Corpo e ciência do conhecimento disciplinar à visão plural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v23i1.8655904

Palavras-chave:

Corpo, Complexidade, Multirreferencialidade, Educação

Resumo

Neste breve ensaio, procuramos refletir sobre como a razão consagrou a divisão do homem em corpo e alma e sobre como essa dualidade se revelou na tradição hierárquica de estratificação do saber e do conhecimento científico, servindo para justificar dicotomias com alto e poderoso capital simbólico (teoria e prática). Mais do que refutar uma educação do corpo baseada no conhecimento disciplinar ou na ciência cartesiana, que, aparentemente, só reconhecem um ponto de vista sobre ele - como se a pessoa fosse apenas uma dimensão -, desejamos ousadamente, a partir dessa herança histórica, argumentar, embora de forma breve, que, através do movimento do corpo, ao longo dos tempos, podemos compreender o movimento da própria ciência como resultado de nossa visão sobre corpo e mundo. Nessa construção foram utilizados contributos teóricos que dissertam sobre epistemologia científica (ARDOINO, 1998), teoria da complexidade (MORIN, 2003), corpo (NIETZSCHE, 2012a, 2012b, 2013, 2014, 2015).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Vieira de Oliveira, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Mestre em Educação  pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

Joaquim Gonçalves Barbosa , Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.  Professor Visitante  do Programa de Pós Graduação em Educação pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. 

Referências

ARDOINO, Jaques. Abordagem Multirreferencial (Plural) das situações educativas e formativas. In: BARBOSA, J. G. (Org.) Multirreferencialidade nas ciências e na educação. Revisão da tradução Sidney Barbosa. São Carlos: EdUFSCar, 1998. p. 23-41.

AZEREDO, Verônica Pacheco. O corpo em Nietzsche a partir de uma leitura da “genealogia da moral”. 2008. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Instituto de Filosofia Artes e Cultura Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2008.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves. Educação para a formação de autores-cidadãos In: BARBOSA, J. G. (Org.) Multirreferencialidade nas ciências e na educação. Revisão da tradução Sidney Barbosa. São Carlos: EdUFSCar, 1998. p. 23-41.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves; HESS, Remi. O diário de pesquisa: o estudante universitário e seu processo formativo. Brasília: Liberlivro, 2010.

CALOMENI, Tereza Cristina. A redenção da temporalidade: a trágica intuição do eterno retorno em Nietzsche. In: SCARLETT, Marton (Org.). Cadernos Nietzsche. São Paulo, n. 18, 2005. Disponível em: http://gen.fflch.usp.br/sites/gen.fflch.usp.br/files/u41/CN018.93-110.pdf . Acesso em: 25 fev. 2016.

CAMPANER, Sônia. Filosofia: ensinar e aprender. São Paulo: Saraiva, 2012.

DAOLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. 17. ed. Campinas, SP: Papirus, 2013.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Tradução de Peter Pal Pelbart. São Paulo: Editora 34, 1997. Disponível em: http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/12/DELEUZE-G.-Cr%C3%ADtica-e-Cl%C3%ADnica1.pdf . Acesso em: 05 ago. 2016.

GUEDES, Claudia Maria. Corpo: tradição, valores, possibilidades do desvelar. 1995. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1995.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis: Vozes, 2006.

MACEDO, Roberto Sidnei. A pesquisa e o acontecimento: compreender situações, experiências e saberes acontecimentais. Salvador: EDUFBA, 2016.

MACEDO, Roberto Sidnei. Chrysallís, currículo e complexidade: a perspectiva crítico-multirreferencial e o currículo contemporâneo. Salvador: EDUFBA, 2002.

MOREIRA, Adriana Belmonte. Corpo, saúde e medicina a partir da filosofia de Nietzsche. 2006. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez: Brasília: UNESCO, 2000.

MORIN, Edgar. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2003.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, Edgar. Religando fronteiras. Passo Fundo: Edições UPF, 2004.

MORIN, Edgar. Amor, poesia, sabedoria. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2012a.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. O Anticristo. São Paulo: Martin Claret, 2012b.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Crepúsculo dos Ídolos, ou, como se filosofa com o martelo. Porto Alegre: L&PM, 2013.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falava Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A origem da Tragédia: proveniente do espírito da música. Versão ebooksbrasil, 2006.

Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/tragedia.pdf . Acesso em: 23 nov. 2015.

NISTA-PICCOLO, Vilma Lení; MOREIRA, Wagner Wey. Esporte para a vida no Ensino Médio. São Paulo: Telos, 2012.

NISTA-PICCOLO, Vilma Lení; MOREIRA, Wagner Wey. Esporte para a saúde nos anos finais do ensino fundamental. São Paulo: Telos, 2012.

NÓBREGA, Terezinha Petrucia. Corporeidade e educação física: do corpo-objeto ao corpo-sujeito. 3. ed. Natal: EDUFRN, 2009.

NÓBREGA, Terezinha Petrucia. Epistemologias do corpo: a filosofia e a arte como atos de significação. In: SOARES, C. L. (Org.). Pesquisas sobre o corpo: ciências humanas e educação. Autores Associados; São Paulo: FAPESP, 2007. p. 81-99.

PLATÃO. Diálogos / Platão. Seleção de textos de José Américo Motta Pessanha, tradução e notas de José Cavalcante de Souza, Jorge Paleikat e João Cruz Costa. 5. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os Pensadores).

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi. É possível realizar uma história do corpo? In: SOARES, C. L. (Org.) Corpo e história. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2006, p. 3-23.

SICARDI, Bárbara Cristina Moreira. A ação docente dentro da instituição escolar sob a ótima da multirreferencialidade. In: BARBOSA, Joaquim Gonçalves. Autores-cidadãos: a sala de aula na perspectiva multirreferencial. São Carlos: São Bernardo: EdUFSCar, EdUMESP, 2000.

SILVA, Fidel Machado de Castro. O homem forte na filosofia de Nietzsche: uma inspiração para rediscutir a noção de força na Educação Física. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2016.

SOARES, Carmem Lúcia. Corpo, conhecimento e educação: notas esparsas. In: SOARES, C. L. (Org.). Corpo e história. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2006. p. 109-129.

SOARES, Carmem Lúcia et al. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

Downloads

Publicado

2021-02-17

Como Citar

OLIVEIRA, F. V. de; BARBOSA , J. G. . Corpo e ciência do conhecimento disciplinar à visão plural. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 192–211, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i1.8655904. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8655904. Acesso em: 28 nov. 2021.