Banner Portal
Por entre céu e dunas, montanhas e mar
PDF

Palavras-chave

Escrever
Pesquisar
Educação
Fragmentação
Encontro

Como Citar

GONÇALVES, Michele Fernandes; GOMES, Marina Lopes e. Por entre céu e dunas, montanhas e mar: fragmentos de pesquisa e escrita em educação. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 21, n. 4, p. 857–870, 2019. DOI: 10.20396/etd.v21i4.8654811. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8654811. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

O que pode o encontro entre fragmentos de pesquisa? O que pode uma escrita-fragmento, feita a muitas mãos, no dizer com esse encontro? Direcionadas por essas indagações e pela vontade de criar, naquilo que comumente denominamos Educação, planos assimétricos nos quais a pesquisa e a escrita possam forjar novas superfícies, novos poros que extravasem outras maneiras de fazer, propomos, neste trabalho, traçar linhas de pensamento e movimento em fluxo, as quais permitam, pela produção da diferença, desconstruir os modelos hegemônicos impostos ao pesquisar e escrever acadêmicos. Ao sugerir e acionar uma escrita fragmentária, ou uma quase-escrita, articulando, de maneiras impensadas, matizes díspares de trabalho na promoção de encontros (im)prováveis, nossa intenção é alargar o campo do possível que se traça entre o pesquisar, o escrever e o viver, fazendo-os coincidir por aquilo que difere, pela escuta de seus ecos e pelo tatear de um estar junto desconhecido. Um movimento sempre incerto e sempre errante, mas também sempre potente porque nunca dado, de (re)habitar, no silêncio e na palavra, no tocar da montanha o céu e no beijar das dunas o mar, a existência.

https://doi.org/10.20396/etd.v21i4.8654811
PDF

Referências

BARROS, Manoel de. Memórias inventadas. Rio de Janeiro: Alfaguarda, 2018.

BENJAMIN, Walter. Experiência e pobreza. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 8.ed.rev. São Paulo, SP: Brasiliense, 2012 – (Obras Escolhidas v.1).

BIDENT, Cristophe. Conversa com Christophe Bident, biógrafo de Maurice Blanchot. [Entrevista cedida a] Sérgio Medeiros. Outra Travessia, n. 7, 2008, p. 101-105. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/Outra/article/view/13866/12732. Acesso em: 5 jan. 2019.

BRAGA, Jonathan Taveira; KASPER, Kátia Maria. Formação, experimentação, invenção. Revista Instrumento: Revista de Estudo e Pesquisa em Educação, Juiz de Fora, v. 15, n. 1, p.39-46, jan./jun. 2013. Semestral. Disponível em: https://instrumento.ufjf.emnuvens.com.br/revistainstrumento/article/viewFile/2643/1905. Acesso em: 10 out. 2018.

CALVINO, Ítalo. O cavaleiro inexistente. Trad. Nilson Moulin. São Paulo, SP: Companhia das Letras, 2005.

CANCLINI, Néstor Garcia. Los muchos modos de ser extranjeros. In: Extranjeros en la tecnología y en la cultura. Buenos Aires: Ariel, 2009.

CANGI, Adrian. Entre o ato de criação e o problema da resistência política e fabulação [Palestra]. COLÓQUIO VARIAÇÕES DELEUZIANAS, 2., Belém, PA. Anais...Belém, PA: UFPA, 2018.

CATUNDA, Marta. O canto de céu aberto e de mata fechada. Cuiabá: UFMT (Edufmt), 1994. 138 p.

CHATWIN, Bruce. O rastro dos cantos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CHAVES, Sílvia Nogueira; BRITO, Maria dos Remédios de. O começo nunca é um fim. In: CHAVES, Silvia N.; BRITO, Maria dos R. de (Org.). Formação, ciência e arte: autobiografia, arte e ciência na docência. São Paulo: Ed.Livraria da Física, 2016. p. 11-17.

COSTA, Victor Anselmo. Não há vida fora da diferença: gesto, solidão, alteridade. 2018. 79 f. TCC (Graduação) - Curso de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018. Cap. 2. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/192280. Acesso em: 03 jan. 2018.

COMITÊ INVISÍVEL. Motim e destituição agora. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Trad. Peter Pál Pélbart. São Paulo: Ed.34, 1997.

DELEUZE, Gilles. Francis Bacon: lógica da sensação. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia. Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs - capitalismo e esquizofrenia. v.1. Trad. Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. São Paulo: Ed.34, 2011.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs - capitalismo e esquizofrenia. v.4. Trad. Suely Rolnik. São Paulo: Ed. 34, 2012.

DURAS, Marguerite. Escrever. Revista Literária Polichinello, 29 de abril de 2017. Trad. Rubens Figueiredo. Disponível em: https://revistapolichinelo.blogspot.com/2017/04/escrever-marguerite-duras.html. Acesso em: 10 jan. 2019.

ESPINOSA, Benedictus de. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens, p. 129-160, 1992.

FOUCAULT, Michel. A ética do cuidado de si como prática da liberdade. In: Ditos & Escritos V - Ética, Sexualidade, Política. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos IV: estratégia, poder-saber. 3 ed. Trad. Vera Lúcia Avelar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

GUATTARI, Félix, 1930-1992. Caosmose: um novo paradigma estético. Trad. Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo: Ed. 34, 1992.

GODOY, Ana. Uma escrita para um combate incerto. In: AMORIM, Antônio Carlos; MARQUES, Davina; OLIVEIRA DIAS, Susana. (Org.). CONEXÕES: Deleuze e vida e fabulação e... Petrópolis, RJ; Brasília, DF: De Petrus et Alii: CNPq, 2011. 192 p.

MURICY, Kátia. Jogos: cultura e escrita. [Palestra]. MAR na Academia: Seminário Internacional Biblioteca Walter Benjamin | Parte III, 2016. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=sdDstgnPae4&t=292s. Acesso em: 27 ago. 2018.

NERUDA, Pablo. As uvas e o vento. São Paulo: LP&M, 2004.

PASSOS, Eduardo; ALVAREZ, Johnny. Cartografar é habitar um território existencial. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia Kastrup; DA ESCÓSSIA, Liliana (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia Kastrup; DA ESCÓSSIA, Liliana. Texto de apresentação. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia Kastrup; DA ESCÓSSIA, Liliana (Org.). Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2015.

PELLEJERO, Eduardo. Pensar à intempérie: a crítica exposta ao risco da experimentação. Alegrar, v. 13, n. 1, p.1-10, jun./2014. Semestral. Disponível em: http://www.alegrar. com.br/revista13/pdf/pensar_a_intemperie_pellejero_alegrar13.pdf. Acesso em: 10 out.

RANCIÉRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. Trad. Mônica Costa Netto. São Paulo: Ed. 34, 2005.

TOURNIER, Michel. Sexta-feira ou os limbos do Pacífico. 2.ed. Trad. Fernanda Botelho. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

A ETD - Educação Temática Digital utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.