Sequência didática como estratégia para ensino sobre desafios socioambientais relacionados às mudanças climáticas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v17i00.8667126

Palavras-chave:

Mudanças climáticas, Educação, Ensino, Geociências, Aprendizagem baseada em projetos

Resumo

Questões socioambientais ligadas às mudanças climáticas ainda são pouco trabalhadas e estudadas na Educação Básica, sobretudo na etapa do Ensino Médio. Profundamente relacionadas aos problemas urbanos que atingem as comunidades, são as populações mais vulneráveis aquelas que estão mais propensas a serem impactadas com suas consequências. Partindo do entendimento de que todos têm direito a um meio ambiente equilibrado para a sua sobrevivência, este estudo tem como objetivo apresentar uma sequência didática para o ensino da temática socioambiental dentro do tema “Mudanças Climáticas” em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A sequência didática foi elaborada com base na Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) e seu desenvolvimento pretende promover uma atuação protagonista dos estudantes, fundamentada em temas da atualidade, o que fomentará o desenvolvimento do pensamento crítico para a compreensão de uma realidade complexa, auxiliando a inserção do tema mudanças climáticas na etapa do Ensino Médio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Resende de Faria, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.

Maria Carolina Ramos, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Direito pela Universidade Autônoma de Lisboa, Portugal e doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra pela Universidade Estadual de Campinas.

 

Priscila Pereira Coltri, Universidade Estadual de Campinas

Pesquisadora do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas a Agricultura pela Universidade Estadual de Campinas. Docente do Programa EHCT do Instituto de Geociências pela Universidade Estadual de Campinas.

Referências

Artaxo, P. (2020). As três emergências que nossa sociedade enfrenta: saúde, biodiversidade e mudanças climáticas. Estudos Avançados, 34, 53-66. doi: 10.1590/s0103-4014.2020.34100.005

Bacich, L. (2020). WebQuest: como organizar uma atividade significativa de pesquisa. São Paulo, Inovação na educação. 22 de março de 2020. Disponível em: https://lilianbacich.com/2020/03/22/webquest-como-organizar-uma-atividade-significativa-de-pesquisa/. Acesso em: 23.07.2021.

Barcellos, C., Monteiro, A. M. V., Corvalán, C. Gurgel, H. C., Carvalho, M. S., Artaxo, P., Hacon, S., & Ragoni, V. (2009). Mudanças climáticas e ambientais e as doenças infecciosas: cenários e incertezas para o Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, 18(3), 285-304. doi: 10.5123/S1679-49742009000300011

Bender, W.N. (2014). Aprendizagem baseada em projetos. Educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso.

Blank, D. M. P. (2015). O contexto das mudanças climáticas e as suas vítimas. Fortaleza: Mercator,14, 157-172. doi: 10.4215/RM2015.1402.0010

Brasil, Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos (2007). Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Ministério da Educação, Ministério da Justiça, UNESCO. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/2191-plano-nacional-pdf/file. Acesso em: 16.11.2021.

Brasil. Ministério da Educação. (2018). Base Nacional Comum Curricular: versão final. Brasília, MEC. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 15.04.2021.

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil [online]. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 12.07.2021.

Brasil. (2012). Lei 4771/1965. Código Florestal Brasileiro [online]. Brasília. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil03/leis/L4771.htm. Acesso em: 12.07.2021.

Brasil. Ministério da Educação (2012). Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. Resolução nº 1, de 30.05.2012. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 21.maio.2012, Seção 1, p. 48. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7037.htm. Acesso em: 09.09.2021.

Brasil. Superior Tribunal de Justiça (STJ) (2009). Recurso Especial: REsp 1000731 RO 2007/0254811-8. Relator: Ministro Herman Benjamin. Data de Julgamento: 25/08/2009, T2 Segunda Turma, Data de Publicação: DJe 08/09/2009. Disponível em: https://processo.stj.jus.br/processo/revista/inteiroteor/?num_registro=200702548118&dt_publicacao=08/09/2009. Acesso em: 28.11.2021

Façanha, A. A. B., Chianca, R. C., & Félix, C. P. (2019). O pensamento crítico no contexto da alfabetização científica: um estudo com futuros professores de ciências. Revista Ciências & Ideias, 10(2), 42-55. Disponível em: https://revistascientificas.ifrj.edu.br/revista/index.php/reci/article/view/946/677. Acesso em: 12.03.2020.

Faria, A. F., & Vaz, A. M. (2018). Experiências de Pensamento Científico em aulas de Física. Investigações em Ensino de Ciências, 23(1), 266-294. 10.22600/1518-8795.ienci2018v23n1p266

Fernandes, L. C. S. (2020). Unicidade do Direito para a proteção ambiental. Revista Internacional da Academia Paulista de Direito, (6), 21.

Fortner, R. W. (2001). Climate change in school: Where does it fit and how ready are we? Canadian Journal of Environmental Education (CJEE), 6(1), 18-31.Disponível em: https://cjee.lakeheadu.ca/article/view/285. Acesso em: 28.12.2020.

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática. São Paulo: Paz e Terra.

Grostein, M. D. (2001). Metrópole e expansão urbana: a persistência de processos “insustentáveis”. São Paulo em perspectiva, 15, 13-19. doi: 10.1590/S0102-88392001000100003

Jacaúna, C. L. F. S., & Greco, R. (2019). Ensino por projeto: uma experiência com estudantes de escolas de várzea no amazonas. Geografia ensino & pesquisa, 23, 1-17. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/geografia/article/view/39980. Acesso em: 31.08.2021.

Levy, B. S. & Patz, J. (2015). Climate change, human rights, and social justice. Annals of global health, v. 81, n. 3, p. 310-322. doi: 10.1016/j.aogh.2015.08.008

Morin, E. (2011). Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2011.

Morin, E. (2015). Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2015.

Monroe, M. C., Plate, R. R., Oxarart, A, Bowers, A., & Chaves, W. A. (2017). Identifying effective climate change education strategies: a systematic review ofthe research, Environmental Education Research, 25(6), 791-812. doi: 10.1080/13504622.2017.1360842.

Oliva, A. (2011). Teoria do Conhecimento. Rio de Janeiro: Zahar.

Organização das Nações Unidas (ONU). (2019). Informe sobre a Questão das Obrigações de Direitos Humanos Relacionadas com o Gozo de um Meio Ambiente Seguro, Limpo, Saudável e Sustentável (A/74/161). ONU, Relator especial sobre Direitos Humanos e Meio Ambiente do Alto Comissariado de Direitos Humanos., par. 65, 22p. Disponível em: https://documents-dds-ny.un.org/doc/UNDOC/GEN/N19/216/45/PDF/N1921645.pdf?OpenElement. Acesso em: 27.11.2021.

Orion, N. (2019). The future challenge of Earth science education research. Disciplinary and Interdisciplinary Science Education Research, 1(1), 3-8. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1186/s43031-019-0003-z. Acesso em: 12.12.2020.

Palma, C. M. (2018). Do Direito Ambiental à Educação Ambiental. Contribuições do pensamento vida e obra de Paulo Afonso Leme Machado. São Paulo: Letras Jurídicas.

Piovesan, F. C. (2009). Direitos humanos: desafios e perspectivas contemporâneas. Brasília, Revista TST, 75(1),.

Ramacciotti, B. L., Souza, C. Q. da, & Dantas, L. R. A. S. (2020). O princício da proibição do retrocesso ambiental aplicado às políticas públicas ambientais. [S.l.], REI, Revistas de Estudos Institucionais, 6(2), 685-706. ISSN 2447-5467. doi: 10.21783/rei.v6i2.481.

Santos, V. M. N. dos & Bacci, D. L. C. (2017). Proposta para governança ambiental ante os dilemas socioambientais urbanos. Estudos Avançados, 31, 199-212. doi: 10.1590/s0103-40142017.31890017.

Sachs, W. (2008). Climate change and human rights. Development, 51(3), 332-337. doi: 10.1057/dev.2008.35.

Sagala, R., Nuangchalerm, P., Saregar, A., El Islami, R. A. Z. (2019). Environment-friendly education as a solution to against global warming: a case study at Sekolah Alam Lampung, Indonesia. Journal for the Education of Gifted Young Scientists, 7(2), 85-97. Disponível em: https://dergipark.org.tr/en/pub/jegys/article/565454. Acesso em: 12.12.2020.

Sarlet, I. W. & Fensterseifer, T. (2021). Curso de Direito Ambiental. 2ed. Rio de Janeiro: Forense. p.390-399.

Siegner, A. & Stapert, N. (2020). Climate chance education in the humanities classroom: a case study of Lowell School curriculum pilot. Environmental Education Research, 26, 511-531. doi: 10.1080/13504622.2019.1607258.

Silva, C. P. da, Figuerôa, S. F. M., & Newerla, V. B. (2008). Subsídios para o uso da história das ciências no ensino: exemplos extraídos das Geociências. Ciência & Educação (Bauru), 14, 497-517. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/h8SpWTgmpxZDQrgCCPjn5NF/abstract/?format=html&lang=pt. Acesso em: 22.08.2021.

Sinden, A. (2007). Climate change and human rights. J. Land Resources & Envtl. L., 27, 255-271.

Souza, J. A. G. de (coord.) (2008). A Defensoria Pública e os processos coletivos: comemorando a Lei Federal 11.448, de 15 de janeiro de 2007. Rio de Janeiro: Lúmen Juris.

Stevenson, R. B., Nicholls, J., Whitehouse, H.(2017). What is climate change education? Curriculum Perspectives, 37(1), 67-71. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s41297-017-0015-9. Acesso em: 15.12.2020.

Zezzo, L. V., Oliveira, J. P. de, & Coltri, P. P. (2020). Clima em jogo: uma ferramenta pedagógica para aprendizagem de conceitos em Geociências, com ênfase na Climatologia. Terræ Didatica, 16(Publ. Contínua), 1-10, e020003. doi: 10.20396/td.v16i0.8656203.

Downloads

Publicado

2021-12-21

Como Citar

FARIA, D. R. de; RAMOS, M. C.; COLTRI, P. P. Sequência didática como estratégia para ensino sobre desafios socioambientais relacionados às mudanças climáticas. Terræ Didatica, Campinas, SP, v. 17, n. 00, p. e021052, 2021. DOI: 10.20396/td.v17i00.8667126. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8667126. Acesso em: 28 nov. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)