e divergências entre didática e currículo. Campinas: Papirus, 1998. p. 101-130.

VEYNE, P. Como se escreve a história: Foucault revoluciona a história. Cadernos UnB, Distrito Federal, 1982.




DOI: https://doi.org/10.20396/etd.v12i1.850

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 ETD - Educação Temática Digital

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ETD - Educ. Temat. Digit., Campinas (SP) - ISSN 1676-2592.