O conflito da diferença na escola: uma visão psicanalítica

  • Ana Archangelo Universidade Estadual de Campinas
  • Daniela Kitawa Oyama Universidade Estadual de Campinas
  • Maria Lígia Pompeu Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Differences. Psychoanalysis. School.

Resumo

Vivemos em tempos de hegemonia do discurso sobre a inclusão, sobre o direito às diferenças, que, embora fundamental, tem gerado muito desconforto no interior das escolas. Este artigo procura demonstrar que o dilema entre a busca pela igualdade e a busca pela diferença não é falso para os moldes do discurso de uma agenda estritamente política; mas o é, de uma perspectiva social, desde que se leve em consideração que esta última não se dissocia de uma perspectiva psíquica. À luz do referencial psicanalítico kleiniano e bioniano, a diferença é concebida como o ponto de inflexão que inaugura o conflito e com ele coincide. A partir disso, o artigo discute que as instituições escolares revelam diferentes maneiras de acolher (ou não) o que cada um traz para a escola – suas particularidades, ansiedades, formas de sentir, de aprender, de desenvolver as diferenças –, acabando por oferecer, às reais necessidades dos sujeitos que ali estão, diariamente, distintas possibilidades de elaboração. São características de alguns perfis de instituição, os quais se descrevem como: a escola negligente; a escola homogeneizadora; a escola ingênua e a escola acolhedora. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Archangelo, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Psicologia e Formação de Psicólogo pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1988), Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1995), Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1999), Pós-Doutorado pelos Centre for Psycho-Social Studies da University of the West of England (2001 e 2009) e Centre for Psychoanalytic Studies da University of Colchester (2003 e 2006). Lecionou de 1992 a 2004 no Departamento de Educação da Unesp, campus de Presidente Prudente. Desde então, é Professora Doutora da Universidade Estadual de Campinas. 
Daniela Kitawa Oyama, Universidade Estadual de Campinas
Mestrado em Educação (Área - Psicologia, Desenvolvimento Humano e Educação) pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2009). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP (2004)
Maria Lígia Pompeu, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Pedagogia - Faculdade de Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2003). Atualmente é professora auxiliar da Escola Comunitária de Campinas e mestranda na Faculdade de Educação Fe Unicamp, orientada pela profa. Dra. Ana Arcangelo (grupo DIS, FE-Unicamp)

Referências

BION, Wilfred Ruprecht. O aprender com a experiência. Trad. Paulo Dias Corrêa. Rio de Janeiro, RJ: Imago Ed, 1991. 146p.

KLEIN, Melanie. Inveja e Gratidão e outros trabalhos (1946-1963). Trad. Elias Mallet da Rocha, Liana Pinto Chaves (coordenadores) e colaboradores. Rio de Janeiro, RJ: Imago, 1991. 398 p.

HINSHELWOOD, Robert. D. Dicionário do pesamento Kleiniano. Trad. José Octavio de Aguiar Abreu. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992. 507p.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Ciladas da diferença. São Paulo, SP: USP; Curso de Pós-Graduação em Sociologia; Editora 34, 1999. 224p.

RIVIERE, Joan. Introdução geral. In: KLEIN, Melanie et al. Os progressos da psicanálise. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara,1986. p. 11-47.

RUSTIN, Michel. A boa sociedade e o mundo interno: psicanálise, política e cultura. Tradução: Eliana Bastos Neves e Tânia Mara Zalcberg. Rio de Janeiro, RJ: Imago, 2000. 284p.

RUSTIN, Michel. Reason and unreason: psychoanalysis, science and politics. London: Continuum, 2001. 248p.

Publicado
2010-11-18
Como Citar
Archangelo, A., Oyama, D. K., & Pompeu, M. L. (2010). O conflito da diferença na escola: uma visão psicanalítica. ETD - Educação Temática Digital, 14(1), 299-313. https://doi.org/10.20396/etd.v14i1.1254