Banner Portal
A virada dos afetos sobre a razão
PDF

Palavras-chave

Tradução e afetos
Narrativa ontológica
Razão versus emoção nas Ciências Humanas

Como Citar

LIMA, Érica; PISETTA, L. A virada dos afetos sobre a razão: um caso de intervenção tradutória ressignificado. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 62, n. 2, p. 182–193, 2023. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8674300. Acesso em: 27 fev. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

“Narrativas ontológicas são histórias pessoais que contamos a nós mesmos sobre nosso lugar no mundo e nossa história pessoal”. Essa definição, entre os quatro tipos de narrativas abordadas por Mona Baker (2006), é a que ela traz para os estudos da tradução, juntamente com outros conceitos desenvolvidos sobretudo na sociologia. A autora defende a socionarrativa como um processo que abrange diversos textos e que possibilita ao narrador-tradutor tomar posição frente a situações de conflito, cujas narrativas são reproduzidas ou construídas por meio da tradução e da interpretação. Depois de discutir a incidência dos afetos e emoções na prática da tradução, apresentamos uma narrativa ontológica de um fato acontecido com uma das autoras, que foi, num primeiro momento, interpretado por ela mesma como uma reação no nível da ética e da racionalidade, e acabou sendo ressignificado, após uma indagação de um examinador na arguição de seu Memorial a respeito do que a autora-tradutora havia sentido naquela situação. Com o auxílio de reflexões desenvolvidas nas Ciências Humanas em geral (AHMED, 2014), e na tradução, em particular (ROBINSON, 1991; 2003; 2020), o objetivo principal deste artigo é trazer para a discussão as reações da tradutora e de alguns leitores do texto traduzido e possíveis impactos para as narrativas conceituais sobre tradução.

PDF

Referências

AHMED, Sara. (2014). The cultural politics of emotion. 2a. ed. Edinburgh: Edinburgh University Press.

BAKER, Mona. (2006). Translation and conflict, a narrative account. London and New York: Routledge.

BOURDIEU, Pierre. (1992). Structures, habitus, practices. In The logic of practice, translated by Richard Nice. Redwood City: Stanford University Press.

CARDOSO, Joice. (2018). Resenha: H. P. Lovecraft ‒ Contos: Volume I. Estante Diagonal, 31 de jan. Disponível em: https://www.estantediagonal.com.br/2018/01/resenha-h-p-lovecraft-contos-volume-i.html Acesso em 17 jul 2023.

CLOUGH, Patricia Ticineto. (2007) The Affective Turn. Durham and London: Duke University Press.

DAMÁSIO, António R. (1994). O erro de Descartes. Emoção, razão e o cérebro humano. Tradução de Dora Vicente and Georgina Segurado. São Paulo: Companhia das Letras, 3ª. ed. 2012.

ESTEVES, Lenita Maria Rimoli. (2014). Atos de tradução: Éticas, intervenções, mediações. São Paulo: Humanitas/FAPESP.

ESTEVES, Lenita Maria Rimoli. (2017). E se...? Lovecraft no século XXI. In Contos, v. 1. São Paulo: Martin Claret.

GADAMER, Hans-Georg. (1999). Verdade e método. Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução de Flávio Paulo Meurer. 3ª. ed. Petrópolis: Vozes.

HERMANS, Theo (ed.). (1985). The manipulation of literature. London/New York: Routledge.

KOSKINEN, Kaisa. (2020). Translation and Affect. Essays on sticky affects and translational affective labour. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company.

LEFEVERE, André. (1992). Translation, rewriting, and the manipulation of literary fame. London/New York: Routledge.

LIMA, Gardênia N.; FILICE, Renisia C. G.; HARDEN, Alessandra R. (2022) O. Raça e interseccionalidade na tradução: algumas considerações para uma ética no fazer tradutório. Trab. Ling. Aplic., Campinas, n(61.1): 197-209, jan./abr.

LIMA, Érica; PIMENTEL, Janine. (2023) Nossos corpos por nós mesmas: viagens do feminismo e a busca por uma linguagem inclusiva na tradução. In: SILVA_REIS, Dennys; FLORES, Vinícius Martins (org.). Estudos da Tradução & comunidade LGBT. Salvador: Editora Devires (no prelo)

LOVECRAFT, Howard Phillips. (2008). Herbert West, reanimator. In: H. P. Lovecraft – The fiction complete and unabridged. New York: Barnes & Noble.

LOVECRAFT, Howard Philips. (2017). Herbert West ‒ Reanimador. Tradução de Lenita Esteves. In Contos, v. 1. São Paulo: Martin Claret.

MAIER, Carol. (2014). The translator as Theôros. In Translating others, edited by Theo Hermans. London/ New York: Routledge.

MEIRELES DA SILVA, Alexander. (2020). Qual é a melhor e a pior edição de H. P. Lovecraft no Brasil? In Fantasticursos, video do Youtube. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=XSbzKfFUW90, acesso em 18 jul 2023.

MORCEGO, Bruce. (2020). Comentário. Resenha: H. P. Lovecraft – Contos: Volume I. Disponível em: https://disqus.com/by/brucemorcego/?l=pt. Acesso em 17 jul 2023.

ROBINSON, Douglas. (1991). The translator´s turn. Baltimore/ London: The Johns Hopkins Press.

ROBINSON, Douglas (1997) Becoming a Translator. London and New York: Routledge.

ROBINSON, Douglas. (2003). Performative linguistics. Speaking and translating as doing things with words. London/ New York: Routledge.

ROBINSON, Douglas (2020) Becoming a Translator. 4th ed. London and New York: Routledge.

SILVA, Liliam R. (2018) Não me chame de mulata: uma reflexão sobre a tradução em literatura afrodescendente no Brasil no par de línguas espanhol-português. Trab. Ling. Aplic., Campinas, n(57.1): 71-88, jan./abr.

SIMEONI, Daniel (1998) The Pivotal Status of the Translator´s Habitus. Target. 10 (1), p.1-39.

SOMERS, Margaret R; GIBSON, Gloria D. (1994). “Reclaiming the Epistemological “Other”: Narrative and the Social Constitution of Identity”. In Social Theory and the Politics of Identity. Edited by Craig Calhoun, 37–99. Cambridge MA and Oxford: Blackwell.

SPINOZA, Benedictus. (1677). Ética e Compêndio de Gramática da língua hebraica. Obra Completa IV. Tradução e notas J. Guinsburg e Newton Cunha. São Paulo: Perspectiva, 2014.

The Boston Women´s Health Book Collective, Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde. Nossos corpos por nós mesmas. Um clássico do feminismo mundial. Coordenação da tradução: Érica Lima e Janine Pimentel. 1ª ed. São Paulo: Ema Livros; Editora Timo, 2023.

ZAIDAN, Junia; BAKER, Mona (2019). Tradução e transformação social: uma entrevista com Mona Baker. Dossiê: Tradução & Transformação Social. PERcursos Linguísticos. Vitória (ES), v. 9, n. 21, p.14-35

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Érica Lima, Lenita Pisetta

Downloads

Não há dados estatísticos.