Produção e aplicação de um jogo digital como ferramenta pedagógica para o ensino de Geologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v16i0.8660015

Palavras-chave:

Recursos didáticos, Questionários, Aprendizagem, Geografia

Resumo

Esta pesquisa descreve a experiência vivenciada por monitores da disciplina Geologia Geral com 23 alunos do primeiro período do curso de Geografia da Universidade de Pernambuco, campus Petrolina. O trabalho objetivou desenvolver e aplicar um jogo digital que contemplasse todo o conteúdo da disciplina, com a finalidade de facilitar o processo de ensino e aprendizagem dos discentes. O método de investigação desenvolvido foi descritivo explicativo, de caráter quantitativo e qualitativo. Um Quiz geológico foi produzido a partir de plataforma gratuita, de baixa complexidade, permitindo maior motivação dos alunos no processo de aprendizagem. O ambiente lúdico e divertido possibilitou abordar conteúdos complexos e abstratos da Geologia. No entanto, apesar de ser considerada uma ferramenta positiva e desafiadora para uso em sala de aula, o recurso ainda é pouco utilizado por professores de diversas áreas do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Freitas de Oliveira França, Universidade de Pernambuco

Professora Adjunta do Colegiado de Geografia da Universidade de Pernambuco Campus Petrolina

Werica Karen de Souza Alcântara, Universidade de Pernambuco

Discente do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina

Anderson David Almeida da Silva, Universidade de Pernambuco

Discente do Curso de Licenciatura em Geografia da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina

Karollaine Fernandes de Lima, Universidade de Pernambuco

Discente do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade de Pernambuco, Campus Petrolina.

Referências

Almeida, A. A. (2015). Contribuição para o estudo do uso de aplicativos de smartphone no ensino de Física. Niterói: Universidade Federal Fluminense. 57p. (Trab. Concl. Curso).

Ausubel, D. P. (2003). Aquisição e Retenção de Conhecimentos: Uma Perspectiva Cognitiva. Lisboa: Plátano.

Bock, A. M. B., Furtado, O., & Teixeira, M. L T. (2009). Psicologias: uma introdução ao estudo da Psicologia. 14 ed. São Paulo: Saraiva. 368p.

Costa, C. M. (2018). Quiz computacional: elaboração, aplicação e avaliação de um recurso didático tecnológico como ferramenta de ensino/aprendizagem. Niterói: Universidade Federal Fluminense. 151 p. (Dissert. Mestr. Ciências da Natureza).

Dellos, R. (2015). Kahoot! A digital game resource for learning. International Journal of Instructional Technology and Distance Learning, 12(4). 49-52. URL: http://www.itdl.org/Journal/Apr_15/Apr15.pdf. Acesso 10.10. 2019

Fantinel, L.M. (2000) Práticas de Campo em Geologia Introdutória: papel das atividades de campo no ensino de Fundamentos de Geologia do curso de Geografia, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Campinas: Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas. (Dissert. Mestr. Geociências).

Freire, P. (2001). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra. 76 p.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2017) Acesso à Internet e a televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal. Rio de Janeiro: IBGE. URL: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101631_informativo.pdf. Acesso 30.09.2019.

Leivas, J., Gobbi, J. (2014) O software GeoGeabra e a engenharia didática no estudo de áreas e perímetros de figuras planas. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 7(1), 182-199. doi: 10.3895/S1982-873X2014000100010.

Lèvy, P. (1999) Cibercultura. São Paulo: Editora 34. 260 p.

Lopes, P. A., Pimenta, C. C. C. (2017). O uso do celular em sala de aula como ferramenta pedagógica: benefícios e desafios. Revista Cadernos de Estudos e Pesquisa na Educação Básica, 3(1), 52-66. URL: https://periodicos.ufpe.br/revistas/cadernoscap/article/view/229430/28802. Acesso 02.10.2019

Marques, J. F. Z, Marques, K. C. D. A. (2016) utilização de aplicativos por meio de smartphone como possibilidades para o Ensino de Química. In: Anais do XVIII ENEQ, Santa Catarina. p. 1-11. URL: http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R0013-1.pdf. Acesso 05.09.2019,

Mousquer, T., Rolim, C. O. (2016). A utilização de dispositivos móveis como ferramenta pedagógica colaborativa na Educação Infantil. In: Anais do II Simpósio da Tecnologia da Informação. Santo Ângelo, 2011. URL: http://www.santoangelo.uri.br/stin/Stin/trabalhos/11.pdf. Acesso 22.11.2019

Nagumo, E. (2014). O uso do aparelho celular dos estudantes na escola. Brasília: Universidade de Brasília. (Dissert. Mestr. Educação). 11p.

Perez, M. C., Viali, L., Lahm, R. A. (2016). Aplicativos para tablets e smartphones no ensino de Física. Ciências & Ideias, 7(1), 155-173. URL: https://revistascientificas.ifrj.edu.br/revista/index.php/reci/article/view/426/363. Acesso 26.09.2020.

Piaget, J. A. (1983). Epistemologia genética; Sabedoria e ilusões da filosofia; Problemas de psicologia genética. 2 ed. São Paulo: Abril Cultural (Coleção Os pensadores). 294 p.

Prensky, M. (2003). Digital game-based learning. Computers in Entertainment (CIE), 1(1), 21-21. URL: https://marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Ch1-Digital%20Game-Based%20Learning.pdf. Acesso 30.10.2019.

Reinaldo, F., Magalhães, D. R., Reis, L. P., Gaffuri, S., Freddo, A., & Hallal, R. (2016). Impasse aos desafios do uso de smartphones em sala de aula: investigação por grupos focais. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, (19), 77-92. doi: http://dx.doi.org/10.17013/risti.19.77-92.

Rocha, R. S. (2015). O uso do celular como ferramenta pedagógica: repercussões na aprendizagem de Ciências a partir da produção de vídeos. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 58p. (Trab. Concl. Curso Especialização).

Roland, L. C., Fabre, M. C. J. M., Konrath, M. L. P., Tarouco, L. M. R. (2004). Jogos educacionais. Renote, 2(1), 1-7. doi: https://doi.org/10.22456/1679-1916.13719.

Sancho, J. M., & Hernández, F. (2006). Tecnologias para transformar a educação. Porto Alegre: Artmed. 200 p.

Sande, D, Sande, D. (2018). Uso do kahoot como ferramenta de avaliação e ensino‐aprendizagem no ensino de microbiologia industrial. Holos, 34(1), 170-179. doi: https://doi.org/10.15628/holos.2018.6300.

Santos, C.E.M., Leite, B.S. (2019). Construção de um jogo educativo em uma plataforma de desenvolvimento de jogos e aplicativos de baixo grau de complexidade: o caso do Quizmica. Radioatividade, 17(1), 193-202. doi: https://doi.org/10.22456/1679-1916.95725.

Silva, W. A., Kalhil, J. B. (2018). Tecnologias digitais no ensino de ciências: reflexões e possibilidades na construção do conhecimento científico digital. Revista Brasileira de Educação em Ciências e Educação Matemática, 2(1), 77-91. doi: https://doi.org/10.33238/ReBECEM.2018.v.2.n.1.19155.

Souza, S. E. (2007). O uso de recursos didáticos no ensino escolar. In: I Encontro de Pesquisa em Educação, IV Jornada de Prática de Ensino, XIII Semana de Pedagogia da UEM: “Infância e Praticas Educativas”. Maringá, PR. p.110-114. URL: http://www.dma.ufv.br/downloads/MAT%20103/2015-II/slides/Rec%20Didaticos%20-%20MAT%20103%20-%202015-II.pdf. Acesso 22.11.2019.

Publicado

2020-09-28

Como Citar

FRANÇA, L. F. de O. .; ALCÂNTARA, W. K. de S.; SILVA, A. D. A. da; LIMA, K. F. de . Produção e aplicação de um jogo digital como ferramenta pedagógica para o ensino de Geologia. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 16, p. e020040, 2020. DOI: 10.20396/td.v16i0.8660015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8660015. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Atividade Prática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)