O agente preto como fator da modernização brasileira
PDF

Palavras-chave

Manuel Querino
Arthur Timótheo da Costa
K. Lixto
Martiniano Eliseu do Bonfim
Mestre Didi

Como Citar

CONDURU, R. O agente preto como fator da modernização brasileira. MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 412–431, 2022. DOI: 10.20396/modos.v6i1.8667440. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/mod/article/view/8667440. Acesso em: 5 mar. 2024.

Resumo

A partir do texto “O colono preto como fator da civilização brasileira”, publicado por Manuel Querino em 1918, o artigo conecta tanto culturas africanas e afro-brasileiras, de maneira geral, quanto pessoas afrodescendentes e suas realizações, em particular, como fatores cruciais da modernização artística no Brasil, entre o final do século XIX e meados do século XX. Essas contribuições ainda não foram devidamente reconhecidas pela crítica e instituições de arte, nem publicamente. Sem o reconhecimento de suas dimensões afro/pretas, a modernidade no Brasil permanece incompleta.

https://doi.org/10.20396/modos.v6i1.8667440
PDF

Referências

AMANCIO, K. A.de O. Reflexões sobre a pintura de Arthur Timotheo da Costa. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia, letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, 2016.

ARAUJO, A. L. Enjeux politiques de la mémoire de l’esclavage dans l’Atlantique Sud. Lusotopie, Aix-en-Provence, v. XVI, n. 2, p. 107-131, 2009.

BITTENCOURT, R. Um dândi negro: o retrato de Arthur Timótheo da Costa de Carlos Chambelland. Tese (Doutorado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2015.

BRANCATO, J. V. R. Natureza-morta e paisagem na crítica de arte de Adalberto Mattos, 19&20, Rio de Janeiro, v. XIV, n. 1, jan.-jun. 2019. Disponível em: http://www.dezenovevinte.net/criticas/jvrb_adalbertomattos.htm.

CARDOSO, R. The problem of race in Brazilian painting, c. 1850-1920. Art History, London, v. 38, n. 3, p. 488-511, jun. 2015.

CARDOSO, R. Modernity in black and white. Art and image, race and identity in Brazil, 1890-1945. Cambridge: Cambridge University Press, 2021.

CARNEIRO DA CUNHA, M. Da senzala ao sobrado: arquitetura brasileira na Nigéria e na República Popular do Benim. São Paulo: Nobel; Edusp, 1985.

CARNEIRO DA CUNHA, M. Negros, estrangeiros: os escravos libertos e sua volta à África. São Paulo: Brasiliense, 1985.

CONDURU, R.; FERREIRA, F. Carnaval à Madureira: modernisme et fête populaire au Brésil. In: BOTTELDOORN, E.; FERREIRA, F. (orgs.). Samba etc. Carnaval du Brésil. Binche: Musée International du Carnaval et du Masque, 2011. p. 64-67.

Entre a cabeça e a terra – arquitetura dos Agudás no golfo do Benim, Arte & Ensaios, Rio de Janeiro, v. 24, p. 144-161, 2012.

CONDURU, R. Sobrevivência e invenção: conexões artísticas a partir das relações entre África e Brasil (2012). In: COCCHIARALE, F.; SEVERO, A.; PANITZ, M. (orgs). Artes Visuais. Rio de Janeiro: Funarte, 2017. p. 547-559.

CONDURU, R. Formações transatlânticas – Mestre Didi, Martiniano do Bonfim e a arte da África no Brasil desde os oitocentos, 19&20, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, 2021.

DEALTRY, G. Corpos Transgressores: uma leitura do “povo” na Belle Époque pelo traço de Calixto Cordeiro. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2007.

EULÁLIO, A. A aventura brasileira de Blaise Cendrars. São Paulo: Edusp-Imprensa Oficial-Fapesp, 2001.

GOMES, N. C. A. Três retratos em um retrato: No ateliê, de Arthur Timótheo da Costa. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 28, 2020, p. 1-41.

GOTLIB, N. B. Tarsila do Amaral: a modernista. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 1997.

GURAN, M.; CONDURU, R. Architecture Agouda au Bénin et au Togo. Rio de Janeiro: Edições Fotorio, 2016.

K. LIXTO. S. t. [Autocaricatura], s. d. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra21627/autocaricatura-de-k-lixto. Acesso em: 22 maio 2021. Verbete da Enciclopédia.

K. LIXTO. O Baile Rico, 1905a. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra9861/o-baile-rico. Acesso em: 22 de maio de 2021. Verbete da Enciclopédia.

K. LIXTO. O Baile Pobre, 1905b. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileira. São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: http://enciclopedia.itaucultural.org.br/obra9677/o-baile-pobre. Acesso em: 22 de maio de 2021. Verbete da Enciclopédia.

L. C. A Capoeira. Kosmos, Rio de Janeiro, ano 3, n. 3, mar. 1906.

LEITE, E.; CARAMURU. Samba da Arraia Meuda. Rio de Janeiro: Viúva Guerreiro & Cia, 1921. Partitura musical.

LUSSAC, R. M. P. Entre o crime e o esporte: a capoeira em impressos no Rio de Janeiro, 1890-1960. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2016.

MARAFATTO, M. Brazilian houses Nigeriane = Nigerian Brazilian houses. Lagos: Instituto Italiano di Cultura, 1983.

MAURICIO, J. Itinerário das Artes Plásticas, Correio da Manhã, Rio de Janeiro, n. 22.607, 16 dez. 1966. 2˚ Caderno, p. 2.

MICELI, S. Nacional estrangeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

OKOYE, I.S. African Reimaginations: Presence, Absence, and New Way Architecture. In: SALAMI, G.; BLACKMUN VISONA, M. (org.). A companion to modern African art. Chichester; West Sussex: Wiley Blackwell, 2013. p. 113-134.

QUERINO, M. As artes na Bahia: escorço de uma contribuição histórica. Salvador: Typ. e Encadrnação do Lyceu de Artes e Offícios, 1909.

QUERINO, M. Artistas baianos: indicações biográficas. Revista do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, v. 31, p. 93-115, 1909.

QUERINO, M. A raça africana e os seus costumes na Bahia. In: Congresso Brasileiro de Geografia, 5. Anais [...]. Salvador: SGRJ, 1916.

QUERINO, M. O colono preto como fator da civilização brasileira. In: Congresso Brasileiro de Geografia, 6. Anais [...]. Salvador: SGRJ, 1918.

QUERINO, M. A arte da culinária na Bahia. Bahia: Papelaria Brasileira, 1928.

TERÍBA, A. Using Notions of Beauty to Remember and Be Known in the Bight of Benin and Its Hinterland. Pidgin Magazine, Princeton, v. 11, p. 246-255, 2012.

TERÍBA, A. Afro-Brazilian Architecture in Southwest Colonial Nigeira (1890s-1940s). Tese (Doutorado em Filosofia). Department of Art and Archeology, Princeton University, 2017.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Roberto Conduru

Downloads

Não há dados estatísticos.