Conhecimento prévio de Paleontologia e Geologia de ingressantes em cursos de Ciências Biológicas e Geologia de universidades do Rio de Janeiro

  • Sarah Gonçalves Duarte Secretaria de Estado de Educação do estado do Rio de Janeiro, Departamento de Solos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - Seropédica https://orcid.org/0000-0002-1522-1960
  • Nayara de Macedo dos Santos Departamento de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Luana Graziella Bandeira Universidade Federal de São Paulo - Unifesp
  • Claudia Maria Magalhães Ribeiro Martins Departamento de Geociências, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro
  • Marcos Gervásio Pereira Departamento de Solos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Seropédica
  • Lúcio Carramillo Caetano Departamento de Geociências do Instituto de Agronomia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Ensino, Geociências, Graduação

Resumo

O ensino da Paleontologia e Geologia é relevante, porém ainda é trabalhado de forma insuficiente e limitada na educação básica. Atualmente, especialistas em educação afirmam sobre a importância de se averiguar o conhecimento prévio dos estudantes, inclusive na graduação, para que o processo de ensino aprendizagem seja eficiente. Uma pesquisa através de um questionário foi realizada para saber sobre o conhecimento prévio dos estudantes recém ingressados nos cursos de Ciências Biológicas e Geologia do Rio de Janeiro em relação à Paleontologia e à Geologia. Os resultados obtidos apontaram problemas no ensino dessas áreas, pois os alunos confundiram Paleontologia com Arqueologia, têm o conceito de fósseis limitado a ossos e não possuem noções claras sobre a área da Geologia. A pesquisa é relevante como alerta aos professores da educação básica sobre a importância do ensino da Geociências no ensino médio e fundamental e para que professores da graduação se preocupem em saber o conhecimento prévio dos estudantes para melhor encaminhá-los.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sarah Gonçalves Duarte, Secretaria de Estado de Educação do estado do Rio de Janeiro, Departamento de Solos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - Seropédica

Possui graduação em Ciências Biológicas (modalidade Licenciatura) e Graduação em Ciências Biológicas (modalidade Biologia Vegetal) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (2007 e 2008 respectivamente), mestre em Ciências (Geologia/Paleontologia-estratigrafia) também pela Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ (2011), pós-graduada especialista em Ensino de Ciências pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (2014), doutora em Ciências (Geologia/Paleontologia-estratigrafia) pela UFRJ (2016) com sanduíche na Índia pelo Birbal Sanhi Institute of Palaeobotany e na França pela Université Pierre et Marie Curie (Paris VI) financiada pela CAPES durante o período no exterior. Atualmente é pesquisadora, faz pós-doutorado e é professora colaboradora voluntária da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ aprovada pelo Departamento de Geociências, pelo Consuni e pela Reitoria. Possui experiência em Palinologia, principalmente entre os períodos Cretáceo e Quaternário. Estudou várias formações brasileiras e estrangeiras (indianas e francesas) e tem interesse nas áreas de Paleopalinologia, Paleobotânica, Botânica em geral , Educação e Divulgação da Paleontologia. Tem experiência como professora da Educação Básica de 11 anos em diversos colégios da SEEDUC-RJ. Foi Coordenadora de Gestão da Rede na Regional Metropolitana IV - SEEDUC RJ e Diretora Adjunta no CIEP 195 Aníbal Machado - SEEDUC RJ.Tem 10 artigos publicados em revistas nacionais e internacionais.

Nayara de Macedo dos Santos, Departamento de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Aluna de graduação no curso de Geologia na UFRRJ e estagiária no Departamento de Geociências, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. 

Luana Graziella Bandeira, Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Bióloga e professora de biologia de ciências formada pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e pela Universidade de Coimbra, Portugal. Mestre em Fisiopatologia Clínica e Experimental pela Faculdade de Medicina da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Contribuiu para a realização de exposições no Museu de Zoologia da UFRRJ e na contrução de trabalhos científicos nas áreas da saúde e da educação.

Claudia Maria Magalhães Ribeiro Martins, Departamento de Geociências, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro

BIÓLOGA, graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Paraná/UFPR; mestrado e doutorado em Geociências pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ; pós-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geologia, do Setor de Ciências da Terra da Universidade Federal do Paraná/UFPR. Atualmente é Professora ?Associado D2?, do Departamento de Geociências da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro/UFRRJ. Paleontóloga, é especializada na área de PALEOOLOGIA (estudos de ovos fossilizados), desenvolvendo pesquisas relativas aos aspectos parataxonômicos, tafonômicos, paleobiológicos, paleoclimáticos (análises isotópicas) e paleobiogeográficos em estruturas biogênicas de répteis do Mesozóico, especialmente, aquelas provenientes do Cretáceo Superior da Bacia Bauru. Coordena os grupos de pesquisa/CNPq ?Paleoologia brasileira" e "Paleo Rural: estudos aplicados"

Marcos Gervásio Pereira, Departamento de Solos, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Seropédica
Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), concluiu o doutorado em Agronomia (Ciência do Solo) nesta Instituição em 1996. Atualmente é professor Titular do Departamento de Solos da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Foi chefe do Departamento de Solos, no período de 2000 a 2001. De abril de 2009 até outubro de 2013 foi Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Agronomia - Ciência do Solo (CPGA-CS) da UFRRJ. A partir de outubro de 2013 passa a ser Coordenador Substituto do CPGA-CS. É orientador do Curso de Pós-Graduação em Agronomia (Ciência do Solo), do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Florestais e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental, na UFRRJ. Bolsista de Produtividade 1 C do CNPq e Cientista do Nosso Estado pela FAPERJ. Membro da Comissão da CAPES de Avaliação de Programas de Pós-graduação na área de Ciências Agrárias a partir de 2013. Foi Coordenador da 3rd International Soil Judging Contest (RJ, Brasil, 2018).Publicou 362 artigos em periódicos especializados, 24 capítulos de livros e livros e 551 resumos em anais de eventos. Participou em 65 eventos no Brasil. Recebeu 47 prêmios e/ou títulos. Atua na orientação de monografias, trabalhos de conclusão de curso, bolsistas de iniciação científica, dissertações de mestrado, teses de doutorado e supervisão de pós-doutorados nas áreas de Agronomia, Recursos florestais e Engenharia Florestal, Botânica e Ecologia. Recebeu 36 prêmios e/ou homenagens. No período de agosto de 2013 a agostou de 2015 foi 2 Vice-Diretor da Regional Leste da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Vice Diretor da Divisão 3 - Uso e Manejo do Solo, da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, participando ainda da Comissão de Planejamento do Uso da Terra desta Divisão, da qual foi Vice-coordenador.Foi membro titular da Comissão de História, Epistemologia e Sociologia da Ciência da Divisão 4 - Solo, Ambiente e Sociedade (SBCS). A partir de agosto de 2015 passou a ser Diretor da Regional Leste da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo e Vice-Coordenador da Comissão 3.3 - Manejo e Conservação do Solo e da Água. Coordena e participa de projetos de pesquisa relacionados a pedologia, ciclagem de nutrientes e uso e manejo do solo nos Biomas, Caatinga, Floresta Atlântica, Cerrado, Pantanal, Amazônico e Pampa.
Lúcio Carramillo Caetano, Departamento de Geociências do Instituto de Agronomia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (1977), mestrado em Geociências pela Universidade Estadual de Campinas (2000) e doutorado em Geociências pela Universidade Estadual de Campinas (2005). Foi funcionário do Departamento Nacional de Produção Mineral onde exercia a função de geólogo no período de 1978 a 2008. Durante parte da década de 90 foi um dos Guias de visitantes do Museu de Ciências da Terra do DNPM do Rio de Janeiro, onde, após aprender a escrita e leitura em Braille, transcreveu para este sistema os nomes de alguns minerais e rochas, acessíveis ao tato, do Museu de Ciências da Terra. Atualmente é professor Adjunto do Departamento de Geociências do Instituto de Agronomia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro onde, desde 2008 leciona as seguintes disciplinas: Mineralogia Aplicada, Métodos de Lavra, Legislação Mineral e Ambiental, Elementos de Geologia, Atividades Acadêmicas Científico Culturais e NEPPE III - A Biodiversidade no Espaço e no Tempo. Concluiu também o curso de Administrador de Museus, Lato Senso, pela Universidade Estácio de Sá em 1994.

Referências

Compagnon J. M., Maciel E. S.; Cidade M P; Melo R. M.; Costa, E. R., Feltran, R. B. 2016. Ciência alimentando o Brasil A Paleontologia no processo de Ensino Aprendizagem dos alunos do 7º Ano da sede do município de Boa Vista, Roraima In:.XI Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Estado de Roraima – SNCT-RR, 11. Anais... Roraima. URL: <https://even3storage.blob.core.windows.net/anais/36019.pdf> Acesso: 16.12.2018.

Duarte S.G., Arai M., Passos N.Z.G., Dolores M.W. 2016. Paleontologia no ensino básico das escolas da rede estadual do Rio de Janeiro: uma avaliação crítica. Anuários do Instituto de Geociências da UFRJ, 39(2): 124-132.

Duarte S.G., Martins C.M.M.R., Bandeira L.G., Carramillo L.C, Gervásio C.M., Wanderley M.D. 2018. Experiência interdisciplinar na educação básica e na formação de professores: Artes, Biologia e Geociências. Terræ Didatica, 14(3): 245-255.

Feijó N.; Delizoicov N. C. 2016. Professores da educação básica conhecimento prévio e problematização. Revista Retratos da Escola, 10 (19): 597-610.

Lima M.R. 2005. O solo no ensino de ciências no nível fundamental. Ciência & Educação, 11(3): 383-394.

Izaguirry B. B. D., Ziemann D. R., Muller R. T., Dockhorn J., Pivotto O.L., Costa F.M., Alves B.S., Ilha A.L.R., Stefenon V.M., da Silva S.D. 2013. A paleontologia na escola: uma proposta lúdica e pedagógica em escolas do município de São Gabriel, RS. Cadernos da Pedagogia, 7(13): 2-16.

Marques E.O.; Nasser L. 2010. Planejamento de atividades didáticas a partir dos resultados de avaliações em larga escala. In: Encontro Nacional de Educação em Matemática, 10., Salvador, Brasil. Anais... Salvador. URL: <http://www.pg.im.ufrj.br/pemat/03%20Elizabeth%20Ogliari.pdf> Acesso: 13.12.2018.

Mendes L.A.S., Nunes D.F., Pires E.F. 2015. Avaliação do conhecimento paleontológico com intervenção em escolas de ensino médio: um estudo de caso no Estado do Tocantins. Holos, 31(8): 384-396.

Neves, C.E.B. 2007. Desafios da educação superior. Sociologias, 9(17):14-21.

Santos L. P. 2012. A relação da Geografia e o conhecimento cotidiano vivido no Lugar. Geografia Ensino & Pesquisa, 16(3):107-122.

Silveira C.P.L.; Dubow M.; Souza M. F.; Milani I. C. B.; Suzuki L. E. A. S. 2014. Conhecimento prévio de estudantes do ensino superior para a educação em solos. In: Reunião Sul-Brasileira de Ciência do Solo Fatos e Mitos em Ciência do Solo, 10, Pelotas, Brasil, Anais... Pelotas. URL: <https://wp.ufpel.edu.br/rhima/files/2010/09/trab-9-3238-175-Caroline-Educação.pdf> Acesso: 13.12.2018.

Sousa R.C., da Silva I.R., dos Santos S.F., de Figueiredo A.E.Q, Fortier D. C. 2016. O ensino de Paleontologia nas escolas públicas estaduais de Floriano-PI na concepção dos docentes. In: III Congresso Nacional de Educação, Natal, Brasil. Anais... Natal. URL: <http://www.editorarealize.com.br/revistas/conedu/trabalhos/TRABALHO_EV056_MD4_SA18_ID10955_17082016193329.pdf> Acesso: 05.05.2018.

Tavares R. F. O. 2015. Integração da Educação Superior à Educação Básica: Uma experiência do PIBID no Ensino Médio. Fronteiras: Journal of Social, Technological and Environmental Science, 4(3): 231-237.

Teixeira P. P. 2016. Ensino de evolução e religiosidade: o caso de duas escolas estaduais do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro (Tese de Doutorado). Departamento de Educação, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. URL: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/27465/27465.pdf> Acesso: 16.12.2018.

Publicado
2019-09-10
Como Citar
Duarte, S. G., dos Santos, N. de M., Bandeira, L. G., Martins, C. M. M. R., Pereira, M. G., & Caetano, L. C. (2019). Conhecimento prévio de Paleontologia e Geologia de ingressantes em cursos de Ciências Biológicas e Geologia de universidades do Rio de Janeiro. Terrae Didatica, 15, e019033. https://doi.org/10.20396/td.v15i0.8654529