Confecção de maquetes geológicas

o exemplo da Serra do Caparaó (Minas Gerais e Espírito Santo, Brasil)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8661553

Palavras-chave:

Geologia, Relevo, Ensino de Geociências, Divulgação científica, Modelo

Resumo

O presente trabalho traz a experiência da confecção de uma maquete geológica na escala de 1:20.000 da Serra do Caparaó, monumento geológico complexo do sudeste brasileiro, com o objetivo de ilustrar aspectos da geologia regional e definir uma rotina para construção de maquetes didáticas. Para tanto, foram utilizados dados de campo e dados espaciais em ambiente SIG para projeção do relevo sobre placas de isopor a partir de curvas de nível. Os resultados da confecção da maquete compreendem um modelo tridimensional da geologia da Serra do Caparaó e a proposta de um roteiro para confecção de maquetes didáticas. As primeiras exposições da maquete ao público proporcionaram boa interação da sociedade com as informações geológicas da região, com a introdução de conceitos de Geomorfologia, Geologia Estrutural, Cartografia e Geodiversidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandro Mauri, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduando em Geologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e participante do Programa Institucional de Iniciação Científica da UFES (PIBIC-UFES).

Vítor Roberto Schettino, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduado em Geologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Atualmente trabalha como geólogo autônomo.

Rodson de Abreu Marques, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em Análise de Bacias e Faixas Móveis pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professor Adjunto do curso de Geologia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Caroline Cibele Vieira Soares, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutoranda em Evolução Crustal e Recursos Naturais da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Professora Adjunta do curso de Geologia da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Lucas Pequeño Gouvêa, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Referências

Becker, E. L. S. & Nunes, M. P. (2012). Relevo do Rio Grande do Sul, Brasil, e sua representação em maquete. Revista Percurso, NEMO, 4(2): 113-132. URL: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/Percurso/article/view/49542. Acesso 13.01.2021.

Castro, I. E. (1995). O problema da escala. In: Castro, I. E. (1995). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p.117-140.

Coelho, A. L. N., Goulart, A. C. O., Bergamaschi, R. B. & Teubner Jr., F.J. (2012). Mapeamento Geomorfológico do estado do Espírito Santo. Vitória: IJSN.

Constante, A. & Vasconcelos, C. (2010). Atividades lúdico-práticas no ensino da Geologia: Complemento motivacional para a aprendizagem. Terræ Didatica, 6(2), 101-123. doi: 10.20396/td.v6i2.8637467.

Garcia, C. B., Imbernon, R. A. L. & Lacerda R. A. V. (2014). Desenvolvimento de recursos didáticos para o ensino de Geociências para a banca das Ciências e Experimentoteca da EACH/USP. Terræ Didatica, 10(3), 331-335. doi: 10.20396/td.v10i3.8637348.

Horn, A. H., Faria, B., Gardini, G. M., Vasconcellos, L. & Oliveira, M. R. (2007). Folha Espera Feliz. SF.24-V-A-IV, 1:100.000. Belo Horizonte: UFMG/CPRM.

ICMBio. (2020). Parque Nacional do Caparaó. URL: https://www.icmbio.gov.br/parnacaparao/. Acesso 08.10.2020.

Libarkin, J. C. & Brick, C. (2002). Research methodologies in science education: Visualization and the Geoscienses. Journal of Geoscience Education, 50(4), 449-455. doi: 10.5408/1089-9995-50.4.449.

Marques, R. A., Ferreira, S. L. M., Silva, D. A. M., Perdoná, M. V., Vardieiro, L. G. G., Velasco, T. C., Medeiros Jr., E. B., Oliveira, G. J., ... & Melo, M. G. (2019). Schematic models of wood for optic mineralogy and geoscience teaching. Brazillian Journal of Development, 5(7), 9153-9162. doi: 10.34117/bjdv5n7-113.

Novo, T. A., Noce, C. M., Batista, G. A. P., Quemeeur, J. J. G., Martins, B. S., Santos, S. W. M., Carneiro, G. A. & Horn, A. H. (2010). Folha Manhumirim.- SF.24-V-A-I, 1:100.000. UFMG/CPRM.

Novo, T. A., Noce, C. M., Pedrosa-Soares, A. C. & Batista, G. A. P. (2011). Rochas granulíticas da Suíte Caparaó na região do Pico da Bandeira: Embasamento Oriental do Orógeno Araçuaí. Geonomos, 19(2), 70-77. doi: 10.18285/geonomos.v19i2.42.

Pereira, J. & Silva, R. (2012). O ensino de geomorfologia na educação básica a partir do cotidiano do aluno e o uso de ferramentas digitais como recurso didático. Revista de Ensino em Geografia, 3(4), 69-79. URL: http://www.revistaensinogeografia.ig.ufu.br/N.4/art5v3n4.pdf. Acesso 13.01.2021.

Pitano, S. C. & Roqué, B. B. (2015). O uso de maquetes no processo de ensino-aprendizagem segundo licenciandos em Geografia. Educação Unisinos, 19(2), 273-282. doi: 10.4013/edu.2015.192.11.

Santos, M. S., Duarte, G. S. & Rosa, O. (2015). O uso de maquetes no ensino aprendizagem em Geografia. Enciclopédia Biosfera, 11(20), 620-625. URL: http://www.conhecer.org.br/enciclop/2015a/o%20uso%20de%20maquetes.pdf. Acesso 13.01.2021.

Silva, L. C., Armstrong, R., Noce, C. M., Carneiro, M., Pimentel, M., Pedrosa-Soares, A. C., Leite, C., Vieira, V. S., Silva, M., Paes, V. & Cardoso-Filho, J. (2002). Reavaliação da evolução geológica em terrenos pré-cambrianos brasileiros com base em novos dados U-Pb SHRIMP, parte II: Orógeno Araçuaí, Cinturão Móvel Mineiro e Cráton São Francisco Meridional. Revista Brasileira de Geociências, 32(1), 513-528. URL: http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/rbg/article/view/9847. Acesso 13.01.2021.

Sousa, R. R. (2014). Oficina de maquete de relevo: um recurso didático. Terræ Didatica, 10, 22-28. doi: 10.20396/td.v10i1.8637385.

Souza, C. J. O. & Valadão, R. C. (2013). Visualização e representação espaciais no ensino de Geomorfologia. Terræ Didatica, 9(2), 105-113. doi: 10.20396/td.v9i2.8637399.

Downloads

Publicado

2021-02-12

Como Citar

MAURI, S.; SCHETTINO, V. R.; MARQUES, R. de A.; SOARES, C. C. V.; GOUVÊA, L. P. Confecção de maquetes geológicas: o exemplo da Serra do Caparaó (Minas Gerais e Espírito Santo, Brasil). Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021002, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8661553. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8661553. Acesso em: 23 out. 2021.