Crianças, dispositivos móveis e aprendizagens formais e informais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v20i1.8647545

Palavras-chave:

Crianças. Práticas culturais. Escola. Aprendizagem situada.

Resumo

As mudanças nos lugares que as crianças ocupam na sociedade, suas formas de socialização e suas práticas lúdicas e culturais contribuem para a construção de novos modos de aprendizagem, cada vez mais mediados pelo uso de dispositivos móveis que desencadeiam a emergência de novas metodologias e espaços de formação. Nesse sentido, desenvolvemos uma pesquisa qualitativa com crianças sobre as práticas de multiletramentos e aprendizagens formais e informais na cultura digital, a fim de identificar e fortalecer os diálogos entre os contextos escolares e culturais com a aplicação da metodologia dos Episódios de Aprendizagem Situados, EAS. A investigação envolveu observações, intervenções didáticas, entrevistas e grupos focais com crianças de diferentes faixas etárias em duas escolas públicas de Florianópolis, SC/Brasil, entre 2014/2015. Análises parciais revelam que as práticas midiáticas das crianças com dispositivos móveis fora da escola, quando articuladas às propostas mídia-educativas, podem desencadear aprendizagens significativas e deslocar os protagonismos dos dispositivos em busca de novas possibilidades de autoria infantil. Práticas que  interpelam os que atuam com educação e desafiam a pensar em novas formas de mediação diante dos contornos dessa nova paisagem cultural. Neste texto discutimos os fundamentos teóricos da relação crianças, dispositivos móveis e aprendizagens, a metodologia da pesquisa com o foco na estratégia de aprendizagem learning by doing, algumas narrativas dos episódios e as considerações sobre as práticas dos estudantes com os dispositivos móveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Fantin, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora Associada do Departamento de Metodologia do Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC. Líder do Grupo de Pesquisa Núcleo Infância Comunicação Cultura de Arte, NICA, UFSC/CNPq.  

Referências

BELLAND, Louis-Philippe ; MURPHY, Richard. Technology, distraction& student performance. London: Centre for Economic Performance, 2015.

BERTHOZ, Alain. La Semplesssità. Torino: Codice, 2012.

BOYD, Danah. It’s complicated.The social lives of networked teens. London: Yale University, 2014.

BUCKINGHAM, David. (Ed.) Youth, Identity and Digital Media. Cambridge: MIT Press, 2007.

CARBOTTI, Silvia. App per l’infanzia: linee guida per una progettazione efficace. Form@re, Firenze, v. 15, n. 1, p. 159-169, 2015.

CAVICCHIOLI, Gabriela Spagnuolo. Competências audiovisuais e os novos letramentos na escola. 2015. 202f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

COPE, Bill; KALANTZIS, Mary (Ed.).Multiliteracies: literacy learning and the design of social futures. New York: Routledge, 2000.

EUGENI, Ruggero. Nativi posmediali: alcuni compiti educativi dell’istruizone scolastica. OPPInformazioni, Milano, v. 42, n. 118, p. 22-29, jan./ago. 2015.

FANTIN, Monica. Perspectives on Media Literacy, Digital Literacy and Information Literacy.International Journal of Digital Literacy and Digital Competence, Cassino, v. 1 n. 4, p. 10-15, out./dez. 2010.

FANTIN, Monica. Novos Paradigmas da Didática e a Proposta Metodológica dos Episódios de Aprendizagem Situada, EAS. Educação &Realidade, Porto Alegre, v. 40, n. 2, p.443-464, abr./jun. 2015. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/46056/33409 . Acesso em: 25 nov. 2016.

FANTIN, Monica. Estudantes e laptop na escola; práticas e diálogos possíveis. In: QUARTIERO, Elisa Maria; BONILLA, Maria Helena Silveira; FANTIN, Monica (Orgs.) Projeto UCA:entusiasmos e encantamentos de uma política pública. Salvador: Edufba, 2015a. p. 187-238.

FANTIN, Monica. Crianças e games na escola: entre paisagens e práticas. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, v. 13, n. 1, p. 195-208, jan./jun. 2015b. Disponível em:

http://revistalatinoamericanaumanizales.cinde.org.co/?page_id=4252 Acesso em: 25 nov. 2016.

FANTIN, Monica. Aproximações aos EAS: aprendizagens, dispositivos móveis e multiliteracies na formação de crianças, jovens e professores.SEMINÁRIO DE PESQUISA EM MÍDIA-EDUCAÇÃO, 5.SEMINÁRIO MULTIDEAS, 1. Florianópolis, 9 e 10 dez. 2015. Anais... Florianópolis: UFSC, 2015c. p. 10.

FANTIN, Monica. Nativos e imigrantes digitais em questão: crianças e competências midiáticas na escola. Passagens, Fortaleza,v. 7, n. 1, p. 5-26, 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/passagens/article/view/3652/3279 Acesso em: 25 mar. 2017.

FREINET, Celestin. La Scuola del Fare.Bergamo: Junior, 2002.

KINCHELOE, Joe. Describing the Bricolage: Conceptualizing a New Rigor in Qualitative Research.Qualitative Inquiry, [S.l], v. 7, n. 6, p. 679-692, 2001.

GARDNER, Howard; DAVIS, Katie. Generazione App. Milano: Feltrinelli, 2013.

GEE, James Paul. What videogames have to teach us about learning and literacy.New York: Palgrave MacMillan, 2007.

GOLEMAN, David. Inteligência Social. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

LANKSHEAR, Colin; KNOBEL, Michele. Nuevos alfabetismos.Su práctica cotidiana y el aprendizaje en el aula.3. ed. Madrid: Ediciones Morata, 2011.

MAZUR, Erick. Peer Instruction:getting students to think in class. New York: American Institute of Pysics, 2007.

MIRANDA, Lyana T. Aproximações com a metodologia EAS no 6º Ano. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM MÍDIA-EDUCAÇÃO, 5. SEMINÁRIO MULTIDEAS, 1.Florianópolis, 9 e 10 dez. 2015. Anais... Florianópolis: UFSC, 2015. p. 22-29.

MIRANDA, Lyana; FANTIN, Monica. A singularidade na multiplicidade: crianças e tecnologias móveis na escola no contexto da cultura digital. Revista Tempos e Espaços em Educação,São Cristóvão,v. 8, n. 17, p. 85-97, set./dez. 2015. Disponível em: http://www.seer.ufs.br/index.php/revtee/article/view/4516/3712 . Acesso em: 25 nov. 2016.

MULLER, Juliana. Aproximações com a metodologia EAS no 5º Ano. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM MÍDIA-EDUCAÇÃO, 5. SEMINÁRIO MULTIDEAS, 1. Florianópolis, 9 e 10 dez. 2015. Anais... Florianópolis: UFSC, 2015. p. 30-36.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Fare Didattica con gli EAS.Episodi di Apprendimento Situati. Brescia: La Scuola, 2013.

RIVOLTELLA, Pier Cesare. Che cos’è un EAS:L’idea, il metodo, la didattica. Brescia: La Scuola, 2016.

SARMENTO, Manuel; PINTO, Manuel. As crianças: contextos e identidades. Braga: Centro de Estudos da Criança. Braga: Universidade do Minho,1997.

STEINBERG, Stacey, B. Sharenting: Children’s Privacy in the Age of Social Media. Forthcoming, Emory Law Journal, [S.l], Series Paper n. 16-41, p. 839-884, 7 jan. 2016 Disponível em: Document2 https://papers.ssrn.com/sol3/papers2.cfm?abstract_id=2711442 Acesso em: 15 fev. 2017.

TISSERON, Serge. 3-6-9-12 Diventare grande all’epoca degli schermi digitali. Brescia: La Scuola, 2016.

Downloads

Publicado

2018-01-15

Como Citar

FANTIN, M. Crianças, dispositivos móveis e aprendizagens formais e informais. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 66–80, 2018. DOI: 10.20396/etd.v20i1.8647545. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8647545. Acesso em: 4 dez. 2021.