Banner Portal
Cultura digital e as tecnologias digitais no ensino de arte do território maranhense
Foto de capa: Antonio Carlos Dias Júnior
PDF

Palavras-chave

Tecnologias digitais
Cultura digital
Ensino de arte

Como Citar

COSTA, William Cordeiro; SOUSA, Richard Perassi Luiz de. Cultura digital e as tecnologias digitais no ensino de arte do território maranhense. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 26, n. 00, p. e024019, 2024. DOI: 10.20396/etd.v26i00.8670746. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8670746. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

O Documento Curricular do Território Maranhense (DCTM) é referência para as escolas localizadas no território maranhense, no que tange aos conteúdos dos componentes curriculares na educação básica, especificamente da educação infantil ao ensino fundamental. Nesse sentido, o objetivo deste estudo é discutir a estruturação do componente curricular de Arte no documento e também suas relações com as tecnologias digitais. Assim, considera-se os conceitos e os fundamentos da proposta curricular para o território maranhense, com suas aproximações entre educação, tecnologia e ensino de Arte. Trata-se do contexto de inserção das tecnologias digitais nos processos educacionais. Por isso, utilizou-se o método de análise documental para estudar o curricular maranhense (DCTM), investigando-se como os instrumentos tecnológicos são abordados e indicados para o ensino de Arte. O estudo documental foi baseado em referências teóricas nos campos de arte, educação e cultura digital. Os resultados do estudo apontaram, principalmente, uma mudança com relação ao currículo tradicional do ensino de Arte, sendo essa justificada pela necessidade de integração do aparato tecnológico à prática didático-pedagógica, com diferentes recursos tecnológico-digitais que, às vezes, desempenham a função de instrumentos mediadores da ação pedagógica e, outras vezes, são meios de acesso, criação e expressão artísticas no ensino fundamental.

https://doi.org/10.20396/etd.v26i00.8670746
PDF

Referências

ALONSO, Kátia Morosov. Cultura digital e formação: entre um devir e realidades pungentes. In: CERNY, Roseli Zen et al. (org.). Formação de educadores na cultura digital: a construção coletiva de uma proposta. Florianópolis: UFSC/CED/NUP, 2017, p. 23-39.

BRASIL, Base Nacional Comum Curricular. Brasília. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/ . Acesso em: 10 jan. 2019.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LDB-9394-1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf . Acesso em: 24 dez. 2021.

BARBOSA, Ana Mae. Dilemas da arte/educação como mediação cultural em namoro com as tecnologias contemporâneas. In: BARBOSA, Ana Mae (org.). Arte/educação contemporânea: consonâncias internacionais. São Paulo: Cortez, 2005, p. 98-112.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Tradução de Roneide Venâncio Majer. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999. 521 p.

KENSKI, Vani. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2008.

LAPA, Andrea Brandão; PINA, Antônio Bartolomé; MENOU, Michel. Empoderamento e educação na cultura digital. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 16, n. 43, abr. 2019. Disponível em http://periodicos.estacio.br/index.php/reeduc/issue/view/245. Acesso 12 abr. 2022.

LARUCCIA, Mario Maia. Notas sobre linguagem, comunicação e educação. Pensamento e Realidade, v.15. 2004. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/pensamentorealidade/article/view/8446. Acesso 24 abr.2023.

LEMOS, André. Arte eletrônica e cibercultura. Revista FAMECOS, v. 4, n. 6, p. 21- 31, abr.1997. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/2960 . Acesso: 24 junho 2021.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1999.

MARANHÃO. Documento curricular do território maranhense: para a educação infantil e o ensino fundamental. Rio de Janeiro: FGV, 2019.

MILL, Daniel; JORGE, Glaucia. Sociedade grafocêntrica digital. In: MILL, D. (org.). Dicionário crítico de educação e tecnologias e de educação a distância. Campinas: Papirus, 2018.

MILL, Daniel; JORGE, Glaucia. Sociedades grafocêntricas digitais e educação: sobre letramento, cognição e processos de inclusão na contemporaneidade. In: MILL, Daniel. (org.). Escritos sobre educação: desafios e possibilidades para ensinar e aprender com as tecnologias emergentes. São Paulo: Paulus, 2013.

OLIVEIRA, Ana Cláudia Mei Alves de. Arte e tecnologia: uma nova relação? In: DOMINGUES, Diana (org.). Arte no século XXI: a humanização das tecnologias. São Paulo: Editora UNESP, 1997, p. 374.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Tecnologias contemporâneas e o ensino da Arte. In: Inquietações e mudanças no ensino da arte. Organizado por Ana Mae Barbosa. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PRENSKY, Marc. Digital Native, digital immmigrants. Digital Native immigrants. On the horizon, MCB University Press, Vol. 9, n.5, October, 2001. Disponível em: http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em: 07 set. 2022.

POISSANT, Louise. Ser e fazer sobre a tela. In: DOMINGUES, Diana (org.). Arte e vida no século XXI: tecnologia, ciência e criatividade. São Paulo: Editora UNESP, 2003. p. 115-123.

SANTAELLA, Lúcia. Cultura das mídias. São Paulo: Experimento. 1996.

ZAMPERETTI, Maristani Polidori; ROSSI, Flávia Demke. Tecnologias e ensino de artes visuais – apontamentos iniciais da pesquisa. Revista Holos, v. 8, ano 31, 2015. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/2031 . Acesso em: 3 jun. 2020.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.