Banner Portal
Corpo e ciência do conhecimento disciplinar à visão plural
PDF

Palavras-chave

Corpo
Complexidade
Multirreferencialidade
Educação

Como Citar

OLIVEIRA, F. V. de; BARBOSA , J. G. . Corpo e ciência do conhecimento disciplinar à visão plural. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 192–211, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i1.8655904. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8655904. Acesso em: 29 fev. 2024.

Resumo

Neste breve ensaio, procuramos refletir sobre como a razão consagrou a divisão do homem em corpo e alma e sobre como essa dualidade se revelou na tradição hierárquica de estratificação do saber e do conhecimento científico, servindo para justificar dicotomias com alto e poderoso capital simbólico (teoria e prática). Mais do que refutar uma educação do corpo baseada no conhecimento disciplinar ou na ciência cartesiana, que, aparentemente, só reconhecem um ponto de vista sobre ele - como se a pessoa fosse apenas uma dimensão -, desejamos ousadamente, a partir dessa herança histórica, argumentar, embora de forma breve, que, através do movimento do corpo, ao longo dos tempos, podemos compreender o movimento da própria ciência como resultado de nossa visão sobre corpo e mundo. Nessa construção foram utilizados contributos teóricos que dissertam sobre epistemologia científica (ARDOINO, 1998), teoria da complexidade (MORIN, 2003), corpo (NIETZSCHE, 2012a, 2012b, 2013, 2014, 2015).

https://doi.org/10.20396/etd.v23i1.8655904
PDF

Referências

ARDOINO, Jaques. Abordagem Multirreferencial (Plural) das situações educativas e formativas. In: BARBOSA, J. G. (Org.) Multirreferencialidade nas ciências e na educação. Revisão da tradução Sidney Barbosa. São Carlos: EdUFSCar, 1998. p. 23-41.

AZEREDO, Verônica Pacheco. O corpo em Nietzsche a partir de uma leitura da “genealogia da moral”. 2008. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Instituto de Filosofia Artes e Cultura Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2008.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves. Educação para a formação de autores-cidadãos In: BARBOSA, J. G. (Org.) Multirreferencialidade nas ciências e na educação. Revisão da tradução Sidney Barbosa. São Carlos: EdUFSCar, 1998. p. 23-41.

BARBOSA, Joaquim Gonçalves; HESS, Remi. O diário de pesquisa: o estudante universitário e seu processo formativo. Brasília: Liberlivro, 2010.

CALOMENI, Tereza Cristina. A redenção da temporalidade: a trágica intuição do eterno retorno em Nietzsche. In: SCARLETT, Marton (Org.). Cadernos Nietzsche. São Paulo, n. 18, 2005. Disponível em: http://gen.fflch.usp.br/sites/gen.fflch.usp.br/files/u41/CN018.93-110.pdf . Acesso em: 25 fev. 2016.

CAMPANER, Sônia. Filosofia: ensinar e aprender. São Paulo: Saraiva, 2012.

DAOLIO, Jocimar. Da cultura do corpo. 17. ed. Campinas, SP: Papirus, 2013.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Tradução de Peter Pal Pelbart. São Paulo: Editora 34, 1997. Disponível em: http://conexoesclinicas.com.br/wp-content/uploads/2015/12/DELEUZE-G.-Cr%C3%ADtica-e-Cl%C3%ADnica1.pdf . Acesso em: 05 ago. 2016.

GUEDES, Claudia Maria. Corpo: tradição, valores, possibilidades do desvelar. 1995. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1995.

LE BRETON, David. A sociologia do corpo. Petrópolis: Vozes, 2006.

MACEDO, Roberto Sidnei. A pesquisa e o acontecimento: compreender situações, experiências e saberes acontecimentais. Salvador: EDUFBA, 2016.

MACEDO, Roberto Sidnei. Chrysallís, currículo e complexidade: a perspectiva crítico-multirreferencial e o currículo contemporâneo. Salvador: EDUFBA, 2002.

MOREIRA, Adriana Belmonte. Corpo, saúde e medicina a partir da filosofia de Nietzsche. 2006. Dissertação (Mestrado em Filosofia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez: Brasília: UNESCO, 2000.

MORIN, Edgar. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2003.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

MORIN, Edgar. Religando fronteiras. Passo Fundo: Edições UPF, 2004.

MORIN, Edgar. Amor, poesia, sabedoria. 7. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2012a.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. O Anticristo. São Paulo: Martin Claret, 2012b.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Crepúsculo dos Ídolos, ou, como se filosofa com o martelo. Porto Alegre: L&PM, 2013.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim falava Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. A origem da Tragédia: proveniente do espírito da música. Versão ebooksbrasil, 2006.

Disponível em: http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/tragedia.pdf . Acesso em: 23 nov. 2015.

NISTA-PICCOLO, Vilma Lení; MOREIRA, Wagner Wey. Esporte para a vida no Ensino Médio. São Paulo: Telos, 2012.

NISTA-PICCOLO, Vilma Lení; MOREIRA, Wagner Wey. Esporte para a saúde nos anos finais do ensino fundamental. São Paulo: Telos, 2012.

NÓBREGA, Terezinha Petrucia. Corporeidade e educação física: do corpo-objeto ao corpo-sujeito. 3. ed. Natal: EDUFRN, 2009.

NÓBREGA, Terezinha Petrucia. Epistemologias do corpo: a filosofia e a arte como atos de significação. In: SOARES, C. L. (Org.). Pesquisas sobre o corpo: ciências humanas e educação. Autores Associados; São Paulo: FAPESP, 2007. p. 81-99.

PLATÃO. Diálogos / Platão. Seleção de textos de José Américo Motta Pessanha, tradução e notas de José Cavalcante de Souza, Jorge Paleikat e João Cruz Costa. 5. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os Pensadores).

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi. É possível realizar uma história do corpo? In: SOARES, C. L. (Org.) Corpo e história. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2006, p. 3-23.

SICARDI, Bárbara Cristina Moreira. A ação docente dentro da instituição escolar sob a ótima da multirreferencialidade. In: BARBOSA, Joaquim Gonçalves. Autores-cidadãos: a sala de aula na perspectiva multirreferencial. São Carlos: São Bernardo: EdUFSCar, EdUMESP, 2000.

SILVA, Fidel Machado de Castro. O homem forte na filosofia de Nietzsche: uma inspiração para rediscutir a noção de força na Educação Física. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2016.

SOARES, Carmem Lúcia. Corpo, conhecimento e educação: notas esparsas. In: SOARES, C. L. (Org.). Corpo e história. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2006. p. 109-129.

SOARES, Carmem Lúcia et al. Metodologia do ensino de educação física. São Paulo: Cortez, 1992.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.