Coletivos, ocupações e protestos secundaristas: a fênix, o leão e a criança

  • Davis Moreira Alvim Instituto Federal do Espírito Santo
  • Alexsandro Rodrigues Universidade Federal do Espírito Santo
Palavras-chave: Movimento estudantil. Resistência à escola. Democratização da educação.

Resumo

Pretende-se cartografar resistências secundaristas, indagando em que medida a construção da democracia, o aprendizado do comum e a conversação entre as diferenças podem ser suscitadas por resistências no campo educativo, especialmente na forma de coletivos, ocupações e protestos. Por meio do método cartográfico, busca-se encontrar campos de forças e potências das lutas, investigando a afirmatividade combativa e criativa das resistências. Demonstra-se que as lutas estudantis produzem contornos de um ensino, uma aprendizagem e uma convivência autônomos, envolvendo a construção de uma educação horizontal, prefigurando formas coletivas de liberdade e responsabilidade direcionadas pela horizontalidade de processos decisórios e ensaiando uma cultura educacional democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davis Moreira Alvim, Instituto Federal do Espírito Santo
Professor efetivo do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes). Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional (Ufes) e do Programa de Pós-graduação em Ensino de Humanidades (Ifes). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Sexualidades (Ufes) e do coletivo Colorifes.
Alexsandro Rodrigues, Universidade Federal do Espírito Santo
Professor da Universidade Federal do Espírito Santo. Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional na linha de pesquisa:Subjetividade, Processos Educacionais e Trabalho. Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Sexualidade da Ufes e do Núcleo de Pesquisa em Sexualidade da Ufes.

Referências

AGUIAR, Plínio. Campanha “Vai Ter Shortinhos Sim!” derruba proibição de “roupa curta” para meninas em escola de SP. Disponível em: http://noticias.r7.com/sao-paulo/campanha-vai-ter-shortinhos-sim-derruba-proibicao-de-roupa-curta-para-meninas-em-escola-de-sp-08112015. Acesso: 28 out. 2016.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei do Senado nº 193, de 2016. Inclui entre as diretrizes e bases da educação nacional, de que trata a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, o "Programa Escola sem Partido". Disponível em: http://www.senado.leg.br/atividade/rotinas/materia/getTexto.asp?t=192255&c=PDF&tp=1. Acesso em: 16 out. 2016. Texto Original.

BULFINCH, Thomas. O livro de ouro da mitologia: histórias de deuses e heróis. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

CAMPOS, Antonia J. M; MEDEIROS, Jonas; RIBEIRO, Marcio M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

CARVALHO, Alexandre Filordi de; CAMARGO, André Campos de. Guattari e a topografia da máquina escolar. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, volume 17, nº 1, jan./abr, 2015. http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8634821. Acesso: 07 out. 2016.

CHARGE.ORG. Vai ter shortinho sim. Disponível em https://www.change.org/p/col%C3%A9gio-anchieta-vai-ter-shortinho-sim Acesso: 10 out. 2016.

CORRÊA, Murilo Duarte Costa. Escola contra o Estado. Disponível em http://uninomade.net/tenda/escola-contra-estado/. Acesso: 05 nov. 2016.

CAZÉ, Bárbara Maia Cerqueira. O uso e os atravessamentos do cineclube (e do cinema) na tessitura dos currículos em redes nos cotidianos. 2015. 126f. Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, ES. 2015.

CINECLUBE NOME PROVISÓRIO. Facebook. Disponível em https://www.facebook.com/cinenomeprovisorio/about/. Acesso: 20 out. 2016.

DELEUZE, Gilles. Desejo e prazer. In: PELBART, Peter; ROLNIK, Suely (orgs.). Cadernos de Subjetividade. São Paulo: PUC-SP, v.1, n.1, 1993.

FEMINIFES. Facebook. Disponível em https://www.facebook.com/feminifes/about/ Acesso: 02 nov. 2016.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2006.

FOUCAULT, Michel. Michel Foucault, uma Entrevista: Sexo, Poder e Política da Identidade. In: FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos, volume IX: genealogia da ética, subjetividade e sexualidade. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014. p. 251-265.

GALLO, Sílvio; FIGUEIREDO, Gláucia Maria. Entre maioridade e menoridade: as regiões de fronteira no cotidiano escolar. Aprender: cadernos de Filosofia e Psicologia da Educação, ano IX, nº 14, jan./jun., 2015. Disponível em http://periodicos.uesb.br/index.php/aprender/article/viewFile/5299/5076. Acesso: 13 out. 2016.

GUATTARI, Félix. Psicanálise e transversalidade. Aparecida: Ideias e Letras, 2004.

HARDT, Michel. The Commom in Communism. In: DOUZINAS, Costas; ZIZEK, Slavoj Orgs.). The idea of communism. London / New York: Verso, 2010. p. 131-144.

HECKERT, Ana Lúcia Coelho. Narrativas de resistências: educação e política. 2014. 313f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade Federal Fluminense. Niterói, RJ. 2014.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Heteronormatividade e vigilância de gênero no cotidiano escolar. In: RODRIGUES, Alexsandro; DALLAPICULA, Catarina; FERREIRA, Sérgio Rodrigo da Silva (orgs.). Transposições: lugares e fronteiras em sexualidade e educação. Vitória: EDUFES, 2014. p. 99-124.

KÓKA, Lucas Penteado. “O movimento secundarista é 100% horizontal”, defende aluno que ocupou colégio em SP [01/06/16]. Entrevista concedida à Leandro Melito. Disponível em: http://www.ebc.com.br/cidadania/2016/05/ocupacoes-nas-escolas-entenda-o-movimento-estudantes-secundaristas. Acesso: 09 out. 2016.

MENDES, Alexandre. Ocupações estudantis: novas assembleias constituintes diante da crise? 2015. Disponível em: http://uninomade.net/tenda/ocupacoes-estudantis-novas-assembleias-constituintes-diante-da-crise-2/. Acesso: 01 nov. 2016.

MOREIRA, Matheus. Secundaristas: anarquismo temporário contra governabilidade partidarista. 2015. Disponível em: http://www.revistaforum.com.br/diariodeestudante/2015/12/07/secundaristas-anarquismo-temporario-contra-governabilidade-partidarista/. Acesso: 13 out. 2016.

MOVIMENTO FALA BOCA - #ocuparecreioimh. Facebook. Disponível em https://www.facebook.com/movimentofalaboca/about/. Acesso: 22 out. 2016

NEGRI, Antonio; HARDT, Michel. Declaração – Isso não é um manifesto. São Paulo: n-1 edições, 2014.

NEGRI, Antonio. Bem-estar comum. Rio de Janeiro: Record, 2016.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falava Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Petrópolis: Vozes, 2007.

O GLOBO. Colégio Pedro II extingue distinção de uniforme por gênero. Disponível em: http://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/colegio-pedro-ii-extingue-distincao-de-uniforme-por-genero-20139240. Acesso: 07 out. 2016.

OCUPA IRMÃ MARIA ORTA. Facebook Disponível em: https://www.facebook.com/OCUPAIMH/posts/1782163445332612. Acesso: 05 nov.2016.

OLIVEIRA, Hanna; PUERTA, Sara. A revolução será secundarista. Disponível em: http://www.ueesp.org.br/noticia/295/a-revolucao-sera--secundarista.html. Acesso: 03 out. 2016.

ORTELLADO, Pablo. A primeira flor de junho. In: CAMPOS, Antonia J. M; MEDEIROS, Jonas; RIBEIRO, Marcio M. Escolas de luta. São Paulo: Veneta, 2016.

PELBART, Peter Pál. Tudo o que muda com os secundaristas. Outras Palavras: comunicação compartilhada e pós-capitalismo. 2016. Disponível em: http://outraspalavras.net/brasil/pelbart-tudo-o-que-muda-com-os-secundaristas/ Acesso: 09 out. 2016.

REVEL, Judith. Resistências, subjetividades, o comum. Lugar Comum, – Vol 1, n.º 35-36 – out. 2012. Disponível em: http://uninomade.net/wp-content/files_mf/110210120912Resist%C3%AAncias%20subjetividades%20o%20comum%20-%20Judith%20Revel.pdf. Acesso: 12 out. 2016.

RODRIGUES, Alexsandro; ALVIM, Davis Moreira. Como cartografar resistências? Apontamentos sobre contradispositivo e criação. Lugar Comum, – Vol 1, n.º 48 – jun 2016 - ago 2016. Disponível em http://uninomade.net/wp-content/files_mf/147097436400Como%20cartografar%20resist%C3%AAncias,%20apontamentos%20sobre%20contradispositivo%20e%20cria%C3%A7%C3%A3o%20-%20Alexsandro%20Rodrigues%20e%20Davis%20Moreira%20Alvim.pdf. Acesso: 17 out. 2016.

UNIÃO BRASILEIRA DOS ESTUDANTES SECUNDARISTAS (UBES). Primavera secundarista: a luta de quem ocupa as escolas. Disponível em http://ubes.org.br/2016/primavera-secundarista-a-luta-de-quem-ocupa-as-escolas-do-brasil/ Acesso: 09/10/2016.

VAI TER SHORTINHOS SIM. Facebook. Disponível em: https://www.facebook.com/Vai-ter-shortinhos-sim-579551658849480/?fref=ts. Acesso: 14 set. 2016.

VASCONCELLOS, Hygino. Alunos usam shorts femininos em apoio às meninas em escola do RS. Disponível em: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2016/02/alunos-usam-shorts-femininos-em-apoio-meninas-em-escola-do-rs.html Acesso: 28 out. 2016.

YOUTUBE. Escola sem Opressão. Movimento Fala Boca. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=EAIa2K-LU6k. Acesso: 05 out. 2016.

Publicado
2017-03-11
Como Citar
Alvim, D. M., & Rodrigues, A. (2017). Coletivos, ocupações e protestos secundaristas: a fênix, o leão e a criança. ETD - Educação Temática Digital, 19, 75-95. https://doi.org/10.20396/etd.v19i0.8647747

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)