Banner Portal
Como fazer análise de conteúdo?
Foto de capa: Antonio Carlos Dias Júnior
PDF

Palavras-chave

Metodologia da pesquisa
Análise de conteúdo
Reflexão-na-ação
Reflexão sobre a ação

Como Citar

ABADIA, L. R.; SOUSA, C. Ângelo de M. Como fazer análise de conteúdo? relato de experiência de uma oficina de metodologia da pesquisa. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 25, n. 00, p. e023003, 2023. DOI: 10.20396/etd.v25i00.8664015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8664015. Acesso em: 5 dez. 2023.

Resumo

Este relato de experiência descreve uma oficina de metodologia de pesquisa centrada no método de análise de conteúdo tal como articulado por Laurence Bardin. A oficina foi ministrada na Universidade Católica de Brasília, no âmbito do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação, e teve como objetivo fornecer ferramentas técnicas e críticas de análise de dados para alunos de mestrado e doutorado. O presente exercício descritivo-reflexivo é feito à luz da “reflexão sobre a ação” de Doland Schön (2008), propondo descrever e analisar prática pedagógica do ensino de análise de conteúdo. Assim, tencionamos estimular a discussão sobre as competências de pesquisa acadêmica e seu ensino.

https://doi.org/10.20396/etd.v25i00.8664015
PDF

Referências

ANDRÉ, Marli. Questões sobre os fins e sobre os métodos de pesquisa em educação. Revista Eletrônica de Educação, vol. 1, n.1, p. 119 - 131, 2007. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/6 . Acesso em: 02 nov. 2020.

ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, n.113, p.51 - 64, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742001000200003&lng=en&nrm=iso . Acesso em: 15 nov. 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto. São Paulo: Edições 70, 2016. 279 p.

CARLOMAGNO, Márcio; ROCHA, Leonardo. Como criar e classificar categorias para fazer análise de conteúdo: uma questão metodológica. Revista Eletrônica de Ciência Política, v. 7, n.1, p. 173 - 188, 2016. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/politica/article/view/45771/28756 . Acesso em: 02 nov. 2020.

CASTRO, Thiago Gomes de; ABS, Daniel; SARRIERA, Jorge Castellá. Análise de conteúdo em pesquisas de Psicologia. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 31, n. 4, p. 814 - 825, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932011000400011&lng= en&nrm=iso Acesso em: 28 out. 2020.

CHIZZOTTI, Antonio Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 2.ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2008. 144p.

CRESWELL, John. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. 3.ed. Porto Alegre: Penso, 2014. 342p.

CRESWELL, John Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 296p.

DEVECHI, Catia, TREVISAN, Amaral. Sobre a proximidade do senso comum das pesquisas qualitativas em educação: positividade ou simples decadência. Revista Brasileira de Educação, v.15, n.43, p. 148 - 201, 2010. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782010000100010&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 28 out. 2020.

FREUD, Sigmund. Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In: FREUD, Sigmund. Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, Volume XII: O Caso Schreber, Artigos sobre técnica e outros trabalhos (1911-1913). Rio de Janeiro: Imago. 1996 (Trabalho original publicado em 1912). p. 125 -133.

GAMBOA, Sílvio Sanchez, Quantidade-qualidade: para além de um dualismo técnico e de uma dicotomia epistemológica. In: Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. SANTOS FILHO, José Camilo dos; GAMBOA, Sílvio Sanchez (org.). São Paulo: Cortez, 1995. p. 84-111.

GATTI, Bernardette. A construção da pesquisa em educação no Brasil. Brasília: Liber Livro, 2007. 96p.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. 12.ed. Rio de Janeiro; São Paulo: Record, 2011. 107p.

GUERRA, Isabel Carvalho. Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo: sentidos e formas de uso. Cascais: Princípia, 2006. 95p.

GÜNTHER, Hartmut. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 22, n. 2, p. 201-209, ago. 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722006000200010&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 nov. 2020.

HALL, Stuart. Old and new identities, old and new ethnicities. In: KING, Anthony D. (ed.). Culture, globalization, and the world-system: contemporary conditions for the representation of identity. New edition. Minnesota: Univ of Minnesota, 1997, p. 41 - 68. JSTOR, Disponível em: www.jstor.org/stable/10.5749/j.ctttsqb3.7 . Acesso em: 23 nov. 2020.

LASSWELL, Harold D. l’analyse de contenu et le langage de la politique. Revue Française de Science Politique, v. 2, n. 3, 1952, p. 505-520.

MARTINS, Heloisa Helena T. de Souza. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, v. 30, n.2, p. 289 - 399, 2004. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ep/issue/view/2125 . Acesso em: 28 out. 2020.

NISBET, Robert A. A sociologia como forma de arte. Plural: Revista do Curso de Pós-Graduação em Sociologia da USP. São Paulo, n. 7, p. 111 - 130, 2000. Disponível em https://www.revistas.usp.br/plural/article/view/75487 . Acesso em: 23 nov. 2020.

ROCHA, Décio; DEUSDARÁ, Bruno. Análise de conteúdo e análise do discurso: aproximações e afastamentos na (re)construção de uma trajetória. Alea, v.7, n.2, p. 305-322, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-106X2005000200010 . Acesso em: 23 nov. 2020.

SANT’ANA, Ruth Bernardes de. A implicação do pesquisador na pesquisa interacionista na escola. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 16, n. 2, p. 370 - 387, 2010. Disponível em http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/P.1678-9563.2010v16n2p370 . Acesso em: 23 nov. 2020.

SCHÖN, Donald. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. São Paulo: Artmed Editora, 2000. 265p.

SERAMIN, Ronaldo José; WALTER, Silvana Anita. O que Bardin diz que os autores não mostram? Estudo das produções científicas brasileiras do período de 1997 a 2015. Administração: Ensino e Pesquisa (RAEP). v. 18, n. 2, p. 271 - 299, 2017. Disponível em: https://raep.emnuvens.com.br/raep/article/view/478 . Acesso em: 28 ago. 2019.

SILVA, Andressa. H.; MOURA, Gilnei. L. de.; CUNHA, Daniele E.; FIGUEIRA, Kristina K.; HÖRBE, Tatiane; A. N.; GASPARY, Eliana. Análise de conteúdo: fazemos o que dizemos? Um levantamento de estudos que dizem adotar a técnica. Conhecimento Interativo, vol. 11, n. 1, p. 168 - 184, 2017. Disponível em: http://app.fiepr.org.br/revistacientifica/index.php/conhecimentointerativo/article/view/223. Acesso em: 28 ago. 2019.

SILVERMAN; David. Interpreting qualitative data. 4.ed. Washington DC: SAGE, 2011. 686p.

STAKE, Robert E. Pesquisa qualitativa: estudando como as coisas funcionam. Porto Alegre: Penso, 2011. 263p.

VASCONCELOS, Ivar. Estudo de caso interativo: fácil entender, decidir e executar. Curitiba: CVR, 2017. 169p.

YIN, Robert. Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso Editora, 2016. 313p.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 ETD - Educação Temática Digital

Downloads

Não há dados estatísticos.