Teletandem como “terceiro espaço” no desenvolvimento de professores de línguas estrangeiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v22i3.8655293

Palavras-chave:

Formação de professores de línguas, Teletandem, Reflexão sobre a prática, Terceiro espaço

Resumo

O teletandem possibilita ao licenciando em Letras o contato intercultural com um estrangeiro. Neste espaço virtual e síncrono, via webcam, o sujeito ora ensina sua própria língua, ora aprende a língua materna ou de competência de seu parceiro de teletandem. Neste artigo, argumentamos (a) que o teletandem pode ser considerado como um terceiro espaço ou um contexto tecnológico híbrido e (b) que este contexto, além de desenvolver a competência oral na língua-alvo, pode suscitar reflexões em alunos de Letras acerca da pedagogia de línguas estrangeiras. Acreditamos que tais características sejam facilitadoras do desenvolvimento profissional de futuros professores de línguas. Objetivamos investigar: (a) como este contato intercultural online mobiliza o comprometimento do futuro professor de língua estrangeira com sua própria formação e (b) como as atividades de mediação (realizadas após as interações em teletandem) funcionam como deflagradoras de processos de reflexão em alunos de Letras sobre o ato de ensinar e aprender línguas estrangeiras. O estudo se desenvolveu tendo como cenário uma parceria entre uma universidade brasileira e outra mexicana. Uma metodologia qualitativa crítica foi usada para a análise das gravações de sessões de mediação em grupo das quais participaram estudantes de Letras, futuros professores de português/espanhol. Os resultados da análise apontam para as características do contato intercultural online via teletandem. Se bem articuladas pelo educador de professores, elas trazem o potencial de teorização e de observação crítica das próprias ações dos alunos como professores de línguas estrangeiras, em processo de formação inicial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rozana Aparecida Lopes Messias, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doutora em Educação na Faculdade de Filosofia e Ciências pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professora assistente-doutora de prática de ensino e estágio supervisionado de línguas estrangeiras na UNESP-Assis. 

João Antonio Telles, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Doutor em Lingüística Educacional no OISE - Ontario Institute for Studies in Education, University of Toronto, Canadá. Pós-Doutorado pela  Université Charles-de-Gaulle, Lille III, França. Professor Adjunto, Livre-Docente no Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, campus de Assis-SP.

Referências

ANDRÉ, M. O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 22, n. 40, p. 95-103, jul./dez. 2013.

ARANHA, S.; CAVALARI, S. M. A. A trajetória do projeto Teletandem Brasil: da modalidade institucional não-integrada a institucional integrada. the ESPecialist, v. 35, n. 2, p. 183-201, 2014.

BHABHA, H. K. O local da cultura. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

CARSPECKEN, P. F. Pesquisa qualitativa crítica: conceitos básicos. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 395-424, maio-ago., 2011.

CASTRO, P. A. P. P.; TUCUNDUVA, C. C.; ARNS, E. M. A importância do planejamento das aulas para organização do trabalho do professor em sua prática docente. ATHENA: Revista Científica de Educação, v. 10, n. 10, jan./jun. 2008.

FELÍCIO, H. M. dos. O PIBID como “terceiro espaço” de formação inicial de professores. Revista Diálogo Educacional (PUCPR. Impresso), v. 14, p. 415-434, 2014.

GHEDIN, E. L. Professor reflexivo: da alienação da técnica à autonomia da crítica. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

GONÇALVES, S. C. L. Diretrizes para os Cursos de Graduação da UNESP: Letras: estudos resultantes do processo de articulação e integração dos cursos de Letras da Unesp. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, Pró-Reitoria de Graduação, 2012. Disponível em: http://www.unesp.br/prograd . Acesso em: 19 set. 2019.

LARROSA, J. Algunas notas sobre la experiencia y sus lenguajes. In: BARBOSA, R. L. L. (Org.). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: Ed. Unesp, 2004. p. 19-34.

NOSELLA, P. Compromisso político e competência técnica: 20 anos depois. Educação e Sociedade. Campinas, v. 26, n. 90, p. 223-238, jan./abr. 2005.

SALOMÃO, A. C. B. A cultura e o ensino de língua estrangeira: Perspectivas para a formação continuada no projeto teletandem. 2012. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2012.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 40, jan./abr. 2009.

SIQUEIRA, R. A. R.; MESSIAS, R. A. L. Reflexão e ações na formação e atuação do professor de língua portuguesa: o diálogo como condição de autoria na prática educativa. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 11, n. 2, p. 377-392, jul./dez. 2008.

TELLES, J. A. Teletandem: uma proposta alternativa no ensino-aprendizagem assistidos por computadores. In: TELLES, J. A. (Org.). Teletandem: um contexto virtual, autônomo e colaborativo para aprendizagem de línguas estrangeiras no século XXI. Campinas: Pontes, 2009.

ZEICHNER, K. Repensando as conexões entre a formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n.3, p. 479-504, set./dez. 2010.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

MESSIAS, R. A. L.; TELLES, J. A. Teletandem como “terceiro espaço” no desenvolvimento de professores de línguas estrangeiras. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 22, n. 3, p. 731–750, 2020. DOI: 10.20396/etd.v22i3.8655293. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8655293. Acesso em: 17 jan. 2021.