As tendências ideológicas dos cursos de licenciatura em educação física na modalidade a distância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v23i1.8656308

Palavras-chave:

Ideologia, Educação a distância, Educação física

Resumo

Nesta pesquisa foram investigadas as tendências ideológicas dos cursos de licenciatura em Educação Física a distância no estado de Goiás, tendo o materialismo histórico-dialético como princípio metodológico orientador. Para a coleta de dados, foram utilizadas as técnicas da pesquisa bibliográfica, documental e entrevista semi-estruturada. Como conclusão, percebe-se que a formação na IES privada é primordialmente voltada para a empregabilidade e a IES pública, por precarizar a atuação docente, dentre outras questões estruturais, através da política da UAB, dificulta uma ação formativa mais emancipadora. Logo, o problema não é a modalidade a distância em si, mas o fato que sob o domínio do capital, a EAD se torna um negócio muito lucrativo, comprometendo a qualidade da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Cruvinel Pimentel, Universidade Federal de Goiás

Professora adjunto A no Centro de Estudo e Pesquisa Aplicada à Educação da Universidade Federal de Goiás (CEPAE/UFG). Doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Educação Física pela Universidade de Brasília (UnB). 

Raquel de Almeida Moraes, Universidade de Brasília

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutorado em Filosofia da Educação pela Universidade de Haifa. Professora Associada 4 da Universidade de Brasília. 

Referências

AMARAL, Gislene Alves do. et.al. Formação profissional e diretrizes curriculares da educação física. Revista Especial dee Educação Física. Edição Digital, v.3, n.1, nov., 2006.

BRACHT, Valter. Esporte na escola e esporte de rendimento. Revista Movimento, Porto Alegre, v. 0, n. 12, p. xiv-xxiv, 2000.

AZEVEDO, Renato Ribeiro; BERGMANN, Gabriel Gustavo. O esporte e o seu protagonismo na educação física escolar: experiência e reflexões do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência. DO CORPO: Ciências e Artes, Caxias do Sul, v. 1, n. 3, 2013.

BANCO MUNDIAL. Pryoridades y strategias para la educacion. Washington, D. C.: Examendel Banco Mundial, 1996.

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos CEDES, Campinas, v. XIX, n. 48, p. 69-88, 1999.

BRITO, Eliana Póvoas Pereira Estrela. O sistema universidade aberta do Brasil e as políticas de formação de professores. Cadernos de Pesquisa, v.6, n.13, maio-jul. 2011.

CAPARROZ, Francisco Eduardo. Entre a educação física na escola e a educação física da escola. 3.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2007.

CASTELLANI FILHO, Lino. A formação sitiada. Diretrizes curriculares de EF em disputa: Jogo jogado? Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 4, out./dez. 2016.

CHAUI, Marilena. O que é ideologia? 2.ed. São Paulo: Brasiliense, 2008. (Coleção primeiros passos).

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do ensino da educação física. São Paulo: Cortez, 1992. (Coleção Magistério 2° grau - série formação do professor)

DOURADO, Luis Fernandes. Políticas e gestão da educação superior a distância: novos marcos regulatórios? Educação e Sociedade, v. 29, n. 104, p. 891-917, especial, Campinas, out. 2008.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Novos fetiches mercantis da pseudoteoria do capital humano no contexto do capitalismo tardio. In.: ANDRADE, J. de (Org.); PAIVA, L. G. de (Org.). As políticas para educação no Brasil contemporâneo: limites e contradições. Juiz de Fora, Ed: UFJF, 2011.

GUIA DE PERCURSO UNOPAR. Curso de EF Licenciatura em EF. Ingressantes a partir de 2014/1. 2017. Disponível em: https://docplayer.com.br/7759834-Curso-de-educacao-fisica-licenciatura-em-educacao-fisica-ingressantes-a-partir-de-2014-1.html. Acesso em: 19/03/2020.

IANNI, Octavio. Capitalismo - violência e terrorismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

MALANCHEN, Julia. UNESCO: Políticas e estratégias para formação docente a distância no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.32, dez. 2008. p.179-199.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. Tradução e introdução de Florestan Fernandes. 2.ed. São Paulo: Expressão popular, 2008.

MESZÁROS, István. Educação para além do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Projeto político-pedagógico do curso de licenciatura em Educação Física na modalidade de ensino à distância. Universidade Federal de Goiás. Faculdade de Educação Física. 2011. Disponível em: https://www.fefd.ufg.br/n/7994-projeto-politico-pedagogico-ead-em-educacao-fisica?locale=es. Acesso em: 19/03/2020.

PAULO NETTO, José. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão popular, 2011.

PALAFON, Gabriel Humberto Nuñoz. As tendências pedagógicas em EF e sua relação com as categorias idealistas e materialistas da história. Revista Motrivivência, UFSC, Florianópolis, SC, Ano VI, v.4, jun/1993.

PIMENTEL, Fernanda Cruvinel. A experiência da Universidade de Brasília no contexto de expansão da licenciatura em Educação Física por meio do Sistema Universidade Federal de Goiás. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Faculdade de Educação Física, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2013.

SCHULTZ, Theodore. O capital humano: investimentos em educação e pesquisa. Tradução de Marco Aurélio de Moura Matos. Zahar, Rio de Janeiro, 1973.

SOARES, Carmem Lucia. Educação física: raízes europeias e Brasil. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2004 (Coleção educação contemporânea).

SOUZA NETO, Samuel et al. A formação do profissional de Educação Física no Brasil: uma história sob a perspectiva da legislação federal no século XX. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 25, n. 2, p. 113-128, jan. 2004.

_____. Conflitos e tensões nas diretrizes curriculares de Educação Física: o campo profissional como um espaço de lutas e disputas. Pensar a Prática, v.19, n.4, 2016. https://doi.org/10.5216/rpp.v19i4.42263

VAGO, Tarcísio Mauro. Esporte da escola, esporte na escola: da negação radical à tensão permanente - um diálogo com Valter Bracht. Revista Movimento, Porto Alegre, n. 5, p. 4-17, 1996.

Downloads

Publicado

2021-02-17

Como Citar

PIMENTEL, F. C.; MORAES, R. de A. As tendências ideológicas dos cursos de licenciatura em educação física na modalidade a distância. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 1, p. 82–97, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i1.8656308. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8656308. Acesso em: 5 dez. 2021.