Banner Portal
Necessidades psicológicas básicas e o bem-estar na docência na educação básica
Foto de capa: Antonio Carlos Dias Júnior
PDF

Palavras-chave

Bem-estar docente
Necessidades psicológicas básicas
Docência
Educação básica

Como Citar

MATTOS, R. C. M. de; TIMM, J. W. Necessidades psicológicas básicas e o bem-estar na docência na educação básica. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 25, n. 00, p. e023038, 2023. DOI: 10.20396/etd.v25i00.8666878. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8666878. Acesso em: 22 fev. 2024.

Resumo

Objetiva-se analisar os posicionamentos de docentes que atuam na educação básica frente as necessidades psicológicas básicas e, com isso, compreender que definições atribuem aos sensos de autonomia, competência e pertencimento e sua relação com o bem-estar na docência. A metodologia utilizada compreendeu uma pesquisa quali-quantitativa, através da aplicação de um questionário, encaminhado por e-mail, via Google Forms. O questionário original foi subdividido em três eixos, sendo aqui adotados para discussão e análise, o primeiro e parte do terceiro. O primeiro eixo compreende questões relevantes para a contextualização sóciodemográfica e laboral. O terceiro eixo, composto por cinco perguntas discursivas, sendo três delas relativas as necessidades psicológicas básicas e, portanto, utilizadas na presente discussão. Os dados coletados foram analisados pelo viés da analise de conteúdo. Participaram do estudo oitenta e três professoras∕es da rede pública municipal de uma cidade situada no noroeste do estado do Rio Grande do Sul, o que equivale a 44,6% do total de docentes municipais que trabalham em sala de aula, no referido município. Os resultados indicam níveis satisfatórios de bem-estar, em especial no que tange às necessidades psicológicas básicas (pertencimento, competência e autonomia). Conclui-se que a ênfase nas necessidades psicológicas básicas permitiu compreender que o bem-estar docente precisa ser um propósito de toda a comunidade escolar, articulando os distintos segmentos na organização das instituições e sistemas educacionais, de modo a propiciar a vivência do senso de autonomia, de competência e de pertencimento no contexto da docência.

https://doi.org/10.20396/etd.v25i00.8666878
PDF

Referências

AZANHA, José Mário Pires. A Formação do Professor e Outros Escritos. São Paulo: Editora Senac, 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Ed. 70, 2016.

CARVALHO, José Sérgio. Reflexões sobre Educação, Formação e Esfera Pública. Porto Alegre: Penso, 2013.

CORTELLA, Mário Sérgio. Educação, Escola e Docência. Novos tempos, novas atitudes. São Paulo: Cortez Editora, 2014.

DAVOGLIO, Tarcia Rita; TIMM, Jordana Wruck; SANTOS, Bettina Steren dos; CONZATTI, Fernanda de Brito Kulmann. Necessidades psicológicas básicas: definições operacionais na docência universitária. ETD: EDUCAÇÃO TEMÁTICA DIGITAL, v. 19, p. 510-531, 2017.

DECI, Edward L.; RYAN, Richard M. The “What” and “Why” of goal pursuits: human needs and the self-determination of behavior. Psychological Inquiry, 2000, v. 11, n. 04, p. 227– 268. Disponível em: http://goo.gl/cvu9Ek. Acesso em: 04 abr. 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Indignação. Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. À Sombra desta Mangueira. 5ª ed. São Paulo: Editora Olho d’Água, 1994.

FREIRE, Paulo. Professora Sim, Tia Não. Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Editora Olho d’Água, 1993.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

GUTERRES, Rodrigo de Azambuja. Educação Física nas Séries Iniciais: Uma Proposta de Bem-Estar para Unidocentes do Município de Alegrete-RS. 2011. 89 f. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS. Dissertação de Mestrado. PUCRS, 2011.

JESUS, Saul Neves de. Bem-estar dos professores: estratégias para realização e desenvolvimento profissional. Porto: Porto Editora, 1998.

MARCHESI, A. O bem-estar dos professores: competências, emoções e valores. Porto Alegre: Artmed, 2008.

MENDES, Maria Luiza Maciel. Condições de Trabalho e Saúde Docente. 2006. Disponível em: www.fae.ufmg.br/estrado/cd_viseminario/trabalhos/eixo_tematico_2/condicoes_trab_saude_docente. Acesso em: 25 de julho de 2020.

PINHEIRO, Leandro Brum. O bem-estar na escola salesiana: evidências da realidade. 2011. 141 f. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS. Dissertação de Mestrado. PUCRS, 2011.

RAUSCH, Rita Buzzi. DUBIELLA, Eliani. Fatores que promoveram mal ou bem-estar ao longo da profissão docente na opinião de professores em fase final de carreira. REV. DIÁLOGO EDUC., Curitiba, v. 13, n. 40, p. 1041-1061, set./dez. 2013.

REBOLO, Flavinês. BUENO, Belmira Oliveira. O Bem-estar Docente: limites e possibilidades para a felicidade do professor no trabalho. Acta Scientiarum. Education Maringá, v. 36, n. 2, p. 323-331, July-Dec., 2014.

RYAN, Richard. M.; DECI, Edward L. Overview of self-determination theory:an organismic dialectical perspective. In: DECI, Edward L.; RYAN, Richard. M. (Eds.). Handbook of self-determination research. Rochester, NY: University of Rochester Press. p. 03–33.2002. Disponível em: http://goo.gl/7OgP4A. Acesso em: 02 ago. 2021.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.