Programa Mesa Brasil SESC – Serviço Social do Comércio

participação de alimentos doados em instituições assistidas em Sergipe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v27i0.8655379

Palavras-chave:

Segurança Alimentar e Nutricional, Programas e Políticas de Nutrição e Alimentação, Alimentação Coletiva

Resumo

O presente estudo objetivou avaliar a participação das doações de alimentos realizadas pelo Programa Mesa Brasil SESC (Serviço Social do Comércio) no atendimento às recomendações nutricionais de crianças e adolescentes de instituições filantrópicas por ele assistidas, assim como sua importância em relação ao acesso à alimentação adequada e saudável. Todos os alimentos e as respectivas quantidades doadas para seis instituições no período de novembro de 2016 foram levantados e classificados de acordo com a extensão e grau de processamento. Estimaram-se as necessidades diárias de energia e nutrientes com base nas recomendações nutricionais de acordo com faixa etária e sexo do público atendido. Observou-se que para duas instituições, todos os alimentos doados eram do grupo in natura e para outras duas, grande parte era de alimentos deste grupo ou minimamente processados. O nutriente que obteve maior proporção de atendimento para todas as instituições foi a vitamina C, corroborando predominância nas doações de alimentos in natura. Conclui-se, portanto, que o Mesa Brasil contribuiu positivamente para o acesso à alimentação adequada e saudável na maioria das instituições pesquisadas, uma vez que a maioria dos alimentos doados era in natura, ressaltando o objetivo do programa de ser tão somente de caráter complementar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hanna Professor Machado, Universidade Federal de Sergipe

Graduação em andamento em Nutrição pela Universidade Federal de Sergipe.

Joyce Fernanda de Souza Pimentel, Universidade Federal de Alagoas

Graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Alagoas.

Juliana Ramos da Mota, Universidade Federal de Sergipe

Graduação em Nutrição pela Universidade Federal de Sergipe. Integrante do Observatório de Segurança Alimentar e Nutricional.

Sílvia Maria Voci, Universidade Federal de Sergipe

Doutorado em Nutrição em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo. Professora Efetiva do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Sergipe.

 

Referências

Brasil. Lei no 11.346 de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas a assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências [Internet]. Diário Oficial da União. 2006 [acesso em 2017 jan 15]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm

Burity V, Franceschini T, Valente F, Recine E, Leão M, Carvalho MF. Direito humano à alimentação adequada no contexto da segurança alimentar e nutricional. Brasília: Abrandh; 2010. p. 11-12.

Monteiro CA. Fome, Desnutrição e Pobreza: além da Semântica. Saúde e Sociedade. 2003; 12(1):07-11.

Pinheiro ARO, Carvalho MFC. Transformando o problema da fome em questão alimentar e nutricional: uma crônica desigualdade social. Ciência & Saúde Coletiva. 2010;15(1):121-130.

Hespanhol RAM. Programa de Aquisição de Alimentos: Limites e Potencialidades de Políticas de Segurança Alimentar para a Agricultura Familiar. Revista Sociedade & Natureza. 2013;25(3):469-483.

Henn LFRRL, Backes V, Melo P, Marques LAS, Olinto MTA. Insegurança alimentar e consumo alimentar inadequado em escolares da rede municipal de São Leopoldo, RS, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. 2016;21(7):2275-2285.

Serviço Social do Comércio – SESC[Internet]. São Paulo; 2016. [acesso em 2016 set 28]. Disponível em: http://www.sesc.com.br/mesabrasil/omesabrasil.html

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – CONSEA [Internet]. Brasília; 2016. [acesso em 2016 set 28]. Disponível em: http://www4.planalto.gov.br/consea/comunicacao/noticias/2016/mesa-brasil-sesc-combate-o-desperdicio-de-alimentos

Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alimentação – NEPA. Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos – TACO [Internet]. 4.ed. Campinas: Nepa/Unicamp; 2011. [acesso em 2017 jan 09]. Dísponível em: http://www.unicamp.br/nepa/taco

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 – POF [Internet]. Rio de Janeiro; 2011. [acesso em 2017 fev 25]. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br

Dietary Reference Intake – DRI [Internet]. Washington, DC: Institute of Medicine; 2004. [acesso em 2017 mar 05]. Disponível em: http://www.nationalacademies.org

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de atenção à saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira [Internet ]. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. [acesso em 2017 abr 20]. Disponível em: http://portalarquivos.saude.gov.br

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 – POF [Internet]. Rio de Janeiro; 2011 [acesso em 2017 fev 25]. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br

Institute of Medicine. Dietary Reference Intakes: applications in dietary assessment [Internet]. Washington, DC; 2000. [acesso em 2017 mar 05]. Disponível em: http://www.nationalacademies.org

Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2.ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Bastos MAR, Costa LA. Avaliação do programa banco de alimentos: identificando indicadores. In: 4 Seminário de Extensão da Universidade FUMEC, 2007, Belo Horizonte. 4 Seminário de extensão da Universidade FUMEC – Cadernos de Artigos. Belo Horizonte: Universidade FUMEC; 2007. p. 7:113.

Worthen BR, Sanders JR, Fitzpatrick JL. Avaliação de programas sociais: concepções e práticas. São Paulo: Gente; 2004.

De Lima Guedes MJ, Vital TW, Menelau AS, Da Costa JM. Programa Banco de Alimentos do Serviço Social do Comércio em Pernambuco: uma abordagem sistêmica. DEMETRA Aliment Nutr Saúde. 2018;13(4):1005-1022.

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Manual de Implantação do Banco de Alimentos [Internet]. Brasília; 2006 [acesso em 2019 nov 27]. Disponível em: http://www.mds.gov.br

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SESAN [Internet]. Brasília; 2014 [acesso em 2019 nov 27]. Disponível em:http://www.mds.gov.br/segurancaalimentar

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate – n. 5 [Internet]. Brasília; 2007 [acesso em 2020 ago 6]. Disponível em: https://fpabramo.org.br/acervosocial/wp-content/uploads/sites/7/2017/08/210.pdf

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate – n. 14 [Internet]. Brasília; 2010 [acesso em 2020 ago 6]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/seguranca_alimentar/Redeequipamento_SANpdf.pdf

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate – n. 16 [Internet] Brasília; 2014 [acesso em 2020 ago 6]. Disponível em: https://aplicacoes.mds.gov.br

Downloads

Publicado

2020-09-01

Como Citar

1.
Machado HP, Pimentel JF de S, Mota JR da, Voci SM. Programa Mesa Brasil SESC – Serviço Social do Comércio: participação de alimentos doados em instituições assistidas em Sergipe. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 1º de setembro de 2020 [citado 20º de outubro de 2021];27:e020028. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8655379

Edição

Seção

Artigos Originais