Panorama das instituições de educação superior brasileira

para alunos público-alvo da educação especial antes da Lei de Reserva de Vagas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v24i3.8660504

Palavras-chave:

Ingresso, Censo, Educação especial, Educação superior, Reserva de vagas

Resumo

As instituições de educação superior (IES) brasileiras, públicas e privadas, são formadas enquanto categoria administrativa por faculdades, centros universitários, universidades, institutos federais e Cefets, que somaram, em 2015, 8.027.297 matrículas, das quais 34.927 eram de estudantes público-alvo da educação especial (PAEE). Diante disso, objetivamos descrever o cenário das IES no ano de 2015, anterior à Lei de Reserva de Vagas para Pessoas com Deficiência, de 2016, caracterizando-as por meio dos microdados do Censo da Educação Superior, adotando a abordagem quantitativa e o método de base populacional. Com os resultados, foi possível traçar um perfil das IES frequentadas por estudantes PAEE no que diz respeito à organização acadêmica, à categoria administrativa e à mobilidade acadêmica e indicar as 10 IES (que oferecem cursos presenciais e/ou a distância) mais frequentadas pelos estudantes PAEE, gerando um “retrato” anterior à lei de reserva de vagas. Este estudo poderá servir como parâmetro para avaliações futuras que pretendam conhecer o impacto da referida lei nas matrículas de estudantes PAEE, bem como, por meio dos números/estatística, será possível conhecer melhor as características das IES brasileiras e, com isso, traçar políticas públicas para a efetivação do direito ao ingresso e permanência na Educação Superior de estudantes PAEE.   

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Renato Martins da Rocha, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutor em Educação Especial pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). São Carlos, SP - Brasil. Professor no Centro de Matemática, Computação e Cognição (CMMM) da Universidade Federal do ABC. Santo André, SP - Brasil.

Cristina Broglia Feitosa de Lacerda, Universidade Federal de São Carlos

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).  Campinas, SP - Brasil. Pós doutorado no Centro de Pesquisa Italiano (CNR/ ROMA). Professor Associado I da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). São Carlos, SP - Brasil.

Elisângela Aparecida da Silva Lizzi, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Doutora em Saúde Comunitária Social na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP - Brasil. Docente e pesquisadora  da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Cornélio Procópio (PR) - Brasil. 

Referências

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE (CNS). Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 jun. 2013a, Seção 1, p. 59.

BRASIL. Decreto nº 9.235, de 15 de dezembro de 2017. Dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação das instituições de Educação Superior e dos cursos superiores de graduação e de pós-graduação no sistema federal de ensino. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 18 dez. 2017, Seção 1, p. 2.

BRASIL. Lei nº 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei no 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnico de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 29 dez. 2016, Seção 1, p. 3.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO. Portaria nº 1793, de 27 de dezembro de 1994. Recomenda a inclusão da disciplina "Aspectos Ético-Político-Educacionais da Normalização e Integração da Pessoa Portadora de Necessidades Especiais" prioritariamente nos cursos de Pedagogia, Psicologia e em todas as Licenciaturas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 dez. 1994.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Aviso Circular nº 277, de 08 de maio de 1996. Brasília: MEC/GM, 1996b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aviso277.pdf. Acesso em: 05 abr. 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Portaria n° 1.117, de 05 de novembro de 2018. Altera a Portaria Normativa MEC nº 18, de 11 de outubro de 2012, e a Portaria Normativa MEC nº 21, de 5 de novembro de 2012. 06 nov. 2018. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 05 nov. 2018b, n. 212, seção 1, p. 26.

BRASIL. Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília-DF, 18 nov. 2011, Seção 1, p. 12. Diário Oficial da União, Brasília-DF, Edição Extra, 18 nov. 2011, Seção 1, p. 5 (Republicação).

CAVALCANTE, Joseneide Franklin. Educação superior: conceitos, definições e classificações. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2000.

DURHAM, Eunice Ribeiro. O ensino superior no Brasil: público e privado. São Paulo: Núcleo de Pesquisas sobre Ensino Superior da USP, 2003.

GUIMARÃES, Clarice Ferreira. Ações inclusivas para a permanência das pessoas com deficiência no ensino superior: um estudo em IES de Natal-RN. 2011. 131 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censos demográficos. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da Educação Superior: 2015. Brasília: MEC/Inep, 2015.

MARTINS, Antônio Carlos Pereira. Ensino superior no Brasil: da descoberta aos dias atuais. Acta Cir. Bras., São Paulo, v. 17, supl. 3, p. 04-06, 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-86502002000900001

MIRANDA, Wagner Tadeu Sorace. Inclusão no ensino superior: das políticas públicas aos programas de atendimento e apoio às pessoas com necessidades educacionais especiais. 2014. 183 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014.

OLIVEIRA, Adriana Leonidas de; FREITAS, Maria Ester de. Motivações para mobilidade acadêmica internacional: a visão de alunos e professores universitários. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 217-246, set. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-4698148237

OLIVEIRA, Antonia Soares Silveira e. Alunos com deficiência no ensino superior: subsídios para a política de inclusão da Unimontes. 2011. 174 f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal São Carlos, São Carlos, 2011.

OLIVEN, Arabela Campos. Histórico da educação superior no Brasil. In: SOARES, Maria Susana Arrosa (Org.). A Educação Superior no Brasil. 1 ed., v. 1. Brasília,DF: Capes, 2002. p. 31-42.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia: Conferência Mundial de Educação, 1990. Unesco, 1998.

ROCHA, Luiz Renato Martins. O que dizem surdos e gestores sobre vestibulares em Libras para ingresso em universidades federais. 2015. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2015.

ROCHA, Luiz Renato Martins. Panorama nacional dos estudantes público-alvo da educação especial na educação superior. 2019. 276 f. Tese (Doutorado em Educação Especial) –Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2019.

Downloads

Publicado

2022-08-22

Como Citar

Rocha, L. R. M. da, Lacerda, C. B. F. de, & Lizzi, E. A. da S. (2022). Panorama das instituições de educação superior brasileira: para alunos público-alvo da educação especial antes da Lei de Reserva de Vagas. ETD - Educação Temática Digital, 24(3), 524–544. https://doi.org/10.20396/etd.v24i3.8660504