Cinema e professores de geografia

aproximações e distanciamentos - considerações a partir da rede pública de Dourados (MS)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/etd.v23i2.8661496

Palavras-chave:

Cinema, Ensino de Geografia, Professores, Ensino de geografia

Resumo

Neste texto, pretendemos, a partir de dados obtidos em pesquisa realizada junto a professores de Geografia atuantes em escolas públicas de Dourados (MS), analisar como esses professores entendem e trabalham com o cinema no contexto educativo. Verificamos que a grande maioria dos professores pesquisados apontou como o primeiro motivo para utilização de filmes na sala de aula o fato do cinema ser uma maneira de ampliação cultural dos alunos. No entanto, quando observamos as frases que os mesmos escreveram para caracterizar a relação entre cinema e escola, percebemos o predomínio da concepção de cinema enquanto ferramenta didática para o ensino de conteúdos da Geografia. Isso é reforçado quando analisamos a listagem dos filmes utilizados em relação aos conteúdos/temas trabalhados. Neste sentido, pode-se dizer que a aproximação com o cinema se dá mais pela busca de recursos didáticos que possam ilustrar ou reforçar os conteúdos trabalhados do que pelas características e potencialidades dos filmes enquanto linguagem que participa da criação de sentidos espaciais. O distanciamento dos professores em relação ao cinema também pode ser observado pelo pouco conhecimento que possuem sobre essa linguagem, pois é reduzido o número dos que fizeram algum curso ou leram livros sobre cinema. Estas considerações indicam a necessidade de ampliação da concepção restrita à dimensão instrumental e comunicativa do cinema predominante entre os professores participantes da pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flaviana Gasparotti Nunes, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Pós-Doutorado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Universidade de Buenos Aires. Professora associada da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Referências

ALMEIDA, Rogério. Cinema e educação: fundamentos e perspectivas. Educação em Revista, Belo Horizonte, n.33, p. 1-27, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/edur/ v33/1982-6621-edur-33-e153836.pdf. Acesso em: 20 ago. 2020.

AZEVEDO, Ana Lúcia de F. et al. Cenas da docência: o cinema entre professores/as da educação básica. In: NUNES, Célia M. Fernandes et al. (Org.). Telas da docência: professores, professoras e cinema. Belo Horizonte: Autêntica, 2017, p. 27-44. ISBN 9788551300947.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 13.006, de 26 de junho de 2014. Acrescenta § 8º ao art. 26 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: MEC, 2014.

DUARTE, Rosália; ALEGRIA, João. Formação estética e audiovisual: um outro olhar para o cinema a partir da educação. Revista Educação & Realidade, v. 33, n. 1, p.59-79, 2008. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/ 6687/4000. Acesso em: 20 ago. 2020.

EM NOME DA LEI. Direção de Sérgio Rezende. Rio de Janeiro: Globo Filmes, 2016. 1 DVD (115 min.).

FERRAZ, Cláudio B.O. Imagem e Geografia: considerações a partir da linguagem cinematográfica. Espaço & Geografia, v.15, n. 2, 2012, p. 357-384. Disponível em: http://www.lsie.unb.br/espacoegeografia/index.php/espacoegeografia/article/view/149/159. Acesso em: 20 ago. 2020.

FREITAS, Alexander de; COUTINHO, Karyne D. Cinema e educação: o que pode o cinema? Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 27, n. 54, p. 477-502, jul./dez. 2013. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/14174 . Acesso em: 20 ago. 2020.

LEAL, Álida A. A. Outras telas: o cinema em espaços de professores/as da educação básica. In: NUNES, Célia M. Fernandes et al. (Org.). Telas da docência: professores, professoras e cinema. Belo Horizonte: Autêntica, 2017, p. 45-56. ISBN 9788551300947.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. 312 p. ISBN 9788528613070.

OLIVEIRA JUNIOR, Wenceslao M.; GIRARDI, Gisele. Diferentes linguagens no ensino de Geografia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PRÁTICAS DE ENSINO DE GEOGRAFIA, 11., 2011. Goiânia. Anais do XI Encontro Nacional de Práticas de Ensino de Geografia. Goiânia, 2011, p. 1-9.

OLIVEIRA JUNIOR, Wenceslao M.; GIRARDI, Gisele. O cinema como diferença na linguagem do ensino de geografia: uma cartografia provisória. Revista Brasileira de Educação em Geografia, Campinas, v. 10, n. 19, p. 45-66, jan./jun., 2020. Disponível em: http://www.revistaedugeo.com.br/ojs/index.php/revistaedugeo/article/view/872. Acesso em: 20 ago. 2020.

TERRA VERMELHA. BirdWatchers - La Terra Degli Uomini Rossi. Direção de Marco Bechis. Itália/Brasil: 2008. 1 DVD (108 min.).

XAVIER, Ismail. Um cinema que “educa” é um cinema que (nos) faz pensar. Entrevista. Educação & Realidade. Porto Alegre, UFRGS, v. 33, n. 1, 2008, p. 13-20. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/6683/3996. Acesso em: 20 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2021-05-19

Como Citar

NUNES, F. G. Cinema e professores de geografia: aproximações e distanciamentos - considerações a partir da rede pública de Dourados (MS). ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 23, n. 2, p. 415–429, 2021. DOI: 10.20396/etd.v23i2.8661496. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8661496. Acesso em: 25 set. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)