Modelo de tomada de decisão para uso de professores do ensino fundamental na identificação de Autismo e Deficiência Intelectual

Autores

  • Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Luiz Renato Rodrigues Carreiro Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Alessandra Gotuzo Seabra Universidade Presbiteriana Mackenzie https://orcid.org/0000-0002-8373-7897
  • Leandro Augusto da Silva Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Ana Claudia Rossi Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Tally Lichtensztejn Tafla Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Erick Fernando Doria Lopes Universidade Presbiteriana Mackenzie
  • Decio Brunoni Universidade Presbiteriana Mackenzie https://orcid.org/0000-0001-6091-3838

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v22i1.8655539

Palavras-chave:

Educação Básica, Deficiência Intelectual, Autismo, Ambiente Big Data

Resumo

Ainda há um número significativo de alunos que ingressam no ensino fundamental com transtornos do neurodesenvolvimento, como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e a Deficiência Intelectual (DI), sem diagnóstico garantindo seus direitos legais aos Serviços Educacionais Especiais (SES). De acordo com o sistema público de saúde brasileiro (SUS), a identificação precoce e o monitoramento do TEA devem ser realizados pelas equipes de saúde e educação. O objetivo deste estudo foi desenvolver um modelo de tomada de decisão, com um fluxograma detalhando tarefas e ações, utilizado por professores do ensino fundamental do sistema público de ensino com instrumentos para avaliação de indicadores de TEA e DI. O estudo foi realizado em duas fases. Fase 1: Dois instrumentos em um formato de checklist de verificação foram produzidos contendo descrições sobre as características dos transtornos para auxiliar o professor na avaliação dos alunos. Fase 2: Dois fluxogramas foram criados, um para cada transtorno, composto por um conjunto de atividades sequenciais logicamente organizadas. O procedimento para os fluxogramas consistiu em um processo baseado no Business Process Model and Notation (BPMN), utilizando a plataforma de código aberto Business Process Management System (BPMS). O relatório final permite a visualização dos resultados da avaliação, como indicadores do checklist, avaliação neuropsicológica, avaliações emocionais e comportamentais. O estudo apresenta um modelo de processo para professores e gestores educacionais que utiliza um sistema computadorizado para auxiliá-los na coleta e análise de dados, bem como tomada de decisão em tempo real para identificar alunos com suspeita de transtornos do neurodesenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutora em Saúde pela Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenadora Geral da Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Presbiteriana Mackenzie. 

Luiz Renato Rodrigues Carreiro, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutor em Ciências (Fisiologia Humana) pela Universidade de São Paulo.  Professor Adjunto I da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Professor do curso de Psicologia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Alessandra Gotuzo Seabra, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutora e pós-doutora em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo. Professora do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Leandro Augusto da Silva, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutor pela Escola Politécnica da USP. Professor na Faculdade de Computação e Informática e Professor/Coordenador da Pós-Graduação Strictu-Sensu do Programa da Engenharia Elétrica e Computação da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Ana Claudia Rossi, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Mestra em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo. Professor assistente associado da Universidade Presbiteriana Mackenzie. 

Tally Lichtensztejn Tafla, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutoranda em Distúrbios do Desenvolvimento e Graduação em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Trabalhou como estagiária na Universidade Presbiteriana Mackenzie, no Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, no Laboratório de Transtornos do Espectro do Autismo. 

Erick Fernando Doria Lopes, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Graduação em andamento em Ciência da Computação pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Decio Brunoni, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Doutor em Ciências Biológicas (Genética) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Livre-Docente de Genética Humana e Médica pela UNIFESP. Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Referências

ACHENBACH, Thomas M. ; RESCORLA, Leslie A. Manual for the Aseba School-age forms & profiles. Burlington: University of Vermont, Research Center for Children, Youth & Families, 2001.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION - APA. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-V). 5.ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2014.

ARAUJO, A. K. DE; TANAKA, O. Y. Avaliação do processo de acolhimento em saúde mental na região centro-oeste do município de São Paulo: a relação entre CAPS e UBS em análise. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 16, n. 43, p. 917–928, 2012.

BORDINI, D. et al. Impact of training in autism for primary care providers: A pilot study. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 37, n. 1, p. 63–66, 2015.

CARDOSO, M. H.; ROMERO, A. C. L.; CAPELLINI, S. A. Alterações dos processos fonológicos e índice de gravidade entre escolares com dislexia e escolares com bom desempenho acadêmico. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 17, n. 3, p. 287–292, 2012.

CARNEIRO, C.; COUTINHO, L. G. Infância e adolescência: como chegam as queixas escolares à saúde mental? Educar em Revista, n. 56, p. 181–192, 2015.

DENCKLA, C. A. et al. Psychometric properties of the Ndetei-Othieno-Kathuku (NOK) Scale: a mental health assessment tool for an African setting. Journal of Child and Adolescent Mental Health, v. 29, n. 1, p. 39–49, 2017.

ENRICONE, J. R. B.; SALLES, J. F. DE. Relação entre variáveis psicossociais familiares e desempenho em leitura/escrita em crianças. Psicologia Escolar e Educacional, v. 15, n. 2, p. 199–210, 2012.

FARIA, K. T. et al. Atitudes e práticas pedagógicas de inclusão para o aluno com autismo. Revista Educação Especial, v. 31, n. 61, p. 353, 2018.

KARAM, S. M. et al. Genetic causes of intellectual disability in a birth cohort: a population-based study. American Journal of Medical Genetics, Part A, v. 167, n. 6, p. 1204–1214, 2015.

LAKHAN, R.; MAWSON, A. R. Identifying children with intellectual disabilities in the tribal population of Barwani district in state of Madhya Pradesh, India. Journal of Applied Research in Intellectual Disabilities, v. 29, n. 3, p. 211–219, 2016.

LAROS, A.; JESUS, R. DE; KARINO, A. Validação brasileira do teste não-verbal de inteligência SON-R 2½-7 [ a ] 1 , 2. Avaliação Psicológica, v. 12, n. 2, p. 233–242, 2013.

MALTA, D. C. et al. Prevalência autorreferida de deficiência no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, n. 10, p. 3253–3264, 2016.

MARTELETO, M. R. F.; PEDROMÔNICO, M. R. M. Validity of Autism Behavior Checklist (ABC): preliminary study validade do Inventário de Comportamentos Autísticos (ICA): estudo preliminar. Brazilian Journal of Psychiatry, v. 27, n. 4, p. 295–301, 2005.

MAULIK, P. K. et al. Prevalence of intellectual disability: a meta-analysis of population-based studies. Research in Developmental Disabilities, v. 32, n. 2, p. 419–436, 2011.

OLASHORE, A. A.; FRANK-HATITCHKI, B.; OGUNWOBI, O. Diagnostic profiles and predictors of treatment outcome among children and adolescents attending a national psychiatric hospital in Botswana. Child and Adolescent Psychiatry and Mental Health, v. 11, n. 1, p. 1–10, 2017.

PALERMO, G. A.; SILVA, D. B. DO N.; NOVELLINO, M. S. F. Fatores associados ao desempenho escolar: uma análise da proficiência em matemática dos alunos do 5o ano do ensino fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 31, n. 2, p. 367–394, 2015.

PAULA, C. S. et al. Identifying Autism with a Brief and Low-Cost Screening Instrument - OERA: construct validity, invariance testing, and agreement between judges. Journal of Autism and Developmental Disorders, v. 48, n. 5, p. 1780–1791, 2018.

PAULA, C. S.; BELISÁSIO FILHO, J. F.; TEIXEIRA, M. C. T. V. Estudantes de psicologia concluem a graduação com uma boa formação em autismo? Psicologia - Teoria e Prática, v. 18, n. 1, p. 206–221, 2016.

PORTOLESE, J. et al. Mapeamento dos serviços que prestam atendimento a pessoas com transtorno do espectro autista no Brasil. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, v. 17, n. 2, 2017.

ROBERTSON, J. et al. The identification of children with , or at significant risk of , intellectual disabilities in low- and middle-income countries : a review. Journal of Applied Research in Intellectual Disabilities, v. 25, n. 2, p. 99–118, 2012.

ROSSATO, S. P. M.; LEONARDO, N. S. T. A queixa escolar na perspectiva de educadores da Educação Especial. Psicologia Escolar e Educacional, v. 16, n. 1, p. 15–24, 2012.

ROTHOLZ, D. A.; MOSELEY, C. R.; CARLSON, K. B. State policies and practices in behavior supports for persons with intellectual and developmental disabilities in the United States: A national survey. Intellectual and Developmental Disabilities, v. 51, n. 6, p. 443–445, 2013.

RUSSELL, G. et al. Selection bias on intellectual ability in autism research : a cross-sectional review and meta-analysis. Molecular Autism, p. 1–10, 2019.

SURIANO, R. Um modelo de transferência de tecnologias para a educação básica para avaliação de alunos com sinais do transtorno do espectro autista e deficiência intelectual. 2018. Dissertação (Mestrado em Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2018.

TEIXEIRA, M. C. T. V. et al. Mismatch between diagnostic reports and special educational needs classification in a public educational system TT - Descompasso entre os registros diagnósticos e a classificação de necessidade educacional especial em uma rede municipal de educação. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, v. 75, n. 4, p. 244–247, 2017.

YATES, D. B. et al. Apresentação da Escala de Inteligência Wechsler Abreviada (WASI). Avaliação Psicológica, v. 5, n. 2, p. 227–233, 2006.

ZANON, R. B.; BACKES, B.; BOSA, C. A. Identificação dos primeiros sintomas do autismo pelos pais. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 30, n. 1, p. 25–33, 2014.

Downloads

Publicado

2020-02-05

Como Citar

TEIXEIRA, M. C. T. V. .; CARREIRO, L. R. R. .; SEABRA, A. G. .; SILVA, L. A. da .; ROSSI, A. C.; TAFLA, T. L. .; LOPES, E. F. D.; BRUNONI, D. Modelo de tomada de decisão para uso de professores do ensino fundamental na identificação de Autismo e Deficiência Intelectual. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 22, n. 1, p. 106–126, 2020. DOI: 10.20396/etd.v22i1.8655539. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8655539. Acesso em: 4 dez. 2021.