Banner Portal
História no ensino secundário
Foto de capa: Antonio Carlos Dias Júnior
PDF

Palavras-chave

Reformas educacionais
Currículo
História das disciplinas escolares
Sensibilidades
Ensino de história

Como Citar

PINTO JUNIOR, Arnaldo; RIBEIRO JUNIOR, Halferd Carlos. História no ensino secundário: reformas, currículo e sensibilidades. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 25, n. 00, p. e023002, 2023. DOI: 10.20396/etd.v25i00.8664268. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8664268. Acesso em: 24 jul. 2024.

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar concepções de ensino de História para o ensino secundário que circularam nos contextos da Primeira República e da reforma curricular de 1951. Dialogando com referenciais teórico-metodológicos da história cultural e do currículo, estudamos a legislação educacional e programas de ensino para refletirmos sobre textos produzidos pelos professores Mello e Souza e Vicente Tapajós. Ao defenderem, respectivamente, a História como modeladora do caráter nacionalista e formadora do cidadão democrático, tais sujeitos apresentaram ideias que tanto retratam disputas políticas em torno do currículo quanto procuravam forjar visões de mundo e sensibilidades dos estudantes durante os processos educativos escolares.

https://doi.org/10.20396/etd.v25i00.8664268
PDF

Referências

ABREU, Martha; SOIHET, Rachel; GONTIJO, Rebeca (Org.). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

BITTENCOURT, Circe. Propostas curriculares de história: continuidades e transformações. In: SÁ BARRETO, Elba Siqueira de (Org.). Os currículos do ensino fundamental para as escolas brasileiras. 2 ed. Campinas: Autores Associados; São Paulo: FCC, 2000. p. 127-161.

BOTO, Carlota. A liturgia da escola moderna: saberes, valores, atitudes e exemplos. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 18, n. 44, p. 99-127, set./dez. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde (MES). Portaria Ministerial nº 966, de 02 de outubro de 1951. Rio de Janeiro, 1951a.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde (MES). Portaria Ministerial nº 1.045, de 14 de dezembro de 1951. Rio de Janeiro, 1951b.

BRASIL. Ministério da Educação e Saúde (MES). Portaria Ministerial nº 456, de 27 de fevereiro de 1951. Rio de Janeiro, 1951c.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A escola e a República. 1. reimpressão. São Paulo: Editora Brasiliense, 2011.

COSTA, Emília Viotti da. Os objetivos do ensino de história no curso secundário. Revista de História, São Paulo, v. 14, n. 29, p. 117-120, 1957.

FERREIRA, Ana Emília Cordeiro Souto; CARVALHO, Carlos Henrique de; GONÇALVES NETO, Wenceslau. Federalismo e educação no Brasil republicano: dilemas da organização educacional (1889-1930). Acta Scientiarum, Maringá, v. 38, n. 2, p. 109-120, abr./jun. 2016.

FONSECA, Thais Nivia de Lima e. História & ensino de História. 2. ed. Belo Horizonte, MG: Autêntica Editora, 2006. (História & reflexões, 6)

GABRIEL, Sônia Maria da Silva. João Baptista de Mello e Souza: trajetórias e memórias de um professor. 2020. 145 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2020.

GASPARELLO, Arlette Medeiros. Construtores de identidade: a pedagogia da nação nos livros didáticos da escola secundária brasileira. São Paulo: Iglu Editora, 2004.

INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO BRASILEIRO. Vicente Tapajós. [s.d.]. Disponível em: https://ihgb.org.br/perfil/userprofile/vtapajos.html. Acesso em: 26 out. 2020.

MAIO, Marcos Chor. Projeto Unesco e a agenda das ciências sociais no Brasil dos anos 40 e 50. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 14, n. 41, p. 141-158, out. 1999.

MATTOS, Ilmar Rohloff de (Org.). Histórias do ensino da história no Brasil. Rio de Janeiro: Acess, 1998.

MELLO E SOUZA, João Baptista de. O ensino de Historia na formação do caracter. In: MELLO E SOUZA, João Baptista de. Theses apresentadas á Congregação do Collegio Pedro II. Rio de Janeiro: A Encadernadora, 1926.

MIRANDA, Sonia Regina; FREITAS, Daniella Pires de. Brasil sob o signo da memória: notas sobre jovens, nação e nacionalismos. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 29, n. 2, p. 143-174, jun. 2013.

MUNAKATA, Kazumi. Da didática da História à história da História ensinada. Revista História Hoje, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 251-267, jan./jun. 2013.

NADAI, Elza. O ensino de história no Brasil: trajetórias e perspectivas. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 13, n. 25/26, p. 143-162, set. 1992/ago. 1993.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Ressentimento e ufanismo: sensibilidades do Sul profundo. In: BRESCIANI, Stella; NAXARA; Márcia (Org.). Memória e (res)sentimento: indagações sobre uma questão sensível. Campinas: Editora da Unicamp, 2004. p. 221-236.

PINEAU, Pablo. Por qué triunfó la escuela? o la modernidad dijo: “Esto es educación”, y la escuela respondió: “Yo me ocupo”. In: PINEAU, Pablo; DUSSEL, Inés; CARUSO, Marcelo R. La escuela como máquina de educar: tres escritos sobre un proyecto de la modernidad. Buenos Aires: Paidós, 2013. p. 27-52.

AUTOR, 2010.

POPKEWITZ, Thomas. Reforma educacional: uma política sociológica. Poder e conhecimento em educação. Tradução de Beatriz Afonso. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 1997.

AUTOR, 2015.

AUTOR, 2018.

RODRIGUES, Luís Nuno. Da Criação da UNESCO à Adesão de Portugal (1946-1965). Relações Internacionais, Lisboa, n. 12, p. 167-181, dez. 2006.

SCHUELER, Alessandra Frota Martinez de; MAGALDI, Ana Maria Bandeira de Mello. Educação escolar na Primeira República: memória, história e perspectivas de pesquisa. Tempo, Rio de Janeiro, v. 13, n. 26, p. 32-55, 2009.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. História do ensino de história no Brasil: uma proposta de periodização. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 16, n. 37, p. 73-91, maio/ago. 2012.

SENRA, Alvaro de Oliveira. A “liberdade de ensino” e os fundamentos da ação política do segmento privado no Brasil entre 1945 e 1964. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, n. 24, p. 55-82, set./dez. 2010.

SEVCENKO, Nicolau (Org.). História da vida privada no Brasil: da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. (História da vida privada no Brasil, 3)

SILVA, Cristiani Bereta da; ZAMBONI, Ernesta. Cultura política e políticas para o ensino de história em Santa Catarina no início do século XX. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 33, n. 65, p. 135-159, jun. 2013.

SIMÕES FILHO, Ernesto. Discurso do Ministro Simões Filho. Internato, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 245-249, 1951.

SOIHET, Rachel; BICALHO, Maria Fernanda Baptista; GOUVÊA, Maria de Fátima Silva (Org.). Culturas políticas: ensaios de história cultural, história política e ensino de história. Rio de Janeiro: Mauad, 2005.

SOUZA, Rosa Fátima de. O direito à educação: lutas populares pela escola em Campinas. Campinas: Editora da Unicamp: Área de Publicações CMU/Unicamp, 1998.

SOUZA, Rosa Fátima de. A renovação do currículo do Ensino Secundário no Brasil: as últimas batalhas pelo humanismo (1920-1960). Currículos sem Fronteiras, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 72-90, jan./jun. 2009.

TAPAJÓS, Vicente. Contra o racismo na História do Brasil. Atualidades Pedagógicas, São Paulo, v. 2, n. 7, p. 35-37, mar./abr. 1951.

UNESCO. Rapport d'activité presente par M. Torres Bodet. Florence: UNESCO, 1950. Disponível em: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/arquivo-pessoal/CMa/textual/texto-sobre-os-trabalhos-realizados-pela-unesco-como-etapa-precedente-a-v-sessao-da-conferencia-geral-daquela-organizacao-florenca. Acesso em: 21 set. 2020.

UNESCO. Conference for the Establishment of the United Nations Educational, Scientific and Cultural Organisation (1945). London: UNESCO, 1946. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000117626. Acesso em: 10 jun. 2020.

VECHIA, Ariclê; LORENZ, Karl Michael (Org.). Programa de ensino da escola secundária brasileira: 1850-1951. Curitiba: Editora do Autor, 1998.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.