Internacionalizações em dois loci de enunciação

o sul e o norte global

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v22i3.8659311

Palavras-chave:

Internacionalização, Acordos internacionais, Políticas linguísticas, UFES, FAU

Resumo

Este artigo confronta a miopia epistemológica expondo os locais de enunciação de acadêmicos para questionar conhecimentos geralmente tidos como universais. Com esse fim, refletimos sobre o processo de internacionalização do ensino superior, a partir de um lócus de enunciação do Sul Global (UFES) e de outro do Norte Global (FAU). Assumindo que as políticas linguísticas estão intimamente relacionadas às ações / planos de internacionalização e com base na descrição do processo de internacionalização em termos do modelo de Cooperação Tradicional (CT), caracterizado por relações competitivas, e do modelo de Cooperação Internacional Horizontal (CH) baseado na solidariedade internacional, analisamos as políticas linguísticas e os acordos de cooperação internacional da UFES e da FAU como forma de refletir sobre os processos de internacionalização nessas instituições. A análise das políticas linguísticas e acordos internacionais da UFES sugere uma natureza reativa e colonial do processo de internacionalização dessa instituição, expresso no número de acordos com instituições do Norte Global e nas políticas linguísticas que privilegiam o uso do inglês. A análise dos acordos de cooperação internacional e políticas linguísticas da FAU sugere que as estratégias de internacionalização são amplamente projetadas com base na posição privilegiada da universidade como uma instituição de língua inglesa localizada no Norte Global. Tomados em conjunto, os resultados do estudo sugerem que, apesar dos desafios da parceria entre a UFES e a FAU, essa cooperação tem potencial para abrir caminho para modelos / relações de internacionalização mais horizontais, passando assim de um modelo de internacionalização CT para um modelo CH.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kyria Rebeca Finardi, Universidade Federal do Espírito Santo

Docente do Departamento de Letras, Cultura e Educação e pesquisadora dos programas de pós-graduação em Educação (PPGE) e Lingüística (PPGEL) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). 

Sabrina Sembiante, Universidade Atlántica de Florida

Professora Assistente de TESOL e educação bilíngue na Universidade Atlántica de Florida (FAU/EUA).

Gabriel Amorim, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES, 2020).  Professor-formador do Núcleo de Línguas da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

 

Thiago Veronez, Universidade Atlântica de Florida

Professor de ESOL nas Escolas Públicas do Condado de Miami-Dade e aluno de Doutorado em Educação pela Universidade Atlântica de Florida.

Referências

AMORIM, Gabriel Brito. A internacionalização do ensino superior no Brasil: uma proposta de matriz multidimensional de (auto) avaliação. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, p. 140. 2020.

AMORIM, Gabriel Brito; FINARDI, Kyria Rebeca. Globalização e internacionalização do ensino superior: evidências de um estudo de caso nos níveis micro, meso e macro. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior, v. 22, p. 614-632, 2017.

ANDREOTTI, Vanessa Oliveira et al. Internacionalização da educação brasileira: possibilidades, paradoxos e desafios. In: LUNA, José Marcelo Freitas de (Org.). Internacionalização do currículo: educação, interculturalidade, cidadania global. Campinas: Pontes, p. 129-154, 2016.

DE SOUZA, LM Menezes; MARIO, Lynn. Políticas de Internacionalização na educação superior: questões e caminhos. In: ICCAL–International Congress of Critical Applied Linguistics: Language, Action, and Transformation. p. 19-21, 2015.

DE WIT, Hans. Internationalization of higher education: nine misconceptions. International Higher Education. n.64, p. 1-6, 2011.

DÍAZ, Adriana. Challenging dominant epistemologies in higher education: the role of language in the geopolitics of knowledge (re) production. In: Multilingual Education Yearbook 2018. Springer, Cham, p. 21-36, 2018.

DINIZ DE FIGUEIREDO, Eduardo H.; MARTINEZ, Juliana. The locus of enunciation as a way to confront epistemological racism and decolonize scholarly knowledge. Applied Linguistics, p. 1-6, 2019.

DIDRIKSSON, Axel. Reformulación de la cooperación internacional en la educación superior de América Latina y el Caribe. México: Fondo de Cultura, 2008.

Florida Atlantic University. (n.d.). Cost of attendance @ FAU for 2019-2020. Financial Aid. Disponível em: http://www.fau.edu/finaid/other/cost-of-attendance/20192020/ . Acesso em 28 mar. 2020.

Florida Atlantic University. (n.d.) Number of students enrolled per country (Fall 2019). International Services. Disponível em: http://www.fau.edu/international/current/Fall%202019%20Country%20Report.pdf . Acesso em: 28 mar. 2020.

Florida Atlantic University. (n.d.). Reports and statistics. International Services. Disponível em: http://www.fau.edu/international/about/reports.php . Acesso em: 25 mar. 2020.

Florida Atlantic University. (n.d.). Types of agreements. Education Abroad. Disponível em: http://www.fau.edu/goabroad/Kinds_of_Agreements.php . Acesso em: 28 mar. 2020.

FINARDI, Kyria Rebeca. English in the South. 1. ed. Londrina: EDUEL, 2019a. v. 1. 312p.

FINARDI, Kyria Rebeca. Da crítica à internacionalização a uma internacionalização crítica. In: Kyria FINARDI; Rogério TILIO; Vladia BORGES; Adriana DELLAGNELO; Etelvo RAMOS. (Org.). Transitando e transpondo n(a) linguística aplicada. 1ed.Campinas: Pontes, 2019b, v. 1, p. 33-51.

FINARDI, Kyria Rebeca. Internationalization and multilingualism in brazil: possibilities of content and language integrated learning and intercomprehension approaches. International Journal of Educational and Pedagogical Sciences, v. 13, p. 656-659, 2019c.

FINARDI, Kyria Rebeca; SANTOS, Jane Mery; GUIMARAES, Felipe. A relação entre línguas estrangeiras e o processo de internacionalização: evidências da coordenação de letramento internacional de uma universidade federal. Revista Interfaces Brasil-Canadá, v. 16, p. 233-255, 2016.

FINARDI, Kyria Rebeca; ORTIZ, Ramón Andrés. globalization, internationalization and education: what is the connection? Ijaedu - International E-Journal of Advances in Education, v. 1, p. 18-25, 2015.

FINARDI, Kyria Rebeca; GUIMARÃES, Felipe Furtado. Local agency in national language policies: the internationalisation of higher education in a brazilian institution. Current Issues in Language Planning, v. 1, p. 1-23, 2019.

FINARDI, Kyria Rebeca; GUIMARÃES, F.; MENDES, A. R. M. Pensando la internacionalización (crítica) de la enseñanza superior brasileña. Revista Internacional De Educação Superior, v. 6, p. 1-23, 2020.

FINARDI, Kyria Rebeca; FRANÇA, Cláudio. O inglês na internacionalização da produção científica brasileira: evidências da subárea de linguagem e linguística. Intersecções. Revista de Estudos sobre Práticas Discursivas e Textuais, v. 19, p. 234-250, 2016.

FINARDI, Kyria Rebeca; AMORIM, G.; KAWACHI, C. Internationalization and language assessment in Brazil: exploring the interface between language proficiency and rankings at UFES. Studies in English Language Teaching, v. 6, p. 139-154, 2018.

GARCIA, Ofelia. Education, multilingualism and translanguaging in the 21st century. In: SKUTNABB-KANGAS, T.; PHILLIPSON, R.; MOHANTY, A. K.; PANDA, M. (Ed.). Social Justice through Multilingual Education Bristol, UK: Multilingual Matters, 2009. p. 140-158.

GRIN, François. Language policy evaluation and the European charter for regional or minority languages. Springer, 2003.

GUIMARÃES, Felipe Furtado. Internacionalização e Multilinguismo: uma proposta de política linguística para universidades federais. 256 f., 2020. Tese (Doutorado em Linguística) - Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN), Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2020.

GUIMARÃES, Felipe Furtado; FINARDI, Kyria Rebeca. Intercultural education: challenges and opportunities in a brazilian university. In: GÓMEZ-PARRA, Maria Elena; HUERTAS-ABRIL, Cristina Aranzazu (Org.) Handbook of research on bilingual and intercultural education. Hershey, PA: IGI Global, 2020, p.201-224.

GUIMARÃES, Felipe Furtado; FINARDI, Kyria Rebeca. Internationalization and language policies in brazil: evidence of the interface at UFES. Organon, v. 34, n. 66, 2019.

GUIMARÃES, Felipe; FINARDI, Kyria Rebeca; CASOTTI, Janaína. Internationalization and language policies in brazil: what is the relationship? Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 19, p. 295-327, 2019.

GUIMARÃES, Felipe; MENDES, Ana Rachel; RODRIGUES, Lisiane; PAIVA, Raquel; FINARDI, Kyria Rebeca. Internationalization at home, COIL and intercomprehension: for more inclusive activities in the global south. SFU Educational Review Journal, v. 12, p. 90-109, 2019.

HUDZIK, John K. Comprehensive internationalization: from concept to action. Washington, DC: NAFSA: Association of International Educators, 2011.

INSTITUTE OF INTERNATIONAL EDUCATION. Open doors: Report on international educational exchange, 2019. Disponível em: https://www.iie.org/Research-and-Insights/Open-Doors/Open-Doors-2019-Media-Information . Acesso em: 28 mar. 2020.

JORDÃO, Clarissa. M. Decolonizing identities: english for internationalization in a brazilian university. Interfaces Brasil/Canadá, v.16, n.1, 191-209, 2016.

KNIGHT, Jane. Five myths about internationalization. International Higher Education. n. 62, p. 14-15, 2011.

LIMA, Manolita Correia; MARANHÃO, Carolina Machado Saraiva de Albuquerque. O sistema de educação superior mundial: entre a internacionalização ativa e passiva. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), v. 14, n. 3, p. 583-610, 2009.

MOROSINI, Marília Costa. Internacionalização na produção de conhecimento em IES brasileiras: cooperação internacional tradicional e cooperação internacional horizontal. Educação em revista, v. 27, n. 1, p. 93-112, 2011.

PICCIN, Gabriela; FINARDI, Kyria Rebeca. A internacionalização a partir de diferentes loci de enunciação: as concepções de sujeitos praticantes do currículo profissional. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 58, n. 1, p. 313-340, 2019a.

PICCIN, Gabriela. F. O.; FINARDI, Kyria Rebeca. Questioning global citizenship education education in the internationalization agenda. SFU Educational Review Journal, v. 12, p. 73-89, 2019b.

RAJAGOPALAN, Kanavilil. Política linguística: do que é que se trata, afinal? In: NICOLAIDES, C.; SILVA, K. A.; TÍLIO, R.; ROCHA, C. H. (Ed.), Política e políticas linguísticas. Campinas, SP: Pontes, 2013. p.19-42

RAMOS, Milena Yumi. Internacionalização da pós-graduação no Brasil: lógica e mecanismos. Educação e Pesquisa, v. 44, p. 1-22, 2018.

RICENTO, Thomas. An introduction to language policy: theory and method. Malden, MA: Blackwell, 2006.

RODRIGUEZ, F. (2019, June 19). Student union: Esports arena. Florida Atlantic University. Disponível em: http://www.fau.edu/student/features/posts/esports/index.php . Acesso em: 25 mar 2020.

SANTOS, Boaventura de. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2004.

SHAW, Marta. A. The challenges and implications of globalization for undergraduate pedagogy. In: WILLIAMS, R. D.; LEE, A. (Ed.), Internationalizing higher education: critical collaborations across the curriculum (pp.35-45). Rotterdam, Netherlands: Sense, 2015.

SILVA, Wanessa. A.; MARI, Cezar. L. Internacionalização e ensino superior: história e tendências atuais. Revista de Políticas Públicas e Segurança Social, v. 1, n. 1, p. 36-53, 2017.

SPOLSKY, Bernard. Language policy. New York: Cambridge Univ., 2004.

STEIN, Sharon; ANDREOTTI, Vanessa O. Cash, competition, or charity: international students and the global imaginary. Higher Education, v. 72, n.2, p.225-239, 2016. doi:10.100710734-015-9949-8

STEIN, Sharon. Internationalization for an uncertain future: tensions, paradoxes, and possibilities. The Review of Higher Education, v. 41, n. 1, p. 3-32, 2017.

STRECK, Danilo; ABBA, Julieta. Internacionalização da educação superior e herança colonial na América Latina. Internacionalización y producción de conocimiento: el aporte de las redes académicas, p. 131-149, 2018.

VAN DAMME, Dirk. Who Benefits When International Students Pay Higher Tuition fees? OECD education and skills today. Disponível em: https://oecdedutoday.com/who-benefits-when-international-students-pay-higher-tuition-fees/ Acesso em: 30 mar 2020.

VAVRUS, Frances; PEKOL, Amy. Critical internationalization: moving from theory to practice. In: FIRE: Forum for International Research in Education. Lehigh University Library and Technology Services, 2015. p.5-21.

VIEIRA, Gicele; FINARDI, Kyria Rebeca; PICCIN, Gabriela. Internacionalizando-se: os desafios para os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Brasil. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 13, p. 394-410, 2018.

Downloads

Publicado

2020-08-13

Como Citar

FINARDI, K. R.; SEMBIANTE, S.; AMORIM, G.; VERONEZ, T. Internacionalizações em dois loci de enunciação: o sul e o norte global. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 22, n. 3, p. 591–611, 2020. DOI: 10.20396/etd.v22i3.8659311. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8659311. Acesso em: 3 dez. 2021.