Currículo da formação de professores nas Ciências Biológicas: por uma abordagem discursiva para investigar a relação entre teoria e prática

Autores

  • Marcia Serra Ferreira Faculdade de Educação e Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Andre Vitor Fernandes dos Santos Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
  • Leticia Terreri Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v18i2.8644089

Palavras-chave:

Currículo. Relação teoria-prática. Formação de professores. Ciências Biológicas. Políticas públicas em educação.

Resumo

O artigo apresenta o modo como vimos produzindo uma abordagem discursiva para investigar a história de diferentes currículos e disciplinas acadêmicas, em meio às políticas voltadas para a formação de professores, com especial interesse na relação entre teoria e prática em cursos na área das Ciências Biológicas. Buscando compreender a produção das políticas como uma possibilidade de construção de uma história do (e no) tempo presente, investimos no diálogo com Michel Foucault e alguns de seus interlocutores no campo do Currículo. Aproximando-nos de Thomas Popkewitz, consideramos que a distinção entre teoria e prática é parte dos dispositivos que constroem os próprios professores, constituindo um par binário no qual a significação do primeiro termo alimenta o sentido do segundo e vice-versa, criando regras para a formação de professores. As reformas curriculares situam-se, então, em meio a um sistema de raciocínio no qual a distinção entre teoria e prática é parte da estrutura que fixa papéis, produzindo efeitos de verdade. Em relação às Ciências Biológicas, tais sentidos têm sido elaborados em meio a discursos que aproximam e, simultaneamente, afastam as práticas científica e docente, criando carga horária prática a partir de temáticas e metodologias advindas da ciência de referência ou, então, da cultura da escola. Nesse movimento, 'antigos' e 'novos' componentes curriculares produzem e legitimam noções de conhecimento, pesquisa, ensino e extensão que significam a teoria e a prática conjuntamente, em um sistema de relações por meio do qual nos definimos como bons ou maus professores de Ciências e Biologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Serra Ferreira, Faculdade de Educação e Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professora Associada da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisadora nível 2 do CNPq e Jovem Cientista do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), coordena o Grupo de Estudos em História do Currículo, no âmbito do Núcleo de Estudos de Currículo (NEC/UFRJ).

Andre Vitor Fernandes dos Santos, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFRJ) e Pesquisador-Tecnologista do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Foi Visiting Scholar na University of Wisconsin-Madison com bolsa Capes. Membro do Grupo de Estudos em História do Currículo, no âmbito do Núcleo de Estudos de Currículo (NEC/UFRJ). 

Leticia Terreri, Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFRJ) e Pesquisadora-Tecnologista do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Membro do Grupo de Estudos em História do Currículo, no âmbito do Núcleo de Estudos de Currículo (NEC/UFRJ).

Referências

ANDRADE, Everardo Paiva; FERREIRA, Marcia Serra; VILELA, Mariana Lima; AYRES et al. A dimensão prática na formação inicial docente em Ciências Biológicas e em História: modelos formativos em disputa. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, MG, v. 12, n. 01, p. 07-19. jul./03./jul.04. Disponível em: <http://goo.gl/eUfqhW>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1983-1730.

AYRES, Ana Cléa Moreira. Tensão entre matrizes: um estudo a partir do curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Formação de Professores/UERJ. 2005. 183 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2006. Disponível em: <http://goo.gl/sKgh99>. Acesso em: 10 mar. 2016.

BOWE, Richard; BALL, Stephen J.; GOLD, Anne. Reforming education & changing schools: case studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

DIAS, Rosanne Evangelista; LÓPEZ, Silvia Braña. Conhecimento, interesse e poder na produção de políticas curriculares. Currículo sem Fronteiras, Rio de Janeiro, RJ, v. 06, n. 02, p. 53-66, jul./dez. 2006. Disponível em: <http://goo.gl/lVE8Nb>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1645-1384.

FERREIRA, Marcia Serra. História do currículo e das disciplinas: apontamentos de pesquisa. In: FAVACHO, André Márcio Picanço; PACHECO, José Augusto; SALES, Shirlei Rezende (Orgs.). Currículo, conhecimento e avaliação: divergências e tensões. Curitiba: CRV, p. 75-88, 2013.

FERREIRA, Marcia Serra. História do currículo e das disciplinas: produzindo uma abordagem discursiva para investigar a formação inicial de professores nas Ciências Biológicas. In: LEITE, Miriam Soares; GABRIEL, Carmen Teresa (Orgs.). Linguagem, discurso, pesquisa e educação. Petrópolis: De Petrus: FAPERJ, 2015, p. 265-284.

FERREIRA, Marcia Serra; SOUSA, Bianca Gonçalves; CASARIEGO, Florence Mendez. História do currículo: investigando a formação inicial de professores nas Ciências Biológicas em instituições no estado do Rio de Janeiro. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 9., 2013, Águas de Lindóia, SP. Atas... Águas de Lindóia: ENPEC, 2013, p. 01-07. Disponível em: <http://goo.gl/sWDMP2>. Acesso em: 10 mar. 2016.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Foucault revoluciona a pesquisa em educação? Perspectiva, Florianópolis, SC, v. 21, n. 02, p. 371-389. jul./dez. 2003. Disponível em:

<https://goo.gl/Rs0nio>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 2175-795X.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Trabalhar com Foucault: arqueologia de uma paixão. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

GABRIEL, Carmen Teresa. Teoria da História, didática da História e narrativa: diálogos com Paul Ricoeur. Revista Brasileira de História, São Paulo, SP, v. 32, n. 64, p. 187-210. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/I5kMCa>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1806-9347.

GABRIEL, Carmen Teresa. Conhecimento científico e currículo: anotações sobre uma articulação impossível e necessária. Revista Teias, Rio de Janeiro, RJ, v. 14, n. 33, p. 44-57. 2013. Disponível em: <http://goo.gl/Qsk1ln>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1982-0305.

GARCIA CANCLINI, Nestor. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: EDUSP, 2000.

GOODSON, Ivor. A construção social do currículo. Lisboa: Educa, 1997.

HACKING, Ian. Kinds of people: moving targets. Proceedings of the British Academy. Oxford: Oxford University Press, 2007.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, Porto Alegre, RS, v. 22, n. 02, p. 15-46. jul./dez. 1997. Disponível em: <http://goo.gl/5WL8A>. Acesso em: 10 mar. 2016. ISSN 2175-6236.

LOPES, Alice Casimiro. Política de currículo: recontextualização e hibridismo. Currículo sem Fronteiras, Rio de Janeiro, RJ, v. 05, n. 02, p. 50-64. jul./dez. 2005. Disponível em:

<http://goo.gl/DEOvDa>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1645-1384.

POPKEWITZ, Thomas. Cosmopolitanism and the age of school reform: Science, education, and making society by making the child. New York: Routledge, 2008.

POPKEWITZ, Thomas. História do currículo, regulação social e poder. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). O sujeito da educação: estudos foucaultianos. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1994, p. 173-210.

POPKEWITZ, Thomas. Lutando em defesa da alma: a política do ensino e a construção do professor. Porto Alegre: Artmed, 2001.

POPKEWITZ, Thomas. Reforma educacional: uma política sociológica. Poder e conhecimento em educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

POPKEWITZ, Thomas. Social epistemology, the reason of “reason” and the curriculum studies. Education Policy Analysis Archives, Arizona, Estados Unidos, v. 22, n. 22, p. 01-23. 2014. Disponível em: <http://goo.gl/g9NevQ>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1068-2341.

SOUZA, Priscila Feitosa de; FONSECA, Liliane Ramos da; ETTER, Fernanda et al. Prática como componente curricular: entre tradições e novidades no currículo da formação de professores nas Ciências Biológicas. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 10., 2015, Águas de Lindóia, SP. Atas... Águas de Lindóia: ENPEC, 2015, p. 01-08. Disponível em: <http://goo.gl/bBnGjS>. Acesso em: 10 mar. 2016.

TERRERI, Letícia. Políticas curriculares para a formação de professores em Ciências Biológicas: investigando sentidos de prática. 2008. 198 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2008. Disponível em: <http://goo.gl/067LHM>. Acesso em: 10 mar. 2016.

TERRERI, Letícia; FERREIRA, Marcia Serra. Políticas curriculares para a formação de professores: sentidos de teoria e prática nas Ciências Biológicas. Revista de Educação Pública, Cuiabá, MT, v. 22, n. 51, p. 999-1020. set./dez. 2013. Disponível em: < http://goo.gl/3hc7Ve>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 2238-2097.

VEIGA-NETO, Alfredo. Teoria e método em Michel Foucault (im)possibilidades. Cadernos de Educação, Pelotas, RS, n. 34, p. 83-94. set./dez. 2009. Disponível em:

<https://goo.gl/rzJ4v4>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 2178-079X.

VEIGA-NETO, Alfredo. É preciso ir aos porões. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, v.17, n. 50, p. 267-282. mai./ago. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/y1jOeU>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1809-449X.

VIANA, Gabriel Menezes; MUNFORD, Danusa; FERREIRA, Marcia Serra et al. Construindo sentidos de relações teoria-prática na formação de professores de Ciências da Natureza e Biologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 9., 2013, Águas de Lindóia, SP. Atas... Águas de Lindóia: ENPEC, 2013. p. 01-08. Disponível em: <http://goo.gl/UUORJX>. Acesso em: 10 mar. 2016.

VIANA, Gabriel Menezes; MUNFORD, Danusa; FERREIRA, Marcia Serra et al. Relações entre teoria e prática na formação de professores: investigando práticas sociais em disciplina acadêmica de um curso nas Ciências Biológicas. Educação em Revista, Belo Horizonte, MG, v. 28, n. 04, p. 17-49. dez. 2012. Disponível em: <http://goo.gl/19mq1C>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1982-6621.

VIANA, Gabriel Menezes; MUNFORD, Danusa; FERREIRA, Marcia Serra et al. Relações teoria-prática na formação de professores de Ciências: um estudo das interações discursivas no interior de uma disciplina acadêmica. Education Policy Analysis Archives, Arizona, Estados Unidos, v. 23, n. 100. out. 2015. Disponível em: <http://goo.gl/Yqh8nB>. Acesso em: 08 mar. 2016. ISSN 1068-2341.

Downloads

Publicado

2016-07-05

Como Citar

FERREIRA, M. S.; DOS SANTOS, A. V. F.; TERRERI, L. Currículo da formação de professores nas Ciências Biológicas: por uma abordagem discursiva para investigar a relação entre teoria e prática. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 18, n. 2, p. 495–510, 2016. DOI: 10.20396/etd.v18i2.8644089. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8644089. Acesso em: 8 dez. 2021.