Acessibilidade para alunos cegos e surdos em uma exposição permanente de Geociências

  • Miquéias Ayran Nascimento Oliveira Pós-Graduação em Genética Biodiversidade Conservação, Universidade Estadual doSudoeste da Bahia, Jequié
  • Luciano Artemio Leal Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
Palavras-chave: Libras, Deficiências, Inclusão, Aprendizagem

Resumo

O crescente ingresso de pessoas com necessidades educacionais especiais nas instituições de ensino superior leva a discussões sobre a acessibilidade em todos os âmbitos da educação. Percebendo tais dificuldades, surgiu a necessidade de adaptar as amostras da coleção do Laboratório de Geociências da UESB, campus de Jequié, de maneira que seja possível o acesso as informações para este público. A fim de adequar a exposição, principalmente para cegos e surdos, foram utilizadas ferramentas facilitadores, a exemplo de QR Code, que proporciona leituras de textos específicos sobre a amostra em LIBRAS, áudio e legendas em português. O principal objetivo do trabalho foi avaliar através do posicionamento das pessoas com deficiência se as alterações realizadas na mostra influenciaram no processo de ensino-aprendizagem. De acordo com os resultados obtidos, através de entrevistas, ficou evidenciado que a ambientação do Laboratório de Geociências da UESB Jequié atendeu as expectativas de visitantes com necessidades especiais à instituição. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Boer N., Vestana, R.F., Souza, C.R.S. 2010. Novas tecnologias e formação de professores: contribuições para o ensino de ciências naturais. URL: Acesso: 05.06.2019.

Brasil. 1994. Ministério da Educação. Portaria n.º 1.793, de dezembro de 1994. Brasília.

Brasil. 1996. Ministério da Educação. Lei nº 9394/96 – Lei de Diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília.

Brasil. 2001. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB n. 2, de 11 de setembro de 2001. Brasília: CNE/CEB, 2001c.

Brasil. 2002. Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União, 25 abr. 2002. p.23

Castanho D.M., Freitas S. N. 2006. Inclusão e prática docente no ensino superior. Revista Educação Especial, Santa Maria, n.27, p. 93-99.

Coutinho S.R.F. 2010. A formação de professores na proposta de educação inclusive. 2010. 29 f. Artigo Monográfico de Especialização - Universidade Federal de Santa Maria, MG.

Decreto Nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004 - DOU de 03/122004. URL: Acesso: 20.11.2017.

Duarte C.R., Cohen R. 2005. Pesquisa e projeto de espaços públicos: rebatimentos e possibilidades de inclusão da diversidade física no planejamento das cidades, Projetar 2005 – II seminário sobre ensino e pesquisa em projeto de arquitetura, UFRJ.

Duque C.A., Carbo L., Pereira M.S.A. 2017. Aplicativo Quick response (QR Code) no ensino de ciências: utilização em área em recuperação ambiental, In II Congresso Nacional- II Congresso Nacional de Pesquisa e Ensino de Ciências- Tema: Formação para o Ensino e a Pesquisa em Ciências: Saberes Multidisciplinares, V.1. URL: Acesso: 05.06.2019.

Fonseca da Silva M.C.R., Kirst A.C. 2008. Museu de Arte, inclusão da pessoa cega, desafios do educativo. DAPesquisa, v. 03, p. 01-10.

Glat R., Fernandes E.M. 2005. Da educação segregada à educação inclusiva: Uma breve reflexão sobre os paradigmas educacionais no contexto da educação especial brasileira. Revista da Educação Especial. p. 35-39, Out.

Glat R., Pletsch M.D., Fontes R.S. 2007. Educação inclusiva e educação especial: propostas que se complementam no contexto da escola aberta à diversidade. Revista do Centro de Educação, Santa Maria, vol. 32, n. 02. URL: . Acesso: 21.11.2017.

Glat R. 2011. Educação Inclusiva para alunos com necessidades especiais: processos educacionais e diversidade. Programa de Pós-Graduação em Educação- Universidade do Estado do Rio de Janeiro. URL: . Acesso: 21.11.2017

Izaguirry B.B.D., Ziemann D.R., Müller R.T., Dockhorn J., Pivotto O.L., Costa F.M., Alves B.S., Ilha A.L.R., Stefenon V.M., Dias-da-Silva S. A Paleontologia na Escola: Uma Proposta Lúdica e Pedagógica em Escolas do Município de São Gabriel-RS. Cadernos da Pedagogia (Ufscar. Online), v. 7, p. 2-16, 2013.

Krasilchik M. 2000. Reformas e realidade: O caso do ensino das ciências, São Paulo, Perspectiva, v 14, n.1, p. 85-93.

Lippe E.M.O., Camargo E.P., 2009. Análise da formação inicial de professor de ciências e biologia frente ao desafio da inclusão escolar: uma questão curricular. In: Publicado nas atas do II Congresso Brasileiro de Educação. Bauru: Unesp. v.1. p.1 – 12.

Pereira A.M.P. 2014. A contribuição do uso da tecnologia no ensino de ciências para alunos do sétimo ano da rede estadual do município de Ibaiti. 41 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Medianeira.

Priote C.D. 2006. Diversidade e adversidade na escola: queixas e conflitos de professores frente à educação inclusiva. Dissertação de Mestrado em Educação, 83 f. São Paulo, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Silva S.G.L. 2015. Variação sociolinguística na língua brasileira de sinais: o caso dos sinais mãe e pai em Florianópolis. Linguasagem, v. 22, n. 1.

Siqueira I.M, Santana C.S. 2010. Propostas de acessibilidade para a inclusão de pessoas com deficiências no ensino superior. Revista Brasileira de Educação Especial. 16(1):127-36

Ribeiro M.G. 2004. Vida como patrimônio, inclusão como conquista: educação e pesquisa no Museu de Ciências Morfológicas da UFMG, Cadernos da CAADE, p.54-60, Belo Horizonte – MG.

Rocha T.B., Miranda T.G. 2009. Acesso e permanência do aluno com deficiência na instituição de ensino superior. Revista “Educação Especial” v. 22, n. 34, p. 197-212, maio/ago. Santa Maria URL: < https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/viewFile/273/132> Acesso: 05.06.2019.

Vieira M., Conforto, D. 2015. Aprendizagem Móvel e Multimídia: a produção de material pedagógico na perspectiva BYOD. In: XXI Workshop de Informática na Escola, Maceió. p. 82-91.
Publicado
2019-12-05
Como Citar
Nascimento Oliveira, M. A., & Leal, L. A. (2019). Acessibilidade para alunos cegos e surdos em uma exposição permanente de Geociências. Terrae Didatica, 15, e019057. https://doi.org/10.20396/td.v15i0.8656265

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)