Notícias

Resistências em práticas discursivas de contestação em democracias frágeis

2020-02-20

Vivemos em um mundo em turbulência, tensionado por extremismos sociais, econômicos e políticos que, em conjunto, contribuem para o abalo ou mesmo destruição de valores democráticos: um processo produtor de democracias de baixa intensidade (Santos, 2016).  Como resultado de políticas econômicas neoliberais, que imperam em muitas partes do globo, as oportunidades no mundo do trabalho e as garantias previdenciárias que possibilitariam alguma justiça social diminuem flagrantemente. A uberização do “emprego” reduz uma grande massa da população a um tipo de escravização contemporânea  enquanto aqueles poucos que se dedicam a práticas rentistas fazem o dinheiro voar daqui para ali ao prazer de seus bolsos, por assim dizer, sem se preocuparem com a devastação social que, sem nenhum pudor, criam localmente. “Como o Mercado reagiu?”  é a grande indagação a que somos expostos cotidianamente em um mundo no qual o “sensível” e poderoso oráculo chamado Mercado vai profetizar a “verdade” para nossas vidas.

Saiba mais sobre Resistências em práticas discursivas de contestação em democracias frágeis