Cidades Virtuais: a inovação no processo de ensinoaprendizagem universitário com a utilização do jogo SimCity

Palavras-chave: Inovação. Processo de Ensino-aprendizagem. Tecnologias. SimCity.

Resumo

No século XXI, em plena revolução tecnológica e era da informação, o Professor é cotidianamente desafiado a se reinventar e buscar formas, processos, métodos, ferramentas e recursos didático-pedagógicos cativantes e inovadores. O modelo mental do estudante contemporâneo não se satisfaz com o tradicional ensinar por meio de lousa/quadro, giz/pincel e aula expositiva. Nesse contexto, o profissional-chave da educação deve lançar mão e se apropriar das novas tecnologias, na perspectiva da inovação, para tornar o processo de ensinoaprendizagem mais eficiente e eficaz. De maneira geral, este trabalho busca trazer à luz a experiência do projeto “Cidades Virtuais”. O projeto “Cidades Virtuais” consiste na introdução planejada de uma dinâmica didático-pedagógica empreendida no curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Vila Velha (UVV), que possibilita a utilização do famoso jogo SimCity para favorecer a conexão dos conhecimentos teórico-conceituais com as atividades práticas em ambiente virtual. Sendo implementado desde agosto de 2014, o referido projeto está proporcionando um maior envolvimento por parte dos alunos de Arquitetura e Urbanismo da UVV, bem como uma maior difusão, compartilhamento de ideias e inserção social de práticas de ensinoaprendizagem inovadoras, na comunidade científica, o que amplia as possibilidades de aperfeiçoamento e replicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pablo Silva Lira, Universidade Vila Velha (UVV)

Doutorando em Geografia (UFES, Brasil); Mestre em Arquitetura e Urbanismo (UFES, Brasil); Especialista em Conservação Ambiental (UFES, Brasil); Aperfeiçoamento em Planejamento Urbano (Universidade de Cergy-Pontoise, França); Bacharel em Geografia (UFES, Brasil); Lecenciatura Plena em Geografia (UFES, Brasil).

Professor da Graduação de Arquitetura e Urbanismo e do Mestrado de Segurança Pública da Universidade Vila Velha (UVV, Brasil).

Especialista em Estudos e Pesquisas Governamentais do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN, Brasil)

Lattes: http://lattes.cnpq.br/1429716140765041 

Referências

ABEA, Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo. Cadernos ABEA. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2016.

BENÉVOLO, Leonardo. História da arquitetura moderna. São Paulo - SP: Perspectiva, 1989.

CARLOS, Ana Fani A. A cidade. 7ª ed. São Paulo - SP: Contexto, 2003.

CASTELLS, Manuel. A questão urbana. Rio de Janeiro - RJ: Paz e Terra, 1983.

CAVALCANTI, Clóvis (org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez, 1995.

CORRÊA, Roberto. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1989.

FERNANDES, Edésio. Do código civil ao estatuto da cidade: algumas notas sobre a trajetória do direito urbanístico no Brasil. In: VALENÇA, Márcio (org.). Cidade (I)Legal. Rio de Janeiro - RJ: Mauad X, 2008, pp. 43-62.

FERRARI, Célson. Curso de planejamento municipal integrado. São Paulo - SP: Pioneira, 1982.

GENTILLI, Pablo (org.) Pedagogia da exclusão? Crítica ao neoliberalismo em educação. Petrópolis. Petrópolis - RJ: Vozes, 2001.

HARVEY, David. A justiça social e a cidade. São Paulo - SP: Hucitec, 1980.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. 16. ed. São Paulo - SP: Loyola, 2007.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. Regiões de Influência das Cidades –

REGIC 2007. Rio de Janeiro: IBGE, 2008.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia E Estatística. Series estatísticas. Disponível em: . Acesso em: 03 fev. 2016.

JOLY, Fernando. A cartografia. Campinas - SP: Papirus, 1990.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte - MG: Ed. UFMG, 1999.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo - SP: Documentos, 1969.

LYNCH, Kevin. A boa forma da cidade. Lisboa - POR: Edições 70, 1999.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. São Paulo - SP: Martins Fontes, 1980.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MENDES, Rosana. GRANDO, Regina. O jogo computacional SimCity 4 e suas potencialidades pedagógicas para as aulas de matemática. In: Zetetiké: Revista de educação matemática. Cempem - FE - UNICAMP, v. 16, n. 29, jan./jun. 2008.

MONTEIRO, Ana Maria et al. (orgs.). A construção de um novo olhar sobre o ensino de arquitetura e urbanismo no Brasil: os 40 anos da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo. Brasília: ABEA, 2013.

MOURA, Manoel. A construção do signo numérico em situação de ensino. Tese de doutorado em educação. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo - USP, 1992.

NASCIMENTO, José. ALBUQUERQUE, Glauce. Caminhos (re)buscados e (re)criados em uma cidade barroca: uma experiência de atividade integrada em componentes curriculares do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFRN. In: Anais do XXXIV Encontro Nacional sobre Ensino de Arquitetura e Urbanismo - ENSEA e XVIII Congresso Nacional da Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo - CONABEA. Natal: ABEA, 2015, pp. 308-320.

OCDE, Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Manual de Oslo: diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação. 3. ed. Brasília: ARTI/FINEP, 2005.

ONU, Organização das Nações Unidas. Department of Economic and Social Affairs - ESA. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2016.

ONU, Organização das Nações Unidas. World urbanization prospects: the 2014 revision. Nova Iorque: 2015. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2016.

RIBEIRO, Luiz Cesar. A ordem urbana na metrópole do Rio de Janeiro: caminhos e síntese. In: RIBEIRO, Luiz Cesar (editor). Rio de Janeiro: transformações na ordem urbana: território, coesão social e governança democrática. Rio de Janeiro: Letra Capital; Observatório das Metrópoles, 2015.

RIBEIRO, Luiz Cesar. Transformações da Ordem Urbana na Metrópole Liberal-Periférica: 1980/2010. Hipóteses e estratégia teórico-metodológica para estudo comparativo. Rio de Janeiro: Observatório das Metrópoles, 2013.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo - SP: Edusp, 2006.

SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 5. ed. São Paulo - SP: Edusp, 2005.

SANTOS, Milton. Espaço e método. 3. ed. São Paulo - SP: Nobel, 1992.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. 2. ed. São Paulo - SP: Edusp, 2004.

Publicado
2017-04-27
Como Citar
Lira, P. S. (2017). Cidades Virtuais: a inovação no processo de ensinoaprendizagem universitário com a utilização do jogo SimCity. ETD - Educação Temática Digital, 19(2), 532-549. https://doi.org/10.20396/etd.v19i2.8645826