A literatura no rádio e na televisão: traduções intersemióticas na América Latina?

Autores

  • Dennys Silva-Reis Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Tradução intersemiótica. Literatura. Radionovela. Telenovela. Artes-relés.

Resumo

O presente trabalho se propõe a examinar as relações entre literatura e as mídias do rádio e da televisão no âmbito latino-americano. Considerando que a literatura é sempre revisitada pelos meios de comunicação, vê-se este translado como tradução intersemiótica e também como forte vulgarização da arte literária, especialmente pelos gêneros midiáticos telenovela e radionovela. A fim de comprovar nossa hipótese assinalamos dois produtos das artes-relés: as radionovelas da série Mi novela favorita e a telenovela Los Miserables. Tenta-se mostrar o quanto a ficção é amplamente consumida pelo público latino-americano e que mais da metade do que se considera obras ficcionais pertencem ao conjunto das obras literárias transmutadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dennys Silva-Reis, Universidade de Brasília

Programa de Pós-Graduação em Literatura(POSLIT) da Universidade de Brasília (UnB)

Referências

BAKHTIN, M. (2011). Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6 ed. São Paulo: Martins fontes.

BALOGH, A. M. (2002). O discurso ficcional na televisão. São Paulo: EDUSP.

CANCLINI, N.G. (2007). A globalização imaginada. Tradução Sérgio Molina. São Paulo: Iluminuras.

CESÁRIO, D. V. et alii (2006). Radionovela: a magia do passado encantando o presente. Fortaleza: LCT.

DUFIEF, A-S (2001). Le théâtre au XIXe siècle: du romantisme au symbolisme. Paris: Bréal.

ECO, U. (2015). Os limites da interpretação. Tradução Pérola de Carvalho. São Paulo: Perspectiva.

EVEN-ZOHAR, I. (2013). “O Sistema Literário”. Tradução de Luis Fernando Marozo e Yanna Karlla Cunha. In: Revista Translatio. No 5. pp. 21-45. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/translatio/article/view/42900/27135 . Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

GALAY, F. G. (2015). “Revisitando el radiodrama en la actualidad”. In: Comunicación y Medios. no 31. Instituto de la Comunicación e Imagen, ICEI. Universidad de Chile. p. 133-149. Disponível em: https://comunicacionymedios.uchile.cl/index.php/RCM/article/view/35769 . Acesso em 4 de março de 2018.

GARZA, J. M. (2005). “La oferta de televisión en América Latina: hacia un análisis de flujos”. In: ZER –Revista de estúdios de Comunicación. V. 10, no 19, pp. 145-127. Disponível em: http://www.ehu.eus/ojs/index.php/Zer/article/view/3848. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

HUGO, V. (1997). “Préface”. In: HUGO, V. Ruy Blas. Paris: Gallimard.

HUGO, V. (2012). Os miseráveis. Tradução de Frederico Ozanam Pessoa de Barros. São Paulo: Cosac Naify.

HUPPES, I. (2000). Melodrama: o gênero e sua permanência. São Paulo: Ateliê Editorial.

JAKOBSON, Roman (2007). Linguística e comunicação. Tradução: Izidoro Blikstein e José Paulo Paes. 24ª ed. São Paulo: Cultrix.

LÓPEZ, T. B. (2012). “La radio en América latina y el Caribe: mapa interactivo”. In: Chasqui - Revista latinoamericana de comunicación. Núm. 118, pp. 37-41. Disponível em: http://www.revistachasqui.org/index.php/chasqui/article/view/145. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

MEYER, M. (1996) Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras.

RADIO LIBRES, 2017. La radio en América latina y el Caribe: Mapa Interactivo 2017. Disponível em: https://radioslibres.net/article/mapa-de-radios-de-america-latina-y-caribe-2017/. Acesso em 4 de março de 2018.

REIS, D. S. (2013). “Da tradução intersemiótica: Claude Gueux de Victor Hugo no rádio”. In: Revista Ecos, V. 15, Ano X, no 02, pp. 33-53. Disponível em: https://periodicos.unemat.br/index.php/ecos/article/view/628. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

RONCAGLIOLO, R. (1996). “La integración audiovisual en América Latina: estados, empresas y productores independientes”. In: CANCLINI, N.G. (org.) Culturas en globalización, América Latina-Europa-Estados Unidos: libre comercio e integración. Caracas: Seminario de Estudios de la Cultura (CNCA)/CLACSO/Nueva Sociedad.

SCHAEFFER, P. (2010). Ensaio sobre o rádio e o cinema: estética e técnica das artes-relé, 1914-1942. Texto estabelecido por Sophie Brunet e Carlos Palombini, com a colaboração de Jacqueline Schaeffer. Prefácio, apresentação, aparato crítico e tradução Carlos Palombini. Belo Horizonte: UFMG.

SILVA JUNIOR, A. R.; GANDARA, L. C. (2015). “A tradução coletiva de Abril despedaçado no âmbito do cinema literário brasileiro Pós-Retomada”. In: O Guari – revista eletrônica de literatura. Disponível em: http://oguari.blogspot.com.br/p/atraducao-coletiva-de-abril-despedacado.html. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

SILVA, F. L. P. (2005). “Melodrama, folhetim e telenovela: anotações para um estudo comparativo”. In: FACOM, v. 15, 2o sem, pp. 46-54. Disponível em: http://www.faap.br/revista_faap/revista_facom/facom_15/_flavio_porto.pdf. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

TOROP, P. (2003). “Intersemiosis and Intersemiotic Translation”. In: PETRILLI, Susan. Translation Translation. Amsterdam/New York: Rodopi.

TORRES, B. A. (2009). “O movimento de democratização do rádio no panorama latino-americano”. In: Anais do VII Encontro Nacional de História da Mídia. Rede Alcar: Fortaleza. pp. 1-16. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/7o-encontro-20091/. Acesso em 11 de fevereiro de 2018.

VALÉRY, P. (1936). “Le bilan de l’intelligence”. In: Variété III. Paris: Gallimard.

VARGAS LLOSA, Mario (1983). Tia Júlia e o Escrevinhador. Tradução de Remy Gorga. São Paulo: Nova Fronteira.

YAMASHITA, K. T. (2003). Matacão, uma lenda tropical. Tradução: Cristina Maria Teixeira Stevens e Carolina Berard. São Paulo: Zipango.

Downloads

Publicado

2018-03-28

Como Citar

SILVA-REIS, D. A literatura no rádio e na televisão: traduções intersemióticas na América Latina?. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 57, n. 1, p. 49–70, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651697. Acesso em: 2 dez. 2022.