Notícias

Letramentos literários na contemporaneidade: criticidade e subversão

2021-03-26

Letramentos literários são aqui compreendidos como práticas sociais que envolvem leitura e/ou escrita literárias. Se antes o termo era comumente usado, no singular, para se referir a teorias e práticas didático-pedagógicas de ensino de literatura na educação básica, atualmente, os letramentos literários, no plural, atravessam os muros escolares e o conceito se amplia para incorporar eventos e práticas de leitura e escrita (Street, 2014) literárias onipresentes na sociedade contemporânea. Uma rápida pesquisa na web logo revela a produção, circulação e recepção de minicontos (microcontos ou nanocontos), fanfictions (fanfics), relatos narrados como crônicas, instapoesias, poesias-slams, poesias-gifs, enfim, textos literários diversos, em prosa ou em versos, ora escritos, ora falados em voz alta e apresentados performaticamente (Zumthor, 2007), alvos de muitas curtidas nas redes sociais. E os jovens são a grande maioria do público leitor e produtor desses (novos?) gêneros, muito provavelmente porque é por meio desses textos que assumem a vez e a voz da criticidade e da subversão. Em outros contextos, bibliotecas comunitárias em zonas de alta vulnerabilidade social no Brasil revelam diferentes eventos e práticas de leitura e escrita de textos literários, com forte potencial de recepção entre crianças e jovens (Fernandez, Machado e Rosa, 2018). A nosso ver, compreender os letramentos literários e a educação literária pela lente das práticas de letramentos (Street, 2014) torna-se essencial para (re)pensarmos os modos de produção, circulação e recepção da literatura como resistência e subversão culturais nos processos complexos de formação de leitores e escritores literários.

Saiba mais sobre Letramentos literários na contemporaneidade: criticidade e subversão

Edição Atual

v. 59 n. 3 (2020)
					Visualizar v. 59 n. 3 (2020)
Publicado: 2021-03-09

Dossiê

Artigos

Ver Todas as Edições