Cartografias de cinema

dialogando com o imaginário geográfico docente

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v23i2.8661474

Palavras-chave:

Cinema, Ensino de Geografia, Linguagem visual

Resumo

Este texto deriva do projeto “Nas telas da escola: cinema e professores de Geografia”, da Rede Internacional de Pesquisas “Imagens, Geografias e Educação”, que buscou diagnosticar práticas de docentes de Geografia com cinema e, a partir daí, estudar elementos que pudessem contribuir com a regulamentação da Lei 13006/14. Nele buscamos pistas para compreender se a cultura visual cartográfica, presente na formação dos docentes de Geografia da escola, se manifesta nas escolhas das obras cinematográficas usadas como recursos imagéticos nas aulas de Geografia. Para tanto, identificamos e sistematizamos diferentes abordagens dos estudos sobre as conexões entre cartografia e cinema, constituindo um arcabouço acerca do impulso de mapeamento e detalhando a abordagem de Castro (2015) que distingue  formas cartográficas ou expressões cinematográficas do impulso de mapeamento: os panoramas, as vistas aéreas e atlas.  Selecionamos os três filmes nacionais mais citados como primeira menção por docentes participantes da pesquisa, de diferentes gêneros, a saber, “Central do Brasil”, “Encontro com Milton Santos: o mundo global visto do lado de cá” e “Ilha das Flores”, que foram analisados à luz das expressões cinematográficas do impulso de mapeamento. Concluímos que é possível que o impulso de mapeamento influencie as  escolhas das obras a serem usadas por professores e professoras de Geografia em sala de aula, indicando a força da cultura visual da cartografia, o que pode induzir ao uso de imagens clichês que limitam os estudantes a pensar o espaço a partir de outras possibilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gisele Girardi, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Geografia (Geografia Física/Cartografia) pela Universidade de São Paulo (USP).  Pós-doutorado (Educação) pela Universidade Estadual de Campinas. Professora associada no Departamento de Geografia do Centro de Ciências Humanas e Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Ernandes de Oliveira Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo e pedagogo pela Faculdade Serravix (Multivix). Professor pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo ( IFES) . Pesquisador do Grupo de Pesquisa de Políticas Espaciais de Imagens e Cartografias (POESI)/UFES. 

Mayara Perinni de Aguiar, Universidade Federal do Espírito Santo

Mestranda em Geografia Humana pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).  Membro do grupo de pesquisa Política Espacial das Imagens e Cartografia - POESI, vinculado à Rede Internacional de pesquisa "Imagens, Geografias e Educação". 

Referências

ALMEIDA, Milton José de. Cinema: arte da memória. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

ALPERS, Svetlana. The art of describing: dutch art in the seventeenth century. Chicago: The Univ. of Chicago, 1983.

BRASIL. Lei nº 13.006, de 26 de junho de 2014. Acrescenta § 8º ao art. 26 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para obrigar a exibição de filmes de produção nacional nas escolas de educação básica. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 27 de junho de 2014.

BRUNO Giuliana. Atlas of emotion: journeys in art, architecture, and film. London, New York: Verso, 2002.

CAMPOS, Rui Ribeiro. Cinema, geografia e sala de aula. Estudos geográficos, Rio Claro, v. 4, n. 1, p. 1-22, jun. 2006.

CAQUARD, Sébastien. Foreshadowing contemporary digital cartography: a historical review of cinematic maps in films. The Cartographic Journal, v. 46, n. 1, p.16-23, 2009.

CAQUARD, Sébastien; TAYLOR, D. R. Fraser. What is cinematic cartography? The Cartographic Journal, v. 46, n. 1, p.1-6, 2009.

CASTRO, Teresa. Impulso cartográficos do cinema. In: AZEVEDO, Ana Francisca de; RAMIREZ, Rosa Cerarols; OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de (Ed.). Intervalo II: entre geografias e cinemas. Guimarães: UMINHO, 2015. Cap. 1, p. 23-39.

CASTRO, Teresa. Le cinéma et la raison cartographique des images. Travaux de l'Institut Géographique de Reims, v. 33-34, n. 129-130, p. 27-37, 2007.

CASTRO, Teresa. Les archives de la planète: a cinematographic atlas. Jump Cut: a review of contemporary media, n. 48, winter, 2006.

CASTRO, Teresa. Mapping the city through film: from “topophilia” to urban mapscapes. In: ROBERTS, Les; KOECK, Richard (Ed.), The city and the moving image. London: Palgrave Macmillan, 2010. p. 144-155.

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles. Rio de Janeiro: VideoFilmes, 1998. 113 min.

CONLEY Tom. Cartographies de films. In: SORLIN, Pierre; ROPARS-WUILLEUMIER, Marie-Claire; LAGNY, Michelle (Dir.) L'art et l'hybride. Saint-Denis: Presses Universitaires de Vincennes, 2001. p. 53-71.

CONLEY, Tom. Cartographic cinema. Minneapolis: Univ. of Minnesota, 2007.

CONLEY, Tom. Du cinéma à la carte. Cinémas, v. 10, n. 2-3, p. 65-84, 2000.

CORAÇÃO, Cláudio Rodrigues. O documentário como registro de enfrentamento: encontro com Milton Santos, de Silvio Tendler. Comunicologia, Brasília,DF, n.9, p. 129-146, 2012.

ENCONTRO com Milton Santos: o mundo global visto do lado de cá. Direção: Sílvio Tendler. Rio de Janeiro: Caliban, 2006. 90 min.

FIORAVANTE, Karina Eugenia. Geografia e cinema: a releitura dos conceitos de espaço, paisagem e lugar a partir das imagens em movimento. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 272-297, abr., 2018.

FIUZA, Alexandre Felipe. O resto é verdade: história e ficção em sala de aula no curta-metragem Ilha das Flores. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.32, p.243-253, dez.2008.

HARLEY, John Brian. The map and the development of the history of cartography. In: HARLEY, J. B.; WOODWARD, D. (Ed.) The history of cartography. Cartography in prehistoric, acient and medieval Europe and the Mediterranean. Chicago: The Univ. of Chicago, 1987. Cap. 1, p. 1-42.

HOLLMAN, Verónica. Enseñar a mirar lo (in)visible a los ojos/; la instrucción visual em la geografía escolar argentina. In: LOIS, Carla; HOLLMAN, Verónica (Ed.) Geografía y cultura visual: los usos de las imágenes en las reflexiones sobre el espacio. Rosario: Prohistoria, 2013. p.55-78.

HOLLMAN, Verónica. Regimes visuais da questão ambiental nos livros didáticos de geografia na Argentina. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, SP, v. 4, n.8, p. 221-240, jul./dez. 2014.

IBAZETA, María Celina. O modelo sociológico revisitado no documentário político Encontro com Milton Santos. O mundo global visto do lado de cá de Silvio Tendler. RuMoRes, v. 5, n. 9, p. 1-6, jun. 2011.

ILHA das Flores. Direção: Jorge Furtado. Porto Alegre: Casa de Cinema de Porto Alegre, 1989. 13 min.

LUKINBEAL, Chris. Mobilizing the cartographic paradox: tracing the aspect of cartography and prospect of cinema. ETD–Educação Temática Digital, Campinas, v. 11, n. 2, p. 1-32, jan./jun., 2010.

LUKINBEAL, Chris. The map that precedes the territory: an introduction to essays in cinematic geography. GeoJournal, n. 59, p. 247–251, 2004.

MACHADO, Pamela de Bortoli; AKHRAS, Fábio Nauras. Conceitos de aprendizagem, cinema e Film Literacy no documentário Ilha das Flores (1989). Quaestio, Sorocaba, v. 19, n. 2, p. 347-362, ago. 2017.

MAIA, Ana Filipa Matos. Central do Brasil: identidades e representações do país no cinema brasileiro. Revista Comunicando, v. 5, n. 2, p. 147-170, 2016.

MASCARELLO, Fernando (Org.). História do cinema mundial. Campinas: Papirus, 2006.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de; GIRARDI, Gisele. O cinema como diferença na linguagem do ensino de geografia: uma cartografia provisória. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, v. 10, n. 19, p. 45-66, jan./jun., 2020.

OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de. O que seriam as geografias de cinema? Txt: Leituras Transdisciplinares de Telas e Textos, Belo Horizonte, v.1, n.2, p.27-33, 2005.

OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de. A educação visual dos mapas. Revista Geográfica de América Central, v. 47E, p. 1-20, 2011.

OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de. Mapas em deriva - imaginação e cartografia escolar. Geografares, v. 11/12, p. 1-49, 2012.

OLIVEIRA JR., Wenceslao Machado de. O cinema e a geografia num percurso de dor: a via crucis de Dora em Central do Brasil. Entre Lugar, v.1, p. 33-48, 2010.

ROSE, Gillian. Visual methodologies: an introduction to the interpretation of visual materials. London: SAGE, 2007.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à ciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SEEMANN, Jörn. O ensino de cartografia que não está no currículo: olhares cartográficos, “Carto-Fatos” e “Cultura Cartográfica”. In: NUNES, Flaviana Gasparotti (Org.). Ensino de Geografia: novos olhares e práticas. Dourados: Ed. da UFGD, 2011. p. 37-60.

VOTTO, Rossandra Rodrigues; RODRIGUES, Elisângela de Felippe. O cinema no ensino de geografia: proposta de roteiro para trabalho em aula. Revista de Ensino de Geografia, Uberlândia, v. 8, n. 15, p. 206-224, jul./dez. 2017.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2005.

Downloads

Publicado

2021-05-19

Como Citar

GIRARDI, G.; PEREIRA, E. de O.; AGUIAR, M. P. de. Cartografias de cinema: dialogando com o imaginário geográfico docente. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 315–334, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i2.8661474. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8661474. Acesso em: 25 set. 2021.