O português como curso universitário num país do Norte

o caso da Noruega

Autores

Palavras-chave:

Línguas estrangeiras, Planeamento e liderança de Universidades, Língua portuguesa, Noruega

Resumo

O português surgiu há 50 anos como curso na Universidade de Oslo (Noruega), por ser um canal importante de cultura, a fim de completar o ensino e a pesquisa romanísticos, e por razões práticas na esfera da indústria e dos negócios. De facto, a iniciativa partiu do último setor, embora preparada por um romanista. Com o tempo, o português tornou-se um curso como os outros. Contudo, com a mudança da ideologia da universidade e uma reorganização administrativa, os ideais académicos foram relegados a segundo plano. Também as considerações sociais e políticas foram negligenciadas. Cada vez menos recursos foram sendo atribuídos ao português, e a consequente baixa inevitável da procura por parte dos estudantes legitimou uma redução drástica do curso, testemunhando o desaparecimento do verdadeiro interesse pelos países e culturas lusófonos, não só da parte dos gestores académicos e da indústria, mas também do atual governo norueguês.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ENGH, J. Portugisisk – verdensspråk og nasjonalt ansvar – 50 år med portugisisk som fag ved Universitetet i Oslo. Oslo:Sypress, 2021.

FERREIRA DE CASTRO, J.M. Gummitapperne ved Rio Madeira. [A Selva]. [traduzido por Leif Sletsjøe] Oslo:Tiden, 1953

GOLDSTEIN, N. S. Depoimento. Uma experiência na Escandinavia. Em: Filologia e Lingüística Portuguesa, v. 2, pp. 273-279, 1998.

GRØNSTAD, A. Eit globalt perspektiv på humaniora. Em: På høyden. Bergen 2015. Disponível em: <http://pahoyden.no/debatt/2015/01/eit-globalt-perspektiv-pa-humaniora >. Acesso em em 1 de janeiro 2019.

HOLM, P.; JARRICK, A. e SCOTT, D. Humanities World Report 2015. Basingstoke:Palgrave Macmillan UK, 2015.

LONDRIM, G. de S. C.; SANTOS, D.; MICHAELSEN, F. V.; JANSEN, H.. Viva!:portugisisk fremmedspråk - nivå 1. Bergen:Fagbokforlaget, 2017.

MUHR, R. (ed.) Pluricentric Languages and Non-Dominant Varieties Worldwide II: The Pluricentricity of Portuguese and Spanish. New Concepts and Descriptions. (Österreichisches Deutsch – Sprache der Gegenwart ) Frankfurt am Main:Peter Lang, 2015.

NILSSON, K. Norsk-portugisisk ordbok. (Scandinavian university books) Oslo:Universitetsforlaget, 1979. [2ª edição 1994]

NILSSON, K. A lusofonia vista por um Lusitanista Escandinavo. Caderno do Centro de Línguas 2. Ensino de Português língua Estrangeira. USP. São Paulo:Humanitas pp. 49-73, 1998.

SANTOS, D. Portugisisk i verden. (Fokus på språk) Halden:Fremmedspråksenteret, 2015. Disponível em: <https://www.hiof.no/fss/leringsressurser/uh-sektoren/forskning-og-utvikling/fokus-pa-sprak/fullstendig-publikasjonsliste/portugisisk_i_verden_korrigert_web.pdf>. Acesso em 1 de janeiro 2019.

SANTOS, D. Português internacional: alguns argumentos. Em TEIXEIRA, J. (ed.). O Português como Língua num Mundo Global: problemas e potencialidades. Centro de Estudos Lusíadas da Universidade do Minho, 2016, pp. 49-66. Disponível em: https://www.linguateca.pt/Diana/download/Santos2016PI.pdf>. Acesso em 1 de janeiro 2019.

SANTOS, D. Portugisisk, tall og politikk. Uniforum 22 de janeiro de 2018. Disponível em: <https://www.uniforum.uio.no/leserbrev/2018/portugisisk-tall-og-politikk.html>. Acesso em 1 de janeiro 2019.

SLETSJØE, L. Latin-Amerika og vi. Verdens gang 5 de outubro de 1949.

SLETSJØE, L. Trenger vi et Ibero-amerikansk institutt. Aftenposten 17 de agosto de 1953.

TØNNESSEN, E. Vil videreutvikle satsing mot Brasil. Khrono 28 de novembro 2015. Disponível em: <https://khrono.no/internasjonalt-samarbeid-brasil-kronprins-haakon/vil-videreutvikle-satsing-mot-brasil/163347>. Acesso em 1 de janeiro 2019.

Downloads

Publicado

2021-05-21

Como Citar

ENGH, J. O português como curso universitário num país do Norte: o caso da Noruega. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 60, n. 1, p. 171–190, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8660987. Acesso em: 19 out. 2021.