As telas da escola

cinema e professores de geografia - perguntas e reflexões em torno de uma pesquisa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v23i2.8665269

Palavras-chave:

Formação de professores, Cinema, Ensino de geografia, Democracia, Pesquisa

Resumo

Neste texto de apresentação do dossiê homônimo, produzido pela Rede Internacional de Pesquisa “Imagens, Geografias e Educação”, trazemos as múltiplas facetas dos combates pela democratização do cinema, desde o acesso aos filmes em circulação, até o acesso à produção cinematográfica, passando pelos estudos e iniciativas para a intensificação da presença do cinema nas escolas. A pesquisa que sustenta os artigos do dossiê, realizada com mais de duzentos professores de geografia do Brasil, Argentina e Colômbia teve a  intenção de fazer perguntas para as respostas, uma vez que ela será mais potente para criar e deformar pensamentos se nos trouxer perguntas que nos ajudem a formular novas perguntas e problemas para os contextos educativos onde atuamos – para o lugar onde vivemos –, e que também pudessem ser tomadas como questões para outros contextos em que a educação estabelece relações diversas com o cinema. O questionário utilizado encontra-se anexo ao texto no qual argumentamos que a democratização estaria na possibilidade do avizinhamento entre cinema e educação se dar sem que um tipo de cinema seja implementado, mas sim que se proponha e incentive processos de experimentação com o cinema, fazendo com que cada escola possa vir a inventar sua própria maneira de fazer cinema.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wenceslao Machado de Oliveira Junior, Universidade Estadual de Campinas

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Pós-doutorado no Departamento de Geografia da Universidade do Minho, Portugal. Professor Livre Docente pela Universidade Estadual de Campinas (UN ICAMP). Editor da  Revista Educação Temática Digital -ETD.

Flaviana Gasparotti Nunes, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Pós-Doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro  e na Universidad de Buenos Aires. Professora associada da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Gisele Girardi, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutora em Geografia (Geografia Física/Cartografia) pela Universidade de São Paulo (USP).  Pós-doutorado (Educação) pela Universidade Estadual de Campinas. Professora associada do Departamento de Geografia do Centro de Ciências Humanas e Naturais da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Referências

ALMEIDA, M. J. Imagens e sons - a nova cultura oral. São Paulo: Cortez, 1994.

ÂNGELO, R.H.; ÂNGELO, F.H. (Org.). Catálogo da 11ª Mostra de Cinema de Ouro Preto-CINEOP. Belo Horizonte: Universo Produções, 2016.

BARBOSA, C. O espaço do devir no documentário: cartografia dos encontros entre cinema e escola. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2016.

BERGALA, A. A hipótese-cinema: pequeno tratado de transmissão do cinema dentro e fora da escola. Rio de Janeiro: Book-link/CINEAD-LISE-FE-UFRJ, 2008.

BRUZZO, C. O cinema na escola: o professor, um espectador. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1995.

CAZETTA, V. As coreo-geo-grafias em Pina: para fazer a geografia dançar. Revista Entre Lugar, v. 4, p. 19-31, 2013.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil Platôs. v. 1. São Paulo: Editora 34, 1995.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil Platôs. v. 4. São Paulo: Editora 34, 1997.

DUARTE, R. Cinema e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

ESCÓSSIA, L.; KASTRUP, V.; PASSOS, E. Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Meridional, 2015.

FALCÃO, A. R.; BRUZZO, C. Lições com o cinema (Coleção). São Paulo: FDE, 1993.

FERRAZ, C. B.; NUNES, F. G. Ser professor: deformar e criar pensamentos. Revista Percursos, v. 13, n. 2, p. 94-113, 2012.

FERRAZ, C. B.; NUNES, F. G. (Org.). Imagens, geografias e educação - intenções, dispersões e articulações. Dourados: Editora da UFGD, 2013.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FRESQUET, A. et al. (Org.). Imagens do desaprender. Uma experiência de aprender com o cinema. Rio de Janeiro: Book-link/CINEAD-LISE-FE-UFRJ, 2007.

FRESQUET, A. (Org.). Cinema e educação: a lei 13.006 – reflexões, perspectivas e propostas. Ouro Preto: Universo Produções, 2015.

GIRARDI, G. Arte e mapeamento ou como fazer um mapa arder?. In: NUNES, F.G.; NOVAES, I.F. (Org.). Encontros, derivas, rasuras: potências das imagens na educação geográfica. Uberlândia: Assis, 2017.

GUIMARÃES, C. O que é uma comunidade de cinema? Revista EcoPós, v. 18, n. 1. p. 44-56, 2015.

HOLLMAN, V. “El agua vale más que el oro”: cine documental y conflictos ambientales en Argentina In: AZEVEDO, A. F.; CERAROLS, R. R.; OLIVEIRA JR, W.M. (Org.). Intervalo - entre Geografias e Cinemas. v.1. Braga: Editora da Uminho, 2015. p.201-228.

MASSEY, D. Pelo espaço – uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

MIGLIORIN, C. Inevitavelmente cinema: educação, política e mafuá. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2015.

MIGLIORIN, C. Cinema e clínica: notas com uma prática. Revista Metamorfose, v. 4, n. 4, p. 31-46, junho de 2020.

MIGLIORIN, C.; PIPANO, I. Cinema de brincar. Belo Horizonte: Relicário, 2019.

NAPOLITANO, M. Como ensinar cinema na sala de aula. São Paulo: Contexto, 1999.

OLIVEIRA JR, W. M.; GIRARDI, G. O cinema como diferença na linguagem do ensino de geografia: uma cartografia provisória. Revista Brasileira de Educação em Geografia, v. 10, p. 45-66, 2020.

ORLANDI, L. Deleuze – entre caos e pensamento. In: AMORIM, A. C.; MARQUES, D.; DIAS, S. (Org.). Conexões: Deleuze e imagem e pensamento e.... Petrópolis, Campinas: DP et Alii, CNPq, p. 145-154, 2011.

PREVE, A. M. H. Perder-se: experiência e aprendizagem. In: CAZETTA, V. e OLIVEIRA JR, W. M. (Org.). Grafias do espaço: imagens da educação geográfica contemporânea. São Paulo: Editora Alínea, p. 257-277, 2013.

RANCIÈRE, J. O espectador emancipado. Lisboa: Orfeu Negro, 2010.

RANCIÈRE, J. O mestre ignorante – cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

REIS JUNIOR, A. Cinema brasileiro na escola pública = reconhecimento na diferença. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2010.

RIBEIRO, D. Lugar de fala. São Paulo: Polen, 2019.

TABORDA, M. A.; RESTREPO, M.; HENAO, F. Reidentificación de la fotografía como una práctica pedagógica: configuración del concepto Lugafot. Dossiê Paisagens inundadas - experimentações escolares e(m) imagens. Revista Brasileira de Educação em Geografia. v. 3, n. 6, p. 47-67, 2013.

TEIXEIRA, I. A escola vai ao cinema. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

Publicado

2021-05-19

Como Citar

OLIVEIRA JUNIOR, W. M. de; NUNES, F. G.; GIRARDI, G. As telas da escola: cinema e professores de geografia - perguntas e reflexões em torno de uma pesquisa. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 293–314, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i2.8665269. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8665269. Acesso em: 26 jul. 2021.