Representações discursivas da geografia física em livros didáticos de geografia

Palavras-chave: Discurso, Ensino de geografia, Eventos naturais.

Resumo

O presente artigo analisa as representações discursivas de conteúdos da Geografia Física em livros didáticos de Geografia. Para fins metodológicos, utilizou-se a Análise de Discurso Crítica que toma o texto como discurso e como prática social. Identificou-se que os conteúdos da Geografia Física apresentam traços de intertextualidade e interdiscursividade como modos de ação de ensinar fenômenos naturais, para mobilizar os conhecimentos prévios do leitor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Darlan da Conceição Neves, Universidade Estadual de Campinas

Doutorando em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Ensino e História de Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.

Alfredo Borges de Campos, Universidade Estadual de Campinas

Doutorado em Ciência do Solo e Meio Ambiente (Universidade de Purdue-EUA). Professor do Instituto de Geociências da UNICAMP.

Referências

Albuquerque, M. A. M. de. (2011). Livros didáticos e currículos de geografia, pesquisas e usos: uma história a ser contada. In Tonini I.M. (Ed.), O ensino de geografia e suas composições curriculares (pp. 155-168). Porto Alegre: UFRGS

Bakhtin, M. (2009). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. São Paulo: Hucitec

Barbosa, T. (2006). O conceito de natureza e análises dos livros didáticos de geografia. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual Paulista. Presidente Prudente

Boligian, L., Alves, A. (2013). Geografia, espaço e vivência. São Paulo: Saraiva.

Carlos, A. F. A. (2012). Da “organização” à “produção” do espaço no movimento do pensamento geográfico. In Souza M. L. de, Sposito, M. E. B. (Eds.), A produção do espaço urbano: agentes e processos, escalas e desafios (pp. 53-73). São Paulo: Contexto.

Cassiano, C. C. F. (2007). O mercado do livro didático no Brasil. (Tese de Doutorado). Pontifícia Universidade Católica. São Paulo.

Christofoletti, A. (1979). Análise de sistemas em Geografia. São Paulo: Editora Hucitec.

Fairclough, N. (2016). Discurso e mudança social. Brasília, DF: UnB.

Giddens, A. (1991). As consequências da modernidade. São Paulo: Editora da Unesp.

Maingueneau, D. (2005). Gênese dos discursos. Curitiba: Criar.

Maingueneau, D. (2015). Discurso e análise do discurso. São Paulo: Parábola.

Maingueneau, D. (2013). Análise de texto de comunicação. São Paulo: Cortez.

Resende, V. de M., Ramalho, V. (2011). Análise de discurso (para a) crítica: o texto como material de pesquisa. Campinas, São Paulo: Pontes Editores.

Sobral, A. U. (2009). Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do círculo de Bakhtin. Campinas, SP: Mercado de Letras.

Tonini, I. M. (2011). Livro didático: textualidades em redes? In Tonini, I. M. (Ed.), O ensino de geografia e suas composições curriculares (pp. 145-154). Porto Alegre: UFRGS.
Publicado
2019-09-10
Como Citar
Neves, D. da C., & Campos, A. B. de. (2019). Representações discursivas da geografia física em livros didáticos de geografia. Terrae Didatica, 15, e019014. https://doi.org/10.20396/td.v15i0.8656592