África e os africanos em textos e imagens da Revista Eu Sei Tudo (1917-1958)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v22i3.8655242

Palavras-chave:

Impressos, Representação social, Imaginário social, Circulação internacional, África

Resumo

O magazine ilustrado Eu Sei Tudo foi publicado no Brasil entre 1917 e 1958. Sua origem, entretanto, é francesa e parte significativa de seu conteúdo pertencia também àquela versão. Neste artigo, tomando como fontes históricas figuras e textos presentes na revista brasileira e adotando como referencial teórico os conceitos de representação e imaginário social, investigamos a produção e a circulação entre mundos de imagens relativas à África e aos africanos, inquirindo sobre seus significados. Nossa hipótese é a de que a Eu Sei Tudo promoveu a difusão de estereótipos e preconceitos raciais a partir de uma matriz europeia ligada ao contexto do imperialismo, reproduzida em várias de suas páginas, apesar dos cenários sociais radicalmente diferentes. Tais imagens e textos, expostos a partir de um discurso sobre a alteridade, repetiam no Brasil os supostos antagonismos entre modernidade e atraso, primitivismo e progresso, civilização e barbárie.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Carvalho Guimarães, Universidade de São Paulo

Mestra em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professora da Educação Básica. Membro do NIEPHE - Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação.

Maria Angela Borges Salvadori, Universidade de São Paulo

Doutora em Educação na Faculdade de Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Docente do Departamento de Filosofia da Educação e Ciências  da Educação da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo. Atua também no programa de Pós-Graduação em Educação da mesma instituição na linha de pesquisa História da Educação e Historiografia junto à área de concentração Cultura, Filosofia e História da Educação.

Referências

BACOT, Jean-Pierre. Le role des magazines illustres dans la construction du nationalisme au XIXe siecle et au debut du XXe siècle. Réseaux. v. 107, n. 3, p. 265-293, 2001. Disponível em: https://www.cairn.info/revue-reseaux1-2001-3-page-265.htm# . Acesso em: 7 de março de 2019.

BACZKO, Bronislaw. Los imaginários sociais. 2. ed. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión, 1999.

BARROS, Gelka. Bela e sadia! A mulher nas páginas da revista Alterosa (1939-1945) durante o Estado Novo e o processo de americanização do Brasil. Comunicação e Sociedade. Braga, v. 32, p. 191-209, dez. 2017. Disponível em: http://revistacomsoc.pt/index.php/comsoc/article/view/2757/2665 . Acesso em: 1 de março de 2019.

BHABHA, Romi. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

BRASIL. Lei Federal nº 10.639, de 09 de janeiro de 2003. Altera a Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática história e cultura afro-brasileira, e dá outras providências).

CANÁRIO, Rui. A escola e a abordagem comparada. Sísifo - Revista de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, Lisboa, n. 1, p. 27-36, sep./dez. 2006. Disponível em: https://pt.slideshare.net/nfraga/a-escola-e-a-abordagem-comparada-novas-realidades-e-novos-olhares . Acesso em: 1 de março de 2019.

CARVALHO, José Jorge de. Racismo fenotípico e estéticas da segunda pele. Cinética, São Paulo, v. 1, p. 1-14, 2008. Disponível em: www.revistacinetica.com.br/cep/jose_jorge.pdf Acesso em: 2 maio. 2018.

D’AVILA, Jerry. Diploma de brancura. Política social e racial no Brasil, 1917-1945. São Paulo: Editora da UNESP, 2006.

DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico e outros ensaios. 14.ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

EU SEI TUDO. Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana, junho de 1917 a dezembro de 1958.

EU SEI TUDO. Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana. Os contrastes, set. 1917, p. 64.

EU SEI TUDO. Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana. O casamento em differentes epochas e paizes, jan. 1924, p. 47.

EU SEI TUDO, Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana. Belleza exótica - mulher Masar, região de Uganda, África, set. 1930, p. 101.

EU SEI TUDO, Rio de Janeiro: Companhia Editora Americana. Um casamento na Zululandia, jan. 193, p. 49.

FERLA, Luis. Feios, sujos e malvados sob medida: a utopia médica do biodeterminismo (1920-1945). São Paulo: Alameda, 2009.

GAY, Peter. A experiência burguesa: da Rainha Vitória a Freud - A educação dos sentidos. São Paulo: Cia. das Letras, 1988.

GENEROSO, Fernanda. A serviço do cinema, história e cultura política nas revistas A Scena Muda e Cinearte na década de 1930. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro, RJ: UFF, 2016.

GOMES, Nilma Lino. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo: reprodução de estereótipos ou ressignificação cultural? Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 21, p. 40-51, set./out./nov./dez. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n21/n21a03 . Acesso em: 05 de junho de 2018.

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

JE SAIS TOUT. França: Publications Pierre Lafitte, 1905-1939.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. (Org.). Representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17-44.

KOSSOY, Boris. Realidades e ficções na trama fotográfica. 4. ed. São Paulo: Ateliê, 2009.

LUCA, Tania Regina de. Prefácio. In. OLIVEIRA, Claudia de, VELLOSO, Monica Pimenta, LINS, Vera. O moderno em revistas. Rio de Janeiro: Garamond, 2010, p. 7-10.

MARTINS, Ana Luiza. Da fantasia à história: folheando páginas revisteiras. História, Franca, SP, v. 22, n. 1, p. 59-79, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/his/v22n1/v22n1a03.pdf . Acesso em: 19 de agosto de 2018.

MAUAD, Ana Maria. Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. Anais Do Museu Paulista: História e Cultura Material, 13, n.1, p.133-174, jan./jun. 2005. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-47142005000100005 Acesso em: 20 de julho de 2018.

MENESES, Maria Paula G. Meneses. O “indígena” africano e o colono “europeu”: a construção da diferença por processos legais. E-cadernos ces [Online], Coimbra, PT, n. 07, p. 68-93, 2010. Disponível em: https://journals.openedition.org/eces/403#text . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

MONTEIRO, Charles. Imagens sedutoras da modernidade urbana: reflexões sobre a construção de um novo padrão de visualidade urbana nas revistas ilustradas na década de 1950. Rev. Bras. Hist., São Paulo, v.27, n.53, p. 159-176, jun. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/v27n53/a07v5327.pdf . Acesso em: 15 de outubro de 2018.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

NEEDELL, Jeffrey. Belle Époque tropical. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SANTOS, Boaventura de Sousa, MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. Coimbra, PT: Edições Almedina, 2009.

SLENES, Robert. A importância da África para as ciências humanas. História Social, Campinas, SP, n. 19, p. 19-32, 2010. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/rhs/article/view/314/270 . Acesso em: 10 de setembro de 2018.

STREVA, Juliana Moreira. Colonialidade do ser e corporalidade: o racismo brasileiro por uma lente descolonial. Revista Antropolítica, Niterói, n. 40, p.20-53, 1. sem. 2016. Disponível em: http://www.revistas.uff.br/index.php/antropolitica/article/view/432/268 . Acesso em: 13 de outubro de 2018.

TAKEUCHI, Marcia Yumi. Imigração japonesa nas revistas ilustradas. Preconceito e imaginário social (1897-1945). São Paulo: Edusp, 2016.

VAN DIJK, Teun Adrianius. Introdução. In. VAN DIJK, T. A. (Org.). Racismo e discurso na América Latina. São Paulo: Contexto, 2008, p. 11-24.

VIDAL, Diana Gonçalves. Culturas escolares. Estudo sobre práticas de leitura e escrita na escola pública primária (Brasil e França, final do século XIX). Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

VOVELLE, Michel. Imagens e imaginário na história. São Paulo: Ática, 1997.

Downloads

Publicado

2020-08-18

Como Citar

Guimarães, A. C. de C., & Salvadori, M. A. B. (2020). África e os africanos em textos e imagens da Revista Eu Sei Tudo (1917-1958). ETD - Educação Temática Digital, 22(3), 751–769. https://doi.org/10.20396/etd.v22i3.8655242