Quando as escolas públicas se põem à prova da inclusão escolar: sobre as artes de fazer o comum - plural - nas escolas, em busca do justo.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v20i2.8651992

Palavras-chave:

Educação. Sociologia.

Resumo

As políticas públicas no domínio da educação estão hoje munidas de ações públicas cheias de boas intenções. Entre muitas ações públicas destacamos dois princípios que desde a institucionalização da escola pública têm animado o debate político nacional e internacional. Um está ligado à igualdade de oportunidade escolar para todos; o segundo está associado à escolaridade obrigatória para todos os alunos em idade escolar. Contudo, a aplicação destes dois princípios ainda estão aquém da sua concretização pública. As taxas de reprovação e do abandono ou da evasão escolares ainda são elevadas. É o que têm acontecido quer no Brasil, quer em Portugal. Neste sentido a escola para todos é ainda uma miragem. Há uma percentagem de alunos que na idade escolar não completam a escolaridade obrigatória que tem estado a ser prolongada pelas políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávia Inês Schilling, Universidade de São Paulo

Professora associada da FEUSP; Pesquisadora 1C Pq-CNPq; vice-coordenadora do grupo de pesquisas em direitos humanos, memória, política e democracia do IEA-USP

José Manuel Resende, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Sociólogo, Pesquisador integrado do CICS. NOVA, membro colaborador do PPGSP da Uenf, consultor externo do INCT-InEAC da UFF, membro colaborador do laboratório LeMetro da IFCS-UFRJ e membro colaborador do Observatório Permanente da Juventude do ICS da ULisboa.

Referências

Trata-se de editorial de apresentação do dossiê Brasil/Portugal

Downloads

Publicado

2018-04-11

Como Citar

SCHILLING, F. I.; RESENDE, J. M. Quando as escolas públicas se põem à prova da inclusão escolar: sobre as artes de fazer o comum - plural - nas escolas, em busca do justo. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 20, n. 2, p. 301–304, 2018. DOI: 10.20396/etd.v20i2.8651992. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8651992. Acesso em: 4 dez. 2021.