O uso de aplicativos para o ensino de Geociências na educação básica

Aplicativos móveis com temas geocientíficos

Palavras-chave: Aplicativos móveis, Sustentabilidade, Ensino, Geociências, Metodologias ativas

Resumo

Devido ao atual cenário de crise ambiental é urgente investir na formação de uma cultura voltada para a preservação e valorização dos bens naturais. Nesse contexto, os conhecimentos relativos às Geociências na Educação Básica podem contribuir para tal formação. Considerando a viabilidade do uso de ferramentas digitais em ambientes educativos, investiga-se a existência de aplicativos de dispositivos móveis, com temas geocientíficos e suas possibilidades didáticas no ensino de Ciências da Natureza. Mediante uma pesquisa qualitativa, realizada através de busca documental, dentro dos critérios de gratuidade e idioma, constatou-se um número limitado de aplicativos que utilizam temas geocientíficos e que podem ser utilizados como ferramenta pedagógica. Nesse sentido identifica-se a existência de um grande campo a ser explorado, direcionado à criação de aplicativos que possam ser utilizados em práticas educativas baseadas em metodologias ativas e que possibilitem uma visão mais integrada dos temas geocientíficos e que possam contribuir para uma participação efetiva e consciente dos alunos em um mundo em constante transformação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Vieira München, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

BACCI, Denise de La Corte. A contribuição do conhecimento geológico para a educação ambiental. Pesquisa em debate, v. 6, n. 2, p. 23, 2009.


BADZINSKI, Caroline; HERMEL, Erica do Espírito Santo. A representação da genética e da evolução através de imagens utilizadas em livros didáticos de Biologia. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 17, n. 2, p. 434-454, 2015.


BRASIL, Lei de Diretrizes e B. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.Disponível em:
. Acesso em :30 de mar. 2018.


BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (2017). Disponível em :. Acesso em: 06 Abr. 2018.


BRASIL. Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+). Ciências da Natureza e Matemática e suas Tecnologias. 2006. Disponível em: . Acesso em 10 de Abril de 2018.


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais. CIências da Natureza e Matemática e suas tecnologias. 2000. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2018.


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais.Terceiro e Quarto Ciclo: Ciências Naturais.1998. Disponível em . Acesso em 07 de abril 2018.


CARNEIRO, Celso Dal Ré; TOLEDO, Maria Cristina Motta; ALMEIDA, Fernando Flávio Marques. Dez motivos para a inclusão de temas de Geologia na Educação Básica. Revista Brasileira de Geociências, v. 34, n. 4, p. 553-560, 2004.

COMPIANI, Maurício. Geologia/Geociências no Ensino Fundamental e a Formação de Professores. 2005.


COMPIANI, Maurício. Narrativas e desenhos no ensino de Astronomia/Geociências com o tema “Formação do Universo”-um olhar das geociências. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 12, n. 2, p. 257-278, 2010.


CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente (1990) Resolução CONAMA Nº 003, de 28 de Junho de 1990. Ministério do Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em 25 set. 2018.


CORDANI, Umberto G.; TAIOLI, Fabio; TEIXEIRA, Wilson; et al. A terra, a humanidade e o desenvolvimento sustentável. In: Decifrando a Terra[S.l: s.n.], 2000.


CORDANI, Umberto, G. As Ciências da Terra na sociedade contemporânea. Cadernos IG/UNICAMP. 2000. Disponível em . Acesso em 13 de Maio de 2018.




CRUZ, Victor Muniz Alves. O uso do aplicativo “VisibleGeology” no ensino de Geociências. Terra e Didática, v. 12, n. 3, p. 243-245, 2017.


FEPAM- Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luís Roessler. Índice de Qualidade do ar. Dispnível em: . Acesso em 05 de Setembro de 2018.


FILHO, Gerson Romero de Oliveira. O SISTEMA TERRA E A PROBLEMÁTICA DA EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS. CES Revista, [S.l.], v. 25, n. 1, p. 83-94, abr. 2016. ISSN 1983-1625. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2018.

GOUVEIA, Nelson et al. Poluição do ar e efeitos na saúde nas populações de duas grandes metrópoles brasileiras. Epidemiologia e Serviços de saúde, v. 12, n. 1, p. 29-40, 2003.


HIRATA, Ricardo; TEIXEIRA, Wilson; TOLEDO, Maria Cristina Motta de; FAIRCHILD, Thomas R.; TAIOLI, Fabio. Recursos hidricos. In: Decifrando a terra[S.l: s.n.], 2000.


LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli EDA. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 1986.


MATTOS, Jacqueline Salvi de. Biogeografia de frutos de megafauna. 2016.


MIRANDA, Guilhermina Lobato. Limites e possibilidades das TIC na educação. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, v. 3, p. 41-50, 2007.


MITRE, Sandra Minardi. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008.


NICHELE, Aline Grunewald; SCHLEMMER, Eliane. Aplicativos para o ensino e aprendizagem de Química. RENOTE, v. 12, n. 2, 2014.Disponível em: . Acesso em 14 de Julho de 2018.


NICHELE, Aline Grunewald. Tecnologias móveis e sem fio nos processos de ensino e de aprendizagem em Química: uma experiência no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. 2015.Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 de maio de 2018.


PIRANHA, Joseli Maria; CARNEIRO, Celso Dal Ré. O ensino de geologia como instrumento formador de uma cultura de sustentabilidade. Revista Brasileira de Geociências, v. 39, n. 1, p. 129-137, 2009. Disponível em: . Acessado em: 24 de maio de 2018.


SAGAN, Carl. Pálido ponto azul. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.


SIGNORETTI, Vlander Verdade; CARNEIRO, Celso Dal Ré. As geociências e as tecnologias de informação e comunicação (TICs) na interface ensinar-aprender. Terrae Didatica, 2015.


SCHWANKE, Cibele; SILVA, Miriam do Amaral Jonis. Educação e Paleontologia. In: CARVALHO, Ismar De Souza (Editor). Paleontologia: conceitos e métodos. Rio de Janeiro: Interciência, p. 681-688. 2010.


TOLEDO, Maria Cristina Motta. Geociências no ensino médio brasileiro-Análise dos Parâmetros Curriculares Nacionais. Geologia USP. Publicação Especial, v. 3, p. 31-44, 2005.


USP. Centro de Sismologia. 2015. Disponível em < http://moho.iag.usp.br> . Acesso em 02 de Setembro de 2018.


VASCONCELOS, Simão D.; SOUTO, Emanuel. O livro didático de Ciências no Ensino Fundamental proposta de critérios para análise do conteúdo zoológico. Ciência & Educação, v. 9, n. 1, p. 93-104, 2003.


VYGOTSKY, Lev Semenovitch. A formação social da mente. Trad. José Cipolla Neto, Luis Silveira Menna Barreto e Solange Castro Afeche. 1991. Disponível em :. Acesso em 30 de Agosto de 2018.
Publicado
2020-04-07
Como Citar
München, S. V., & Schwanke, C. (2020). O uso de aplicativos para o ensino de Geociências na educação básica. Terrae Didatica, 16, e020012. https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8656092

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)